Mostrando postagens com marcador Andriod. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Andriod. Mostrar todas as postagens

Lançado bc 5.2.2 por Gavin Howard

Lançado bc 5.2.2 por Gavin Howard

Lançado bc 5.2.2 por Gavin Howard

 Há 3 dias foi lançada a versão 5.2.2 da linguagem bc de autoria de Gavin Howard (caso não conheça, Gavin Howard já nos concedeu uma entrevista muito interessante).

 Esta é uma versão de produção que corrige um bug, uma falha de segmentação se argv[0] for igual a NULL.

 Este não é um bug crítico; não haverá necessariamente vulnerabilidade. Não há necessidade de atualizar caso não queira. Eu, como acompanho o projeto e estou sempre testando (inclusive reportando bugs caso encontre) então baixei e compilei minha versão.

 Lembrando, o toybox também possui a linguagem bc do Gavin, porém, o projeto toybox mantem a versão 1.0 (onde encontrei o bug de loop). É aconselhável a não utilizar nem a versão que se encontra no toybox e nem a do GNU (por conter bugs que já foi explicado na entrevista do Gavin).

HarmonyOS - O sistema operacional que visa substituir o Android

HarmonyOS - O sistema operacional que visa substituir o Android
HarmonyOS - O sistema operacional que visa substituir o Android

 Martin Děcký, um dos autores do sistema operacional HelenOS e que trabalha para a Huawei em um sistema operacional que pretende ser o substituto completo do Android. Em Junho de 2021, Martin concedeu uma entrevista para o site Checo lupa.cz dando uma visão sobre o sistema operacional HongMeng OS e sua relação com o HarmonyOS.

Martin Děcký, um dos autores do sistema operacional HelenOS e do HongMeng OS.
Martin Děcký, um dos autores do sistema operacional HelenOS e do HongMeng OS.

 HongMeng OS é um sistema operacional com seu próprio microkernel que não tem nada a ver com Linux ou base de código de  qualquer outro sistema e que teve seu inicio de desenvolvimento em 2017. Ele tem várias iterações internas e uma terceira transcrição está sendo trabalhada. Martin começou a trabalhar na certificação de segurança deste sistema e alguns de seus colegas começaram a trabalhar em um hipervisor.
Para mim e para a maioria dos meus colegas, o HelenOS foi um projeto que nos moldou em termos de conhecimento e de orientação geral de nossas carreiras. É uma parte fundamental da minha vida profissional. É por isso que lamento que o HelenOS esteja atualmente em uma fase lenta e estou dedicando muito mais tempo e energia a outros sistemas de microkernel.
 Por volta de 2018, o nome do sistema foi alterado para HarmonyOS para melhor adoção no mercado ocidental e a empresa anunciou publicamente que o objetivo era que o HongMeng OS / HarmonyOS era substituir o Android nos smartphones da empresa e ao mesmo tempo ser utilizado em seus navegadores, roteadores, BTS e muito mais. estranhamente depois a empresa decidiu comunicar o sistema sob o nome HarmonyOS e que não tem nada a ver com o HongMeng OS original. HarmonyOS 1.0 é um sistema construído sob o núcleo LiteOS em tempo real enquanto a versão 2.0 do HarmonyOS 2.0 é basicamente Linux mais parte de código aberto do Android mais add-ons internos da empresa.

LiteOS
LiteOS

 O HongMeng OS ainda está evoluindo e há um plano de que ele será o substituto definitivo para o Android.
"Um sistema operacional multiservidor de microkernel é composto de pequenos componentes isolados, cada um executando em um espaço de endereço separado e assim por diante. Esta é uma arquitetura adequada para verificação formal, certificação ou execução em   situações de segurança  e  missão crítica . A sobrecarga associada à comunicação de componentes isolados anda de mãos dadas com isso. Existem cenários, como um smartphone, em que os componentes são um pouco mais monolíticos. Arquitetura flexível significa ter um mecanismo que pode modificar um sistema de componentes e sua arquitetura de modo que durante a implantação seja possível   juntar componentes do espaço do usuário e movê-los de lá para o kernel e assim por diante."
"Há algum tempo, tem havido um esforço para pelo menos unificar os garfos internos do kernel Linux no projeto HULK, o Huawei Unified Linux Kernel, para que tenhamos uma base de código Linux unificada."
 Então, já que a galera está gostando de especular muito sobre o Fuschia, aqui está mais um sistema operacional que irá concorrer com  o Android.

Lançada bc 5.1.1

Lançada a linguagem bc 5.1.1
Lançada a linguagem bc 5.1.1

 Em Maio deste ano (após o lançamento do toybox 0.8.5) eu iniciei uma trajetória de testes na linguagem bc. De lá pra cá já foi um bug report, o lançamento na versão da versão 5.0 e entrevista com o autor da linguagem e bc Gavin Howard tanto a versão em inglês quanto em português.
 No dia seis de Outubro foi lançada a versão 5.1.1 da linguagem bc. Eu não trouxe nenhuma noticia das versões anteriores pois não eram tão importantes dependendo do publico. A versão 5.0.1 por exemplo, só trazia correções para o MacOS e o Android; a versão 5.0.2 trazia uma correção na parte de teste porém, como mencionado por Gavin, caso você não tenha tido alguma experiencia que a parte de teste não apresentou problemas, essa versão não era tão importante para você.

 Já a partir da versão 5.1.0 (que foi o próximo lançamento depois da versão 5.0.2) trouxe grande novidades porém, como Gavin está sempre dando atenção especial a linguagem bc, resolvi aguardar um pouco e ver se seria lançada uma nova versão. Dito e feito, dois dias depois foi lançada a versão 5.1.1.

 A versão 5.1.0 trouxe as flags -z (para fazer bc e dc imprimirem zeros à esquerda nos números -1 <x <1) e -L (para desabilitar o wrapping quando imprimir números);  mais quatro funções à biblioteca lib2.bc (plz(), plznl(), pnlz() e pnlznl()) para permitir imprimir números com ou sem zeros a esquerda, mesmo com ou sem a opção -z já mencionado anteriormente e mais funções builtin para consultar global state como comprimento, pilhas globais e zeros à esquerda.

Uma das novas opções da linguagem bc
Uma das novas opções da linguagem bc

 Houveram também correções de bugs no if statement  que causava um erro caso não utilizasse um else antes de definir uma função; no bc banner e  na opção -q e  na versão do Windows onde arquivos não eram lidos corretamente (além de melhorias nas builds do Windows).

 Já a versão 5.1.1 trouxe somente correções de bugs complementares a versão 5.1.0 também relacionados ao statement else que o bc não lidava corretamente ao final dos arquivos ou antes da definição da função. Caso pretende baixar a linguagem e testar, não esqueçam de conferir o hash e o stat tanto do código fonte compactado quanto do arquivo .sig, sigam as instruções do manpage build.md (clicando aqui. Vale ressaltar que nessa manpage o Gavin dá dicas de como otimizar a bc) e caso encontre algum bug, não esqueça de reportar (isso facilita muito o trabalho dos desenvolvedores seguindo a cultura bazar ;)

Android: A maior plataforma de jogos da atualidade.

Android: A maior plataforma de jogos da atualidade.
Android: A maior plataforma de jogos da atualidade.

 Parece exagero afirmar tal coisa, mas o Android é a maior plataforma de jogos da atualidade (tente não confundir maior com melhor). site Washington Post publicou a matéria "Esqueça a próxima geração de consoles. A maior plataforma de jogos já está em seu bolso.". Essa plataforma a qual a qual nos referimos é exatamente o Android.

 Logicamente nessa lista também entra o iOS que ambos em 2020 geraram uma receita de US$80 bilhões enquanto os PCs geraram US$37bi e os consoles (Nintendo Switch, PlayStation e Xbox) geraram US$45bi (juntos, PCs e consoles geraram apensa US$2bi a mais que os smartphones). Em 2021, a receita gerada pelos dispositivos móveis (spartphones e tablets) ultrapassam a margem de US$90bi enquanto PCs e consoles juntos permanecem na mesma marca. Houve uma oscilação no mercado devido a vários fatores, mas o mercado conseguiu se manter porém, analisando essas informações em percentual, de acordo com o site newzoo.com, os dispositivos móveis detém 52% do mercado; quase o dobro do mercado dos consoles.

Faturamento de jogos em todas as plataformas
Faturamento de jogos em todas as plataformas

 Algo interessante a frisar é que, tratando-se de tablets, a Apple detem 52% do mercado (Saiba mais porque a Apple migrou de x86 para ARM em seus desktops clicando aqui). Já o Android, como mencionei em Setembro detém 85% dos smartphones (Vale a pena conferir o artigo clicando aqui). Acho um crescimento impressionante pois em 2019, a fatia de mercado do Android era de 36% enquanto o iOS detinha 47%.

lançado MicroStream 5.0 e agora Open Source




 MicroStream é uma nova verão de java sendo desenvolvido pela MicroStream que iniciou em Abril 2019 tendo seu maior foco corrigir problemas de segurança e de desempenho do Java.
 O desempenho (de acordo com o site da MicroStream) é entre 10 a 1000 vezes mais. O MicroStream também oferece conectores para bases de dados como Postgres, MariaDB, SQLite e muito mais. O framework é todo construído diferente do tradicional Java da Oracle.

Diferença entre o tradicional Java da Oracle para o Java da MicroStream.
Diferença entre o tradicional Java da Oracle para o Java da MicroStream.

 No dia 20 de Setembro o site InfoQ anunciou que foi lançado o MicroStream 5.0 tendo o seu maior destaque é que agora é open source sob licença Eclipse Public License 2.0. No momento o MicroStream não pode ser utilizado completamente como um substituto devido algumas limitações como o sistema de gerenciamento de base de dados (database management system = DBMS), mas espero que venha a ser uma alternativa para o Android em um futuro próximo devido a todo o problema judicial que a Google teve com a Oracle. Esse é o real motivo pelo qual postei este artigo, pensando muito em alternativas para o próprio Android. Espero que a Google comece a focar sua atenção ao MicroStream para que seja compatível com o Dalvik.

Atari adquire empresa Wonder

Atari adquire empresa Wonder
Atari adquire empresa Wonder
 Atari anunciou que adquiriu Wonder, empresa focada plataforma de jogos móveis e criadora do WonderOS, seu sistema operacional baseado no Android focado desde de jogos retro à jogos na nuvem. A Wonder possui parceria com várias empresas como a Sega, Nintendo, Sony, Microsoft, Google, Amazon, Disney e muitas (o que permite que os jogos estejam disponíveis para o WonderOS)  outras além de possuir seus próprios acessórios como o joystick Wonder Gamepad e o Wonder Dock (ainda estão previsto para lançamento).
Wonder Dock
Wonder Dock
 A ideia é integrar a Wonder e o WonderOS à futuras edições do Atari CVS dando maior variedade de jogos ao seu público. A Atari, assim como a Google, está tendo ideias desafiadoras e sua escolha para Linux pela segunda vez, quebra ainda mais paradigmas. Vamos ver o que acontece no futuro.


NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.
NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX. 

FreeBSD é inquestionavelmente melhor que Linux?

FreeBSD é inquestionavelmente melhor que Linux?
FreeBSD é inquestionavelmente melhor que Linux?
  Muitas pessoas defendem os BSDs como um sistema operacional muito superior ao Linux de uma forma onde tudo nos BSDs são muito melhor, tem mais qualidade e nada falha. Como diria um amigo meu:
"Tudo isso baseado em nada em coisa nenhuma."
 Já eu diria que tudo baseado em simples espírito de fanboy e amadorismo. O pior é quando aparece uma pessoa que se intitula profissional de Linux e se diz bem experiente, tentando aparentar uma pessoa isenta, soltando tal frase de que é inquestionável de FreeBSD é muito melhor com Linux. Bora então debater se é de fato verdade.



 O maior problema disso tudo está em torno dos usuários de qualquer sistema operacional. Enquanto o FreeBSD se torna até mesmo patrocinador de eventos do Linux (clique aqui e saiba mais), participa de eventos como foi o caso de Beno Rice, ambas as equipes trocam código estão lá os usuários brigando por qual é melhor...



NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.
NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.

VFEmail atacado e lançamento do toybox 0.8.0

 Essa semana fiz um condensadão do toybox debatendo as suas novidades, seus novos recursos (mostrando que é possível compilá-lo para FreeBSD e Mac OS X) e outras diferenças entre ele e o Busybox. Mostrei também a diferença entre os dois terminais e o porque o Busybox possui mais recursos.

 Aproveitando a ocasião, os inscritos me perguntaram se possui projeto no Padrim. Caso, você queira ajudar, sim, eu possuo projeto no Padrim.
Então, apoie o canal a contribuindo através do Padrim ;) 


 O que eu não esperava debater é que o VFEmail sofreu tamanho e brutal ataque ao ponto de perder tudo, tantos a produção quanto backup e maquinas virtuais. Que doidera é essa?

CURSO DE SHELL SCRIPT DO MATEUS MÜLLER

Fim do Android porque Linux não é seguro e tem vários problemas... Sei, conte-me mais.

Android chegando ao fim
Adeus Android
 Fuschia (pronuncia em inglês Fúishá) é o sistema operacional da empresa Google baseado no micro-kernel Zircon que por sua vez é baseado no micro-kernel Little Kernel e que possui como foco os dispositivos embarcados. O interessante é que o Little Kernel está no boot do Android com o nome de lk e também no seu Trusty TEE. É, o Little Kernel já é presente há mais tempo do que imaginam. Já pensou se os caras entram na mesma briga desnecessária que o GNU por simples questão de nome???... Além do mais, se reclamarem de segurança e baixo desempenho do  Android, pode ser culpa do Little Kernel também (há vários fatores a serem analisados).
Para saber mais sobre micro-kernel, suas vantagens e desvantagens, leia meu artigo sobre os 5 diferentes modelos de kernel bastando clicar aqui. Eu estou sempre atualizando-o com novas informações.
O nome Fuschia é o nome da cor vermelha púrpura viva dada a algumas flores (por que escolheram esse nome, eu não faço ideia). O Fuschia possui suporte as arquiteturas X86 e ARM e seu código está (com exceção dos programas de terceiros) sob as licenças BSD, Apache2/.0, MIT e Zlib.

Talvez seja isso o que leve todos a pensar que o Fuschia substituirá o Android; mesmo suporte a arquiteturas, mesmas licenças do user-space do Android (e mais atraente sendo presente até no seu kernel). Não a tamanha bobeira que ouvi sobre Linux não ser customizável, não ser seguro e ter muitos problemas problemas.
Diagrama do sistema operacional Fuschia
Arquitetura do sistema operacional micro-kernel Fuschia
Depois que assisti o vídeo com tamanha bobeira, eu não exitei em responder ao canal que até hoje não me respondeu:
minha resposta no vídeo em questão
minha resposta no vídeo em questão
Como mencionei no comentário, a Microsoft mesmo adotou Linux exatamente por questão de segurança, confiabilidade e ser pequeno. Cheguei a debater na época do lançamento com pelo menos três vídeos no canal e um artigo no blog e que podem ser conferidos clicando neste texto.

 Então, aqui vai o vídeo onde debato o vídeo em questão:

Aproveitando que estamos falando sobre segurança, há um guia sobre criptografia no Android no site Pixel Privacy que vale a pena ser conferido bastando clicar aqui.
 Mais uma coisa que foi dita é que o Fuschia é um sistema mais robusto. Eu duvido que, se tratando de sistema operacional, muita gente entenda do que se trata robustez (o que na verdade não foge das leis da física e biologia. Geralmente é assim, a tecnologia imita a natureza). Já ouvi muita gente até mesmo pessoas empregarem a palavra robustez para se referir a um sistema pesado (mal sabem eles que é o oposto do que dizem). sistemas como Linux e BSDs são sistemas que já atingirem a robustez em vários aspectos.

Se o Google realmente estivesse pensando em substituir o Android pelo Fuschia por Linux não ser seguro e ter um monte de problemas (esse é o ponto chave da conversa), o Google não teria entrado para os membros Platinum (maior categoria de membros) da Linux Foundation depois da Microsoft, não teria investido $?? Milhões no KaiOS que é uma distribuição Linux baseado no antigo FirefoxOS, não estariam trabalhando no desenvolvimento do LinuxBoot, o toybox não  estaria em contínuo desenvolvimento.


Não acredito que o Fuschia tem como objetivo principal substituir o Android. Por que não especularam isso quando o Google lançou o ChromeOS? Não sabiam que o ChromeOS era Linux também. Mas se o Fuschia vai realmente substituir o Android ou não, isso somente o tempo dirá e prefiro esperar o Google dizer ao invés de ler sites afirmando somente a possibilidade.

O que me intriga não é se irão substituir o Android ou não e sim dizer que Linux não é seguro e tem vários problemas. Tanto que chega a ser contradizente já que por um lado o Google trabalha no desenvolvimento do Fuschia e por outro trabalha no desenvolvimento de outros projetos Linux. Mas eu gostaria até mesmo de dar uma sugestão aos que gostam de ficar especulando a respeito do Linux fingindo entenderem o que estão falando:
Fechem os canais e blogs de vocês. Como vocês podem confiar em ter seus canais e blogs rodando em um sistema que não é seguro e tem um monte de problemas? Fica a dica.

A pior história sobre Linux que já ouvi: FreeBSD é Linux

No meu ultimo vídeo, tratei de um assunto que entrou para a série "A pior história sobre Linux que já ouvi" que teve inicio o ano passando quando um empolgadinho portando uma caneta Bic o tempo todo para parecer intelectual quis dar palpite sobre Linux defendendo a paixão dele sobre o Windows.

Desta vez resolvi tratar de mais outros mitos que envolvem Linux onde muitos já afirmaram que o FreeBSD é uma distribuição Linux mas o Android não... Qual foi a lógica para afirmar isso? Sei lá... Confiram o vídeo:


Porém quero terminar esse vídeo respondendo a vários do mesmo comentário que recebi sobre ideologia. Repito aqui o motivo que as pessoas afirmam que Android não ser Linux são essas retoricas ideológicas que fixou na cabeça de todo mundo. E muitos responderam que não acham que se trata de ideologia. Vou deixar três dicas para todos os que não achar ser ideologia:
Parem de achar. Achismo não serve para nada
Façam suas próprias descobertas ao invés de ficarem repetindo o que outros dizem.
Pesquisem na internet a frase "Android não é Linux" e depois tentem afirmar que não se trata de ideologia.


Por hora é só ficamos por aqui e essa semana tem mais vídeo no canal.

Por que a Nintendo também adotou FreeBSD em seu console?

Sempre tem artigo no blog referente ao ultimo vídeo para quem ainda não assistiu. já tratei o porque a Sony criou um fork do FreeBSD ao invés de adotar Linux e agora trato aqui por que a Nintendo também criou um sistema operacional com o kernel do FreeBSD e bibliotecas do Android no Nintendo Switch (que inclusive mencionei sobre o Nintendo Switch no blog Resenha Nerd quando ele ainda era um projeto que se chamava NX e quando a Nintendo proibiu sua venda no Mercado Livre autorizando somente sua representante no Brasil)

O interessante foi exatamente ver bibliotecas do Android sendo utilizados com o kernel do FreeBSD no console da Nintendo. Vale saber o porque isso anda acontecendo e não ficar com ideias de conspirações de empresas ou de que a Nintendo está errada.



Bom, então por hora é isso. Confiram os outros artigos tanto aqui no blog Toca do Tux quanto no blog Resenha Nerd. 

NÃO CONHECE O BLOG RESENHA NERD? Confere lá então ;)

É o fim dos BSDs?

Assunto importante a se debater onde pesquisadores acreditam que os BSDs estão chegando ao seu fim. Honestamente acho que seria algum muito ruim (até mesmo para a economia se isso acontecesse). Essa semana resolvi debater sobre os BSDs (que como mencionei, só iria tratar do assunto se achasse necessário, e no exato momento é) cruzando argumentos para isso. Os BSDs constituem um ecossistema muito importante e valioso para as comunidades (inclusive a comunidade Linux. Juntos os dois são muito fortes) e empresas.


Há os que dizem que estou em uma "cruzada anti-gnu/gpl". O que eu fiz aqui foi apresentar argumentos técnicos baseados em fatos, não fico com paixão. O bem da verdade é que a GPL está morrendo; teria sido muito sensato se tivessem deixado a GPL somente na versão 2 e com a sua decadência, as licenças open mais adotadas hoje são a MIT, as de domínio publico, BSDS e Apache e todas gerando o mesmo ecossistema anterior.

Suporte a longo prazo do kernel agora dura seis anos =D

O kernel linux já possui suporte LTS por mais ou menos 2 anos a 4 anos. Parece que esse prazo mudou na para 6 anos conforme foi mostrado na apresentação Linaro Connect.

Dentro da lista de kernel LTS estão as versões 3.2, 3.10, 3.16 o 4.1 e alguns outros. O kernel 4.4 possui suporte até 2.022.
Qual Linux possui suporte LTS pode ser conferido na página release do próprio kernel
Com isso, tanto as as distribuições serão beneficiadas quanto também os dispositivos rodando Android. O legal é ver mencionando que o Android também é uma distribuição Linux. Isso quebra mais um paradigma dos puristas de software livre.



Agradeço ao Mauro Jane por ter revisado o texto do artigo =)

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (15) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)