Mostrando postagens com marcador lançamento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador lançamento. Mostrar todas as postagens

Advanced Copy patch 0.9-9.0

Advanced Copy patch 0.9-9.0

Advanced Copy patch 0.9-9.0


 Em Novembro de 2020 eu apresentei aqui no blog o projeto Advanced Copy  (ou simplesmente advcpmv). Trata-se de um patch que adiciona barra de progresso aos comandos cp e mv do GNU.

cpadv
O comando cpadv exibe a barra de status com a opção -g

 Em abriu Jarun disponibilizou o patch 0.9-9.0 que traz uma correção que ocorria de certas vezes não era exibido quando arquivos eram movidos ou o progresso global. Diferente da versão 0.8-8.32, a versão 0.9.9.0 possui o arquivo install.sh que substitui o wget pelo curl. Para instalar o advcpmv basta executar o script install.sh através do comandos sh (aproveite e confira como encontrei um bug no comando sh do toybox cliando aqui. Testei este script com o toysh e funcionou normalmente), torna o processo o processo de compilação e instalação um pouco mais fácil.

Lançado musl 1.2.3

Lançado musl 1.2.3

Lançado musl 1.2.3

 Esse lançamento adiciona a função qsort_r (futuro recurso POSIX), várias interfaces de extensões menores e suporte a alternativa SPE FPU presente em alguns modelos de processadores PowerPC

 Houveram também correções de bugs que haviam na versão anterior, muitas melhorias de compatibilidade (inclusive relacionadas a POSIX), melhoria no ambiente da variável TZ e muitas outras melhorias.

Novidades no Btrfs 5.18

Btrfs 5.18

Novidades no Btrfs 5.18

 Em Janeiro eu publiquei sobre o lançamento do Btrfs 5.17. No inicio de Março foi anunciado os patches para a nova versão. Gabriel Niebler da empresa Suse anunciou o envio de 98 patches desenvolvidos pela equipe do Btrfs para a versão 5.18 do sistema de arquivos. Essa nova versão além de traz novos recursos, novas atualizações relacionadas ao VFS (o que é realmente necessário) e mais melhorias de desempenho.

 O ioctls permite que o user space ler ou escrever dados diretamente aos extents (futuramente permitindo compactação e encriptação), será utilizado pelo send/receive v2. O zoned trabalha com DUP metadados no mkfs.btrfs por padrão; melhorias nas mensagens de erros.

 Na parte de melhoria de desempenho, teve mais de 90% no directory logging; mais de 60% no avoid logging; também mais de 60% no avoid inode logging; rendimento de mais de 7% em extents; o fsync() para de copiar extents de arquivos antigos e melhoria logging de extents antigos depois de truncados.

 Agora o VFS permite reflinks/deduplication de dois pontos de montagem diferentes (do mesmo sistema de arquivos) além de exportar e adicionar helpers na verificação de leitura/escrita no ioctls.

 Como é de costume em qualquer software também houveram correções de bugs e limpezas. Essas atualizações estarão disponíveis no kernel Linux 5.18.

Novidades no Btrfs 5.17

Btrfs 5.17

Novidades no Btrfs 5.17


 Essa semana foi lançado o kernel Linux versão 51.6 e muitos sites como o OMG! Ubuntu e o XDE Developers descrevem que os gamers vão amar esta versão devido o recurso de futex2. Particularmente não encontrei essas notas no anuncio do Linus Torvalds. Eu encontrei até mesmo sobre o Batman (batman-adv e b.a.t.m.a.n. Abreviação de better approach to mobile ad-hoc networking) mas não sobre o que são demonstrados nos sites. Esse release está mais relacionado a correções e reversões do que novidades em si.
"Portanto, isso contém principalmente algumas correções de driver (principalmente rede e rdma), uma correção de uso de credencial do cgroup, algumas correções de rede principais, um algumas reversões de última hora e algum outro ruído aleatório. O shortlog anexado é tão pequeno que você também pode rolar isto."
 Bom, mas novidades também estão vindo aí no Btrfs (e provavelmente no kernel 5.17 já anunciado o seu desenvolvimento). David Sterba da equipe do Suse anunciou no dia 11/01/2022 a atualizações do Btrfs 5.17.

NOVOS RECURSOS

 Agora é possível que o send trabalhe com a realocação de grupo de blocos evitando que falhas ocorram; nova operação de exclusão 'balance paused' que, como o próprio nome já diz, permite adicionar um novo dispositivo ao sistema de arquivos com balance em pausa. o Btrfs também está com novo arquivo sysfs para armazenamento do fsid (em per-device directory) que ajuda a distinguir dispositivos quando seeding estiver habilitado.

MELHORIAS NO DESEMPENHO

 A exclusão de diretórios ficou entre 20% a 40% mais rápidos devido; o zoned mode ficou em torno de 50% durante a montagem; indexação e busca por tamanho com a latência de -30% e menos contenção de tree node locking que permite ganho de até 20%. A parte de desempenho já é uma característica muito boa do Btrfs e de longa data. Eu já até mesmo apresentei essa características em vídeos como benchmarks e comparações com ZFS.



CORREÇÕES DE BUGS

 Houveram correções de bugs (lógico) como falha no ENOSPC quando há escrita direta no range NOCOW; na quota de deablock (e outras operações de quotas); no free space tree e no zoned.

OUTRAS

 Houveram também outras melhorias e limpesas como na parte de HDD e SSD, como o file system lida com erros. Essas novidades ocorreram desde o kernel 5.16-rc8 e estarão disponíveis no link abaixo (um total de 115 mudanças).

Lançado HelenOS 0.11.2

Lançado HelenOS 0.11.2
Lançado HelenOS 0.11.2
 Foi anunciando no dia 17 de Dezembro o lançamento do sistema operacional micro-kernel HelenOS que recebeu o codinome Vsevolod V. Volkov de Kiev Ukrania, o autor do Volkov Commander.

 Esse lançamento trás suporte a arquitetura AArch64 (para computadores single-board HiKey960); um novo gerenciador de arquivos baseado em painel chamado Navigator e trás também melhorias nas partes de interface de usuários (além de novos elementos), no modo texto, no editor de texto (além de portado para libui), no desempenho do suporte ao Raspberry Pi.

Lançado toybox 0.8.6

Lançado toybox 0.8.6
Lançado toybox 0.8.6

 Foi lançada versão 0.8.6 do terminal de comandos toybox que dentre as suas maiores novidades estão os comandos linux32 e sha256sum e as variantes relacionadas 224/384/512 (algo que já era previsto e que pode ser conferido aqui) e binários da versão bootável do mkroot através do QEMU.

man 8 linux32
Comando Linux32 no toybox
man 1 sha256sum
sha256sum e as variantes relacionadas 224/384/512
 Mkroot é de uma distribuição Linux criada pelo proprio Rob Landley para servir apenas como base de testes de implementação do toybox; assim sendo seu propósito, conseguindo tornar o toybox como terminal de comandos padrão no mkroot, logo o toybox estará pronto para ser utilizado como padrão em quaisquer outras distribuições Linux (vale lembrar que o toybox já foi portado também para MacOS e alguns BSDs). Anteriormente o mkroot se chamava Aboriginal Linux, depois foi mudado para mkroot e planejavam mudar para Hermetic (que inclusive eu achei um nome bem legal) e por fim acabou ficando como mkroot mesmo.
mkroot
Analisando uma das imagens do mkroot
 No diretório pendente foram adicionados os comandos hexdump e strace. O toysh (que foi grande destaque no ultimo lançamento) recebeu suporte a novos recursos como o $((math)), atribuição +=, "declare" e tipos de variáveis correspondentes (declare -i, declare -u e etc), várias correções de bugs, melhorias para processos em plano de fundo em sistemas NOMMU e mais um monte de entradas sh.test. Ainda em pendente o modprobe, o vi, o syslogd, o wget também receberam melhorias.

toyshell
Testando o toysh (toy shell) que nos permite utilizar o toybox como terminal de comandos padrão. Ainda não está bom o suficiente, bem no estilo dos terminais antigos ainda, mas já temos algo.

 Outros comandos também receberam novas opções como date -s; pmap -p; tail -F -s; kill -0; reboot/halt/poweroff -d; tail --bytes --lines; i2cdetect -q; find -quit -lname -ilname e -d como sinônimo para o -depth; cpio --ignore-devno --renumber-inodes; tar --selinux e uma mensagem de erro ao final; agora o comando uname com a opção -o exibe a mensagem Toybox. Ensinaram também outros comandos a ter novos comportamentos. 

man 1 uname
toybox uname -o agora exibe a mensagem Toybox ao inves do sistema operacional.

 Uma opção que já estava disponível na ultima versão mas que vale ressaltar é que o comando cut do toybox possui o recurso -DF que permite o cut se comportar como o awk '{print $3}'.

Comando cut do toybox
Comando cut do toybox que possui as opções D e F.

  A licença 0BSD agora é parte do padrão ISO-5962. Houveram também muitas correções de bugs, limpezas e  muitas melhorias na parte de infraestrutura. Todas as novidades podem ser conferidas aqui.

Antigamente a versão binária do toybox disponível em seu site oficial, apesar de sempre ter sido linkada estaticamente com a musl, era compilada com o gcc através da ferramenta crossmusl. Agora a versão binária é compilada com o LLVM através da ferramenta musl-clang.

Um conselho que eu quero dar é que caso queira compilar o toybox (algo que eu já ensinei) seria não compilar o bc disponibilizado no toybox (não utilize nem o bc do gnu e nem o bc do toybox). Compile e utilize a versão bc de autoria do próprio Rob Landley que eu já mostrei aqui que é bem mais completo e cheio de recursos.

Lançado Hat Enterprise Linux 9 Beta

Latest posts By product By channel What's new in Red Hat Enterprise Linux 9 Beta
Lançado Hat Enterprise Linux 9 Beta

 A Red Hat anunciou no dia 3 de Novembro o lançamento da versão Beta do Red Hat enterprise Linux 9. Além de  trazer melhorias solicitadas pelos clientes, o RHEL 9 é o kernel Linux 5.14 (o mesmo do Fedora 35) com suporte a live patching via web console; foi projetado para trabalhar com de nuvens hibridas; trás suporte integrado a OpenSSL 3 (e senha de root via SSH desabilitado por padrão); autenticação por Smart Card, cgroup2 e o Podman e versões recentes do PodmanGCC 11 e as ultimas versões do LLVM, Rust, GoPython 3.9.

 O RHEL possui suporte as arquiteturas Intel/AMD64 (x86_64), ARM 64-bit (aarch64), IBM Power LE (ppc64le) e IBM Z (s390x).

 Essa versão trás poucas mudanças na usabilidade se comparado com o RHEL 8 (já apresentado aqui no blog) exigindo pouco aprendizado das equipes de administradores de sistema e dev Ops

Lançado DragonFlyBSD 6.0.1

Lançado DragonFlyBSD 6.0.1
Lançado DragonFlyBSD 6.0.1

 Em maio deste ano foi anunciado o lançamento da versão 6.0 do DragonflyBSD. Essa nova versão trouxe muitas novidades (algumas ainda pendente para uma futura versão).
 No dia 11 de Justin C. Sherrill anunciou o lançamento da versão 6.0.1 do DragonflyBSD e como já é esperado, trata-se de um lançamento de correções de bugs (total de 5 correções entre 44 atualizações novidade). Porém, a maior alteração foi a atualização da informação de certificado do dports.

 Algo que acho que seria interessante um dia eu espero ver seria uma convergência entre o FreeBSD e o DragonflyBSD trazendo a qualidade de ambos em um único sistema operacional. A flexibilidade de portar aplicações do FreeBSD (veja os exemplos que tem aqui no blog. FreeBSD trabalhou no port do ZFS On Linux e que hoje é simplesmente o OpenZFS, o terminal de comandos toybox e faz uso da linguagem bc de Gavin Howard) e o desempenho e recursos do DragonflyBSD (como o Hammer2).

 Mas como já pude notar em comentários nos meus vídeos e aqui no meu blog, a cultura do ego ainda impera entre os muitos dos amantes de FreeBSD assim como há no meios dos amantes de Linux, GNU, software livre e de código aberto e provavelmente isso nunca desaparecerá (é típico do ser humano).


 Mas o importante mesmo no momento é o lançamento da nova versão, então baixem e desfrutem dela. :)

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (15) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)