Mostrando postagens com marcador Intel. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Intel. Mostrar todas as postagens

Diferentes arquiteturas de processadores

Diferentes arquiteturas de processadores

Diferentes arquiteturas de processadores

    Desde o ano passado, um dos assuntos que mais vem ganhando repercução é sobre a Apple migrar de X86 da Intel para seu próprio ARM chamado Apple Silicon, o Linux passar a ter suporte a esse processador da Apple, a NVidia adquirir a arquitetura ARM e o Risc-V passar a ganhar mais notoriedade depois da ultima menção. Depois de tudo o que mencionei, me senti inspirado a escrever este artigo.

    Eu já escrevi uma série chamada "Dando uma olhada na arquitetura dos processadores" onde debato como o processador é constituído internamente (andei até mesmo dando uma atualizada tratando da arquitetura de Havard mostrando em que se difere da arquitetura de Von Neumann e pretendo adicionar mais coisas. Mas  vamos deixar isso para o futuro Deus permitindo que eu faça).

Arquitetura de Havard

O que é arquitetura de processador?

    De acordo com o Dicionario de Termos da computação e da Internet (Dictionary of Computer and Internet Terms) arquitetura de processador é um conjunto  de instruções que decodificam e executam operações aritméticas e lógicas. Esse conjunto de instruções são denominados ISA (Instruction Set Architecture) e, nas minhas palavras, arquitetura dos processadores é a forma como essas instruções são organizadas. Apesar de popularmente acabarmos tendo contato com apenas com X86, existe uma boa variedade de arquiteturas como CISCRISCEPIC ZISC e Linux é uma fonte abundante para adquirir conhecimento sobre elas.


Arquiteturas que o kernel Linux 5.10 possui suporte

    Dentro das arquiteturas existe uma gama de fabricantes diferentes. Então agora vamos estudar um pouco sobre as arquiteturas, suas variedades e aonde geralmente são aplicadas.

CISC

    CISC (Complex Instruction Set Computers) é uma arquitetura construída com muitas instruções de linguagens de máquina diferentes. Tem como objetivo em seu design completar uma tarefa em poucas linhas de código assembly fazendo com que o compilador tenha pouco trabalho para traduzir o código de alto nível. O problema disso é que as suas tarefas acabam exigindo múltiplos ciclos, fazendo com que leve pelo menos duas vezes mais tempo para executá-las.

    Ressalva, não confunda CISC com CICS. CICS (Costumer Information Control System) é uma extensão da IBM utilizada no IBM System Z que tem como objetivo tornar fácil escrever programas e permitir usuários entrar, recuperar e atualizar dados através do seu terminal (fortemente utilizado em sistemas de pontos de venda, reservas de hotel e sistemas de cobrança).

    Popularmente conhecemos a arquitetura CISC devido aos x86 da Intel, da AMD e da Via (após ter adquirido a antiga Cyrix); mas há outras empresas que também já  fabricaram processadores CISC difrentes de x86 como o VAX, o IBM System/370 e houve também o Motorola 6800 (também conhecido como m68k ou simplesmente 68k) na década de 80 que foi o primeiro processador de 32 bits amplamente utilizado e foi o processador do vídeo game Mega Drive, do Macintosh (pois é, a migração de PowerPC para Intel e depois de Intel para ARM não são as únicas experiências que a Apple já teve em sua história), dos computadores da HP e da Sun Microsystem. Falando em Sun Microsystem, foi devido o Motorola 6800 que os desenvolvedores de SunOS tornaram o GCC funcional para uso em produção (o que até então, era simplesmente um compilador inviável).


    Parece estranho afirmar, mas deve ser dito. Foi o x86 que tornou os PCs interessantes (especificamente o 386 a partir de 1986); mas historicamente o x86 parou de fazer sentido para o mercado há algum tempo. Basta repararmos como exemplo Apple em 2018 que vendeu 217.7 milhões de Iphones e 18.2 milhões de Macs (mais de 10 vezes mais dispositivos ARM, o que a chamou a sua atenção para abandonar o x86).


    Abreviação de Reduced Instruction Set Computer (Computador com conjunto de instruções reduzidas) é a arquitetura que realiza processos de forma mais simplificada e que foi projetada para desempenho. Devido haver poucas instruções a serem escolhidas, ela leva menos tempo para identificá-las tornando os resultados mais eficientes e executando os processos mais rapidamente. Foi criada inicialmente na IBM por John Cocke e sua equipe de pesquisadores em 1.974 como controlador de central telefônica (a telefonia sempre tendo importância na computação)

John-Cocke.
John Cocke e o primeiro protótipo de computador RISC que o garantiu os premios Turing Award em 1987, the US National Medal of Technology em 1991 e o  the US National Medal of Science em 1994.

 A arquitetura RISC é tão interessante que há um ditado que diz que "O mundo é RISC". E não é de se duvidar já que a arquitetura é utilizada desde Supercomputadores como é o caso do Fugaku a microcontroladores como o H8/300 da Hitachi.

 Alguns exemplos de processadores RISC são o Dec Alpha (primeiro processador de 64 bits e primeira arquitetura que Linux foi portado em Novembro de 1994); ARM que é muito famoso em dispositivos móveis devido a seu baixo consumo de energia conservando a bateria por mais tempo; Spark da Sun Microsystem (divisão da Oracle); o PowerPC (que foi desenvolvido pela IBM, Motrola e Apple para competir com a Intel e foi especialmente projetado para emular programas outros tipos de CPU eficientemente. Foi utilizado também no PlayStation 3, no Xbox 360 e consoles da Nintendo como Game Cube, Nintendo Wii e Nintendo Wii U e pelo sistema operacional OS/2); o MIPS, o Cris (utilizado em dispositivos de rede) e até mesmo a série de chips Super FX da empresa britânica Argonaut Games (adquirida pela Synopsy) que foi utilizado em jogos do Super Nintendo como o StarFox e Yoshi's Island possibilitando a renderização de centenas de polígonos 3D simultaneamente e desenhando efeitos em 2D.

Em Mario World 2: Yoshi's Island foi utilizado o chip Super FX 2 que é um Risc customizado e que possibilitou ao jogo ter elementos 3D e 2D (sim, o jogo é 2.5D), cores vivas e amplas, efeitos de iluminação, semitransparência e objetos passarem uns pelos outros).

RISC VS CISC

    Ambos possuem vantagens e desvantagens e ambos conseguem executar os mesmos tipos de programa; o que vai diferenciar é como é o código de máquina do programa. A principio da leitura deste artigo, o RISC aparenta ser superior ao CISC, mas nem tudo são as mil maravilha. 

    RISC tende a ser mais rápido que CISC SE o acesso a memória for muito rápido; do contrário (se o acesso a memória for relativamente lento) o CISC tende a ser mais rápido que RISC. Além do mais, máquinas RISC tendem a buscar mais instruções da memória para realizar o mesmo trabalho que CISC (ou seja, utiliza-se mais RAM que CISC).

RISC híbrido


    RISCs puros utilizam uma instrução por ciclo de clock. Foi aí que eu conheci a geração de RISCs hibridos que utilizam correção nas instruções de comprimento de 16 bits com registradores e endereço de espaço de 32 bits. Isso torna mais fácil para os compiladores gerarem melhores códigos RISC e retomam grande parte da densidade de código dos projetos CISC. Mais informações sobre chips híbridos podem ser conferidos clicando nesses dois links da Renesas e da Design & Recue.
ParthusCeva Announces Architecture Standard for Hybrid DSP/RISC-Based System-on-Chip for ARM Environment
    A maioria dos fabricantes hoje tentam combinar as vantagens de cada arquitetura dentro dos seus processadores. A Intel por exemplo, introduziu através do Pentium a possibilidade de seu processador traduzir internamente instruções CISC em RISC (podendo executar duas instruções por ciclo assim como o RISC) e o J64 que planejam uma aproximação do x86-64 ao j4 com compatibilidade a 32 bits (seu design foi elaborado no ano passado). Portanto, dificilmente temos CISCs puros quanto RISCs puros assim como dificilmente encontramos kernel totalmente monolítico quanto totalmente micro-kernel.

 A AMD também tinha um projeto de ARM chamado K12 focado em eficiência energética 
que era planejado para ser lançado em 2017. O desenvolvimento do K12 inspirou a criação do Opteron A1100 e a engenharia do Ryzen (agradeço ao Anderson Rincon por ter me fornecido a informação sobre o K12 e por ter revisado este texto para mim).



PA-RISC

 Foi uma arquitetura RISC desenvolvida pela HP tendo uma ideia de arquitetura mais precisa (daí o PA do seu nome que é a silga de Precision Architecture) porém esse processador foi substituído pela arquitetura EPIC.

 Abreviação de Explicitly Parallel Instruction Computing (Computação com instrução explicitamente paralela), foi criada em parceria entre a HP e a Intel para a criação da família Itanium (também conhecida como IA-64) para substituir o PA-RISC. Itanium foi desenvolvido como uma arquitetura de alto desempenho extremamente paralela realizando tal tarefa ao passar as instruções para o compilador que reorganiza o código para o máximo de paralelismo possível enquanto que o hardware foca em executar as instruções. E aqui mora o grande problema, nos compiladores que foi mais critico implementar do que a Intel esperava; o que resultou em um hardware muito caro e com baixa quantidade de software disponível para a arquitetura.





ZISC

    ZISC (Zero instruction set computer) é uma arquitetura que se baseia nos princípios de correspondência de padrões e ausência de microinstruções. De acordo com documento de patentes do Google sobre circuito neural (ou neurochip ou redes neurais), essa é a arquitetura talvez mais apropriada para as tecnologias neurais devido a forma como trabalha.

DSP

    DSP trata-se na verdade de um processador de sinal de digital (daí o seu nome Digital Signal Processor) que é utilizado para processar áudio (até redução de ruído) e vídeo e é fortemente utilizado em mesas de som e instrumentos musicais. Mas também foi utilizado em cartuchos do Super Nintendo para processar jogos como Super Mario Kart.

    Talvez você deva estar pensando por que estou falando deste tipo de chip como uma arquitetura. Bom, a minha ideia era falar sobre DSP no mesmo artigo "Dando uma olhada na arquitetura de processadores" porque, assim como FPU que era chip separado e hoje é incorporado aos processadores, o mesmo pode ocorrer com os DSPs podendo o seu processador possuir instruções DSP adicionadas a ele. De acordo com informações do J-Core (que é um processador que eu acompanho bastante o seu desenvolvimento) as instruções DSP podem quebrar a pipeline do estilo do RISC e eles possuem um novo design de DSP em desenvolvimento.

    alguns exemplos de DSP que o Linux possui suporte são o Hexagon e o C6x da Texas Instrument.

     Bom, finalizo este artigo por aqui acreditando já estar bom por enquanto dado uma boa base de estudo para todo mundo. Pode ser que eu venha atualizá-lo no futuro assim como faço com os demais artigos.

Apple e os processadores ARM

Apple e os processadores ARM
Apple e os processadores ARM

Depois que a Apple anunciou a migração de X86 para ARM, muita gente se preocupou quanto a possibilidade de não poder utilizar programas de uma arquitetura em outra. A Apple já fez o processo de transição da arquitetura PowerPC para a X86 sem apresentar trabalhos críticos; desta vez eu acredito que não será diferente. No meu vídeo sobre Ubuntu rodando no meu Power Mac G4 eu explico através do kernel do Mac OS X Leopard como a Apple realizou esse trabalho até que todos os fornecedores pudessem portar os seus programas para X86:


 Migrar para ARM parecia algo previsível; em 2.015 o site Mac Rumors já havia postado a noticia sobre a pretensão da Apple migrar para ARM e a resposta da Intel afirmando que o relacionamento entre as duas empresas ainda era muito forte; em 2.018 a Apple vendeu quase 218 milhões de Iphones e apenas pouco mais de 18 milhões de Macs. As coisas ficaram cada vez mais óbvias com o lançamento do novo Ipad Pro que era mais poderoso que 92% dos desktops acessíveis do mercado da época, rodando Photoshop nativamente, navegando na internet e utilizando Whatsapp ao mesmo tempo (e até arrastando do navegador e soltando no Whatsapp) e termina com a frase "ele é como um computador mas diferente de qualquer computador".

O chip A12X Bionic utilizado no Ipad Pro.
O chip A12X Bionic utilizado no Ipad Pro.
Poderoso o suficiente para photoshop nativo.
Poderoso o suficiente para photoshop nativo.
Mais rapido do que 92% dos desktops acessíveis.
Mais rapido do que 92% dos desktops acessíveis.
Navegando na web e usando chat ao mesmo tempo.
Navegando na web e usando chat ao mesmo tempo.
Arrastando do navegador e soltando no Whatsapp.
Arrastando do navegador e soltando no Whatsapp.
 Por fim a Apple anunciou no mês de Junho que estaria migrando que X86 para ARM. A coisa está feia para o X86, mas parece que somente para a Intel pois a AMD anda ganhando cada vez mais espaço com o núcleo Zen (com mais um console no mercado da Atari) enquanto isso recentemente Linus mandou a real para a Intel desejando uma morte dolorosa ao AVX-512, que a Intel pare de ficar focando em benchmarks com sua Unidade Ponto Flutuante, pare de ficar inventando moda com instruções mágicas e comece a corrigir problemas reais. Para revidar a situação,parece que a Intel está trabalhando em um novo recurso de tecnologia hibrida para o Alder Lake chamado Big-Bigger similar ao design Big.LITTLE da arquitetura ARM.


 Uma coisa que deixou os apaixonados por Mac foi a possibilidade de retrocompatibilidade não somente com Intel, mas também com outras arquiteturas passadas. Um desenvolvedor apaixonado por Macs antigos chamado tenFOURFox escreveu sobre a possibilidade de rodar até cinco arquiteturas em um unico binários (ARM64, 32-bit PowerPC, 64-bit PowerPC, i386 e x86_64) e potencialmente até 17 arquiteturas em  um único binário (ppc750, ppc7400, ppc7450, ppc970, i386, x86_64, x86_64h, armv4t, armv5, armv6, armv6m, armv7, armv7em, armv7k, armv7m, armv7s e todos os outros Macs com AARM.)

 Uma informação que prometi na live que iria pesquisar é qual tecnologia GPU será utilizada nos novos Macs com ARM. A unica coisa que se sabe é que a Apple guarda esse segredo a sete chaves pois parece ser tecnologia própria da empresa.
Imagem aqui
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
DEMAIS, SÓ FINALIZO DIZENDO QUE, SE VOCÊ É UM USUÁRIO DE MAC OS E ESTÁ PENSADO EM MIGRAR PARA LINUX, MEU CURSO É PENSADO TAMBÉM PARA VOCÊ ;)

DragonflyBSD adota Ryzen e Xeon para seus builds

DragonflyBSD adota Ryzen e Xen para seus builds
 Durante anos a equipe do DragonflyBSD utilizou um servidor Monster quad-socket opteron (4 processadores de 12 núcleos cada). Era uma máquina incrível devido sua latência em inter-core e inter-socket, mas que possuía alto consumo de energia (1000W). Foi aí que decidiram trocar seu equipamento por três novos servidores.
curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 Com isso, a equipe do DragonflyBSD aposentou o antigo Monster e adotou um dual-socket Xeon (sting) e dois Ryzen 3900X (Thor e Loki, cada um possuindo 12 núcleos e 24 threads) que juntos consomem digamos a metade de Watts que o Monster (sendo o 3900x consumindo apenas 150W e ainda ganhar em performance). O ganho de desempenho também se dá devido todos possuírem SSD permitindo-os reduzir o tempo de sincronização de seus ports e obter pacotes binários mais rapidamente (reduzindo o tempo de duas semanas para dois dias).

 Toda a aquisição dos novos equipamentos é graças as doações recebidas pela comunidade ao longo dos anos.

 Agradeço Juliano Atanazio por ter me enviado a errata no título deste artigo :) 

Série FX da AMD esquentando como um vulcão?

Em meados do ano passado eu fiz um vídeo explicando sobre a série de processadores FX da AMD devido a comentários que eu vi nas redes sociais. É que me chama a atenção a opinião que as pessoas formam sem ao menos um pouco de pesquisa (e que chega a ser intrigante).

Tenho certeza que tem gente que vai me dizer:
"Ah, mas você está defendendo o FX porque você tem um".
E a resposta para isso é que sim; e não sim para estou defendendo a série e FX, e sim para eu tenho um FX 8300. Mas já tive também um Pentium, um Pentium 3, um Pentium 4, dois Celerons, um Athlon XP, quatro Core2Duo, um Atom, um Corei3 e dois FX sendo o 6300 e o 8300 (Agora faça as contas e veja se já tive mais processadores da Intel ou da AMD). Também já tive dois um ARM (no Raspberry Pi e no Endless Mini sem contar os dos smartphones que temos fácil acesso hoje), um PowerPC e conto nesta lista um SH4 (através do meu Dreamcast que posso rodar Linux e que estão voltando a sua produção para a IoT e para a computação descartável).


E mesmo depois de mostrado quais processadores já tive, vai ter gente parecendo múmia afirmando a mesma coisa...

OK, mas o que me levou a escrever este artigo foi ver o pessoal falar a forma como o FX esquenta ao ponto de parecer estar entrando em erupção. Chega a ser engraçado ler esse tipo de comentário.

Galera, até mesmo os processadores da Intel esquentam muito. A questão era aquele Cooler Box (cooler que vem em conjunto com os processadores) da Intel que eram horríveis até mesmo na questão de como a gente conectava à placa mãe:


Eu detestava (e ainda detesto) tanto aquele cooler que por fim acabei comprando um da Cooler Master e me desfiz do cooler box. E até hoje a Intel insiste nesses coolers que vem por padrão. Esse cooler que comprei sim foi bom, solucionou meu problema na questão de aquecimento do processador e de até mesmo parafusá-lo na placa mãe.


Isso acontece também com o FX. O cooler que vem por padrão na caixa do processador FX é um cooler pequeno (mais ou menos dois dedos ou menos de altura como o que se vê nas imagens abaixo), vinha uma folha de cobre embaixo (é, um cooler foliado a cobre...) e que uma ventoinha fraca que para renderizar um vídeo chegava a esganá-la. E é isso que vai em cima de um processador com 6 a 8 núcleos...


Se em um processador com dois núcleos operando a 3.0Ghz esquenta, não iria acontecer a mesma coisas com um processador com oito núcleos operando a 3.3Ghz? Esse foi um erro cometido também pela AMD na geração FX (e é até hoje o mesmo erro da Intel nos CoreiX). Foi onde eu comprei um cooler da CoolerMaster (sim, gosto da marca mas ainda quero um BeQuiet) para o meu FX que solucionou o problema do calor:



Os únicos momentos que meu processador esquenta (MESMO, mas não tanto como exageram) é quando vou renderizar os vídeos para o canal, mas até aí normal. Quando jogo esquenta um pouco, mas nada de tão quente, nada do tipo:
noss, pega o ventilador lá e uns cubos de gelo, coloca na frente do ventilador direcionando para o computador se não  vai derreter.
Esse cooler foi projetado tanto para o soquete AM3+ (AMD FX) quanto para o soquete 775 (Core2Duo). Bom, por hora é só; só quis debater esta questão de acharem que os processadores da AMD são um ferro de passar roupas. Hoje o cooler box da AMD valem muito a pena; são bem dimensionados e dissipam bem o calor, mas os anteriores não valiam a pena.

Lançado kernel 4.13 mesmo Linus tendo pedra nos rins

Lancado-kernel-4-13
Lançado kernel 4.13
Mesmo Linus estando com pedras no rins, isso não o impediu de lançar o kernel 4.13 alguns meses depois do lançamento do 4.12.  Linus até afirma nas notas de lançamento não ver motivos para atraso no lançamento mesmo depois deste evento passando sete horas de pura agonia que, de acordo com Linus, pareciam mais do que sete horas.

uma das mais importantes melhorias está na segurança de protocolo genérico relacionado ao comportamento do cifs.

Suporte inicial ao Intel Cannonlake e Coffeelake, correções no suporte a Vega e AMD Raven Ridge, melhorias no Thunderbolt, melhorias na integração a cpu_cooling com CPUFreq e POWER. Melhorias no F2FS que agora possui suporte a statx para aprimorar informação de arquivo. O EXT4 também possui suporte a recurso  “largedir” que lhe permite em torno de dois bilhões de entrada em um diretório comparado a dez milhões na versão anterior (caramba, os caras estão trabalhando muito do EXT4 :). XFS recebeu também aprimorações no suporte a SEEK_HOLE e SEEK_DATA.

É isso aí, por hora é só =)




Corei3 & Corei5 VS FX 6300


Pois é, esse assunto gera treta porque cada um quer puxar sardinha para o que mais é fã (e muitos ainda vem com a pachorra de dizer que não são).

Dizer que processadores da Intel são centenas de vezes melhores que da AMD parece que virou um carma. Muitos só falam que são melhores sem ao menos uma minima analise.

Só que o que me levou a fazer esse vídeo não foi nem mesmo o fato de fã boys atacarem o concorrente (que na verdade eu não sei o que ganham com isso), foi na verdade os próprios fã boys de uma marca nem mesmo conhecerem o que defendem.

Foi a partir disso que resolvi fazer esse vídeo para esclarecer o que deve ser analisando antes de afirmar a qual um processador é comparado a outro ou o fato de ficar achando que o lançamento de um processador novo invalida o anterior.

Então, deixo o vídeo aqui para que possam conferir as informações. Para que possam acompanhar melhor, o gráfico que eu menciono estará logo abaixo do vídeo. Também está a nota de rodapé mencionado no vídeo e deixarei também links que estão nessa planilha. OK? Bora lá assistir:

AMD vs Intel - briga de cachorro grande


Bom, com o debate que tive se processadores da AMD são bons, o lançamento do Epyc que possui 32 núcleos e 64 threads e a Intel lançando do i9 para competir com o Ryzen vindo a ter dois núcleos a mais, quatro threads a mais e preço extremamente bem, MAS BEM a mais alto (por apenas um rim). O que eu percebo (e não somente eu) é que a Intel está perdida e cheguei a mencionar isso no artigo sobre o i9. Agora o que eu espero ver qual a próxima iniciativa da Intel quando a AMD lançar o Ryzen Threadripper e o Ryzen Pro.

Resolvi debater o assunto dessa briga de dois gigantes no mercado. Esse é um fator que acho importantíssimo no mercado (a concorrência); porque, quem sai beneficiado somos nós, esse é um dos motivos de eu gostar de existir distribuições e não somente uma unica. Ficar refém de uma unica coisa.


Processadores da AMD são bons?

A intenção deste artigo e do vídeo neste artigo não é de afirmar que a Intel é pior que a AMD (e vice verça) e sim quebrar esse paradigma (esse mito) que ronda os usuário (e a maioria dos "profissionais de TI") de que a AMD é uma fabricante de processadores extremamente inferiores aos processadores da Intel.

Esse mito vem rendando há muito tempo até mesmo por culpa dos próprios profissionais de TI. Contei no artigo "Intel lança processador Corei9 7908XE com 18 núcleos e 36 Threads" um pouco dos pontos históricos que me fizeram a ver a AMD com outros olhos.

Confiram o vídeo logo abaixo que mostro informações de quais processadores já tive e tenho (para não saírem dizendo que sou fanboy da AMD) e os casos de sucesso da AMD:


Esse é uma propaganda da época de venda de computadores com processadores AMD da época após a finalização do desenho OS sem floresta (over the hedge).


Mostrando mais casos de sucesso da AMD que a da créditos de ser considerada realmente uma boa fabricante de processadores, o processador AMD Ryzen ganhou dois prêmios na associação de hardware europeia deste ano; sendo as categorias melhor CPU e melhor produto. O Core i7 da Intel também ganhou, mas como melhor para overclock e tem muitos outros produtos que também ganharam prêmios e podem ser conferidos.

Premios de hardweare europeu 2017. Melhor CPU: AMD Ryzen 5 1600X
Premios Europeus de hardware de 2017. Melhor CPU: AMD Ryzen 5 1600X

Premios de hardweare europeu 2017. Melhor produto do ano de 2017: AMD Ryzen
Premios Europeus de hardware de 2017. Melhor produto do ano de 2017: AMD Ryzen
Premios Europeus de hardware de 2017. Melhor nova tecnologia: Arquitetura Zen da AMD
Premios Europeus de hardware de 2017. Melhor nova tecnologia: Arquitetura Zen da AMD 

Europian Hardware Awards 20172017-winners-announced/
Quer saber mais casos de sucesso da AMD? Clique aqui !

O dia em que o canal quase parou

Beleza galera.

A situação foi realmente feia e por isso o vídeo teve que ir ao ar mais cedo essa semana. para vocês terem a noção de como foi, eu gravei pela própria webcam e sem placa de vídeo (já que estou sem uma no momento).

Consegui um patrocínio que foi a loja Skina Informática que me deu uma força. Agora estou com um processador novo AMD FX Black Edition e uma placa mãe que suporta arté 32 Gigas de RAM e 16 Teras de HD. Confiram o vídeo:



Logo abaixo estão as imagens mostrando a placa mãe com o processador já instalado, dentro do gabinete e o gabinete já montado:






Nessa eu mostro quanto tempo levou o processo de boot do sistema.
Nessa eu mostro quanto tempo levou o processo de boot do sistema.

Aqui mostro as especificações do novo processador
Aqui mostro as especificações do novo processador

Aqui a mesma especificações obtidas dentro de /proc/cpuinfo que são mais detalhadas e por núcleo.
Aqui a mesma especificações obtidas dentro de /proc/cpuinfo que são mais detalhadas e por núcleo.
É isso aí, galera. Ainda bem que o canal não parou e espero poder manter por um bom tempo ainda. Vou dando feedback do que estou achando deste meu novo processador.

Aviso quando minha conta no Padrim estiver pronta

Entrevista com equipe Padrim

Intel lança processador Core i9-7980XE com 18-core e até 36 threads


core-9-7980xe-com-18-nucleos-e-ate-36-threads
Core i9-7980XE com 18 núcleos e (até) 36 threads
Depois que foi lançado o processador Ryzen™ ThreadRipper™ da empresa AMD com até 16 núcleos e 32 threads, agora a Intel lança a série Core-X que é a sua sétima geração de processadores chamado Core i9-7980XE com 18 núcleos e (até) 36 threads.

Eu baixei o PDF de 8 páginas sobre o processador direto do site da Intel  para dar uma lida. Eu achei até interessante se olharem o gráfico abaixo, mas não percebi muita diferença entre o Core-X e o Ryzen.
especificacoes-da-serie-core-x-da-intel
Especificações da série Core-X da Intel
RyzenCorei9X-Series
Eu percebo que é novamente mais uma ação desesperada da Intel para não perder mercado para a AMD que vem acontecendo desde o Athlon64 X2. A Intel sempre toma uma ação primeiro (devido o novo processador da AMD que é lançado) para depois a Intel lançar uma nova geração. No caso, na época do Athlon64 X2 (processador com 2 nucleos reais, com hipertranspot, consumia menos energia e esquentava menos) a Intel lançou o Dualcore (que tinha um núcleo físico e um virtual) somente para acompanhar o mercado até que fosse lançado o Core2Duo.

A mesma história se repete entre o Ryzen e o Core i9. A primeira iniciativa da Intel foi reduzir os preços dos seus processadores para agora lançar um processador igual ao Ryzen.

Não vejo a Intel inovando hà um bom tempo:
  • A Intel vem copiando a AMD há longa data
  • Os bons processadores da Intel são a partir da segunda geração de cada série (quem compra a primeira mesmo se lasca).
  • A Intel só possui processadores X86 multi-core graças a AMD ter disponibilizado estas especificações.
  • Além do Dualcore (que foi horrível) ainda lançou o CoreDuo antes do Core2Duo (varegistas até aconselhavam as pessoas a não comprarem esse processador).
  • Vem temendo até mesmo o processador ARM e já tem medo do j-core
  • Falando de ARM, que é um processador muito pequeno (chegando a ser do tamanho de uma tecla), a Intel lançou por volta de 2008 o processador Atom  que foi um fracasso. Eu até tenho um e gosto dele, mas é bem limitado em vários aspectos.
  • Sem mencionar que a Intel contratou a AMD para juntas trabalharem nos APUs Intel (uma vez que a AMD entende dessa tecnologia melhor que a Intel).
  • Lançou a série "i" (corei3, corei5 e corei7), mas que não chegou a ser grande diferença comparada a série anterior (Core2Duo e Core2Quad).
  • Agora a intel lança a série "X" (i5X, i7X e o novo i9/X) pela baranha de apenas um rim (processador caro do caramba). O i9 mesmo não possui notáveis mudanças comparado comparado ao antigo i7 e ainda possui um socket gigante com mais de 2.000 pinos (e houve ainda que me dissesse que o i9 é pequeno).
Por hora é só galera. Semana que vem tem vídeo especial no canal sobre a AMD.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (15) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)