Mostrando postagens com marcador suse. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador suse. Mostrar todas as postagens

Suse também deixa o mercado russo

Suse também deixa o mercado russo

Suse também deixa o mercado russo

 No dia 09 de Março a Red Hat e a IBM anunciaram que estavam saindo do mercado russo e bielorrusso devido a guerra contra a Ucrânia. Todo o apoio foi prestado aos seus empregados em ambos os países e na Ucrânia.
 A Suse também anunciou a sua saída de ambos os países seguindo o êxodo das grandes empresas porém, a Suse tomou essa decisão e atitude dois dias antes da Red Hat.

"Como a maioria das pessoas, continuo observando os acontecimentos chocantes na Ucrânia e a crescente crise de refugiados com um profundo sentimento de desespero. É perturbador testemunhar a invasão ilegal de um estado soberano e o sofrimento de cidadãos, incluindo tantas crianças e membros vulneráveis ​​da sociedade diante de nossos olhos. É ainda mais surreal que essa destruição e interrupção desnecessárias na vida de tantos esteja ocorrendo no século 21. Embora entristecido pelos noticiários, também estou cheio de desejo de avançar com as ações que podemos tomar como empresa.
A SUSE continua comprometida em apoiar os esforços humanitários para ajudar refugiados e vítimas de guerra a reconstruir suas vidas. É um momento desesperadamente desafiador para nossos funcionários que têm familiares na Ucrânia, então estamos fazendo tudo o que podemos para apoiá-los. Todos os funcionários e suas famílias têm acesso ao SUSEAssist, nosso programa de apoio ao funcionário.
Juntamente com esses esforços, estamos observando todas as sanções econômicas. De acordo com essas sanções, estamos avaliando todas as nossas relações comerciais na Rússia e suspendemos todas as vendas diretas na Rússia. Também estamos preparados para cumprir sanções adicionais que possam ser implementadas.
A bravura e a resiliência do povo ucraniano, compreensivelmente, cativaram o mundo. Não há dúvida de que o SUSE se solidariza com o povo da Ucrânia e apoia os esforços globais para o fim das hostilidades."
 A saída de empresas como a Red Hat e Suse apresentam um efeito dominó na queda económica da russia uma vez que grandes serviços como SAP e Oracle (que também já deixaram o mercado russo) são fortemente comercializados através de tais distribuições.

Descobertas vulnerabilidades na parte de rede do Linux


    As falhas foram descobertas por Alexander Popov da empresa sediada em Londres Positive Technologies. Alexander Popov é um engenheiro de software que de 2012 á 2016 teve 14 patches aceitos  na mainline do kernel Linux. Este ano Alexander descobriu e corrigiu cinco brechas na implementação do virtual socket do kernel Linux (que apareceram quando o virtual socket multi-transport support foi adicionado) que permitiriam ser utilizadas para escalar acesso como root e derrubar servidores com um ataque DoS (Denial of Service).


 Apesar que Alexander descobriu as vulnerabilidades no Fedora Server 33, elas existem em qualquer distribuição que estiver utilizando o kernel Linux 5.5 em diante. Greg Kroah-Hartman aceitou os patches de ALexander a partir do kernel 5.10.13 no dia 3 de Fevereiro (que já foram incorporados em distribuições como Fedora 33, Red Hat Enterprise Linux (RHEL) 8, Debian, Ubuntu e SUSE).

SUSE Linux Enterprise recebe certificação SAP Endorsed App


SUSE e SAP fortalecem ainda mais sua parceria estratégica, reforçando a confiabilidade para implantação de soluções SAP com mais rapidez e eficiência

Nuremberg, Germany -  SUSE®, líder global em inovação de código aberto, anunciou que o SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP agora é um aplicativo aprovado pela SAP (SAP Endorsed App) e disponível no SAP® App Center. O SUSE Linux Enterprise Server demonstrou resultados comprovados e passou por testes da SAP, obtendo a certificação premium da companhia.

“A SUSE continua a fortalecer a parceria duradoura com a SAP e a dar aos clientes confiança para implantar soluções SAP com mais rapidez e eficiência”, disse Paul Devlin, diretor de atendimento ao cliente da SUSE. “O SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP é a plataforma Linux líder para soluções SAP HANA, SAP S / 4HANA® e SAP NetWeaver®, e o SUSE Linux Enterprise também é o sistema operacional de desenvolvimento para SAP HANA®. Estamos honrados por nossa solução ter recebido distinção como um aplicativo endossado pela SAP, o que nos levará a atender melhor nossos clientes em sua jornada de transformação para uma empresa inteligente. ”

O status de aplicativo aprovado pela SAP reflete muitos anos de parceria, inovação e de valor agregado aos clientes em comum. O aumento da co-inovação com SAP inclui o trabalho em contêineres Kubernetes gerenciados pelo projeto “Gardener”, um projeto de código-aberto baseado em SAP que atende às demandas do mundo real para gerenciamento de serviços Kubernetes em hiperescala, independentemente da infraestrutura. A co-inovação com “Gardener” reúne os melhores especialistas em SUSE e SAP em gerenciamento de contêineres para ajudar no desenvolvimento de ferramentas de implantação e integração de back-end para clientes locais.

“As inovações do ecossistema são essenciais para a visão da SAP e a consolidação de uma empresa inteligente”, disse Tom Roberts, vice-presidente sênior para soluções de parceiros da SAP. “Aplaudimos a SUSE por alcançar o status de aplicativo aprovado pela SAP com o  SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP.  O aplicativo foi submetido a intensos testes e medições contra soluções de referência, conquistando a certificação premium. A SUSE é um parceiro confiável e de longa data que compartilha nosso compromisso com os clientes e espero continuar nossa parceria”.

Os clientes transformam a forma como fazem negócios através das soluções SUSE e SAP. Por exemplo, uma empresa global de construção, engenharia e manufatura usa aplicativos SAP para pagar seus 46.000 funcionários com precisão e no prazo. A implantação da solução de alta disponibilidade integrada no SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP aumentou a disponibilidade para 99,995% para sistemas de banco de dados SAP HANA. Em quatro anos, a empresa experimentou apenas duas horas de paralisação não planejada.

Outro cliente, uma empresa multinacional de tecnologia da informação empresarial, redesenhou processos de negócios para aprimorar a experiência de clientes, parceiros e funcionários. Usando SAP S/4HANA em execução no SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP, a empresa conseguiu reduzir o número de aplicativos em uso em 50%, reduzir os pontos de contato em processos de vendas em 90% e aumentar sua receita de comércio eletrônico em 150%.

SUSE e SAP Endorsed Apps

O SAP Endorsed Apps  são aplicações certificadas como premium pela SAP com segurança adicional, testes rigorosos e medições de resultados comparados às soluções de referência. Os aplicativos aprovados destinam-se a agregar valor excepcional aos clientes.

O SUSE Linux Enterprise Server para aplicativos SAP 15 Service Pack 2 oferece novos recursos para simplificar a migração dos serviços SAP HANA e SAP S/4HANA para a nuvem e implementações híbridas por meio da instalação e configuração automatizadas da pilha de software completa, otimizada para desempenho e resiliência.

Para obter mais informações sobre a aliança da SUSE com a SAP e as soluções de cliente resultantes, visite: www.suse.com/sap.

Sobre a SUSE

A SUSE, a maior empresa de código aberto independente do mundo, possibilita a transformação digital com soluções ágeis de código aberto de nível empresarial, de ponta a ponta para a nuvem. Colaborando com parceiros, comunidades e clientes, a SUSE fornece e oferece suporte a soluções corporativas de infraestrutura e entrega de aplicativos para Linux, de nível corporativo, para criar, implantar e gerenciar cargas de trabalho em qualquer lugar - local, híbrido e multi-nuvem - com serviço, valor e flexibilidade e excepcionais.

Para mais informações, visite www.suse.com

Declarações Prospectivas

Quaisquer declarações neste comunicado à imprensa sobre expectativas futuras, planos e perspectivas para a empresa, incluindo declarações contendo as palavras "visa", "metas", "irá", "acredita", "antecipa", "planeja", "espera" e expressões semelhantes podem constituir declarações prospectivas e devem ser lidas com cautela. Os resultados reais podem diferir materialmente daqueles indicados por tais declarações prospectivas como resultado de vários fatores importantes, incluindo cenário competitivo, desenvolvimento de negócios com clientes, confiança em relacionamentos com clientes, gestão de crescimento e aquisições, a possibilidade de problemas de software não detectados, o riscos de impactos da pandemia Covid-19 e crises econômicas, pressões de preços e viabilidade da Internet. Além disso, quaisquer declarações prospectivas incluídas neste documento representam pontos de vista na data deste comunicado à imprensa e esses pontos de vista podem mudar. A empresa não tem nenhuma obrigação de atualizar suas declarações prospectivas. Essas declarações prospectivas estão sujeitas a alterações e não devem ser consideradas como representativas dos pontos de vista da Empresa em qualquer data diferente da data deste comunicado à imprensa.

Declaração Prospectiva da SAP

Quaisquer declarações neste comunicado que não sejam fatos históricos são declarações prospectivas, conforme definido na Lei de Reforma de Litígios de Títulos Privados dos EUA de 1995. Todas as declarações prospectivas estão sujeitas a vários riscos e incertezas descritos nos arquivos da SAP com a US Securities and Exchange Comissão, incluindo seu relatório anual mais recente no Formulário 20-F, que poderia fazer com que os resultados reais difiram materialmente das expectativas. A SAP alerta os leitores para não depositarem confiança indevida nessas declarações prospectivas, que a SAP não tem obrigação de atualizar e que falam apenas em suas datas.

Copyright 2021 SUSE LLC. All rights reserved. SUSE and the SUSE logo are registered trademarks of SUSE LLC in the United States and other countries. All third-party trademarks are the property of their respective owners.

SAP and other SAP products and services mentioned herein as well as their respective logos are trademarks or registered trademarks of SAP SE in Germany and other countries. Please see https://www.sap.com/copyright for additional trademark information and notices.

 
Lançado novo Minicurso de atributos no Linux

Longhorn estende recursos de armazenamento Kubernetes no SUSE


Longhorn estende recursos de armazenamento nativo do Kubernetes para dar suporte a implantações de ponta

Quando associado à Rancher, a versão mais recente de Longhorn permite que as equipes de DevOps gerenciem volumes de dados constantes desde o core da nuvem à borda

Nuremberg, Germany – 26 de janeiro de 2021 – A SUSE, líder global em real inovação de código aberto e proprietária da plataforma de gerenciamento de contêiner Rancher, comemora o lançamento do Longhorn 1.1. Longhorn é um projeto de Sandbox da CNCF (Cloud Native Computing Foundation) desde outubro de 2019. A partir de junho de 2020, quando passou a ser disponível de forma generalizada, a adoção do Longhorn aumentou em 235%, até se tornar um pilar do ecossistema de armazenamento de Kubernetes. Com esta versão mais recente, os usuários de Rancher agora podem aproveitar uma solução de armazenamento nativo de Kubernetes em hardwares de baixa potência na borda.

O Longhorn 1.1 permite que as equipes de DevOps gerenciem facilmente volumes de dados constantes em qualquer ambiente Kubernetes, ao mesmo tempo em que traz uma abordagem de nível empresarial, mas neutra para fornecedores, para o armazenamento nativo em nuvem. Com a última atualização, os usuários do Rancher podem conquistar mais resiliência em ambientes edge com suporte a ARM64, novos recursos de autocorreção e maior visibilidade de desempenho fornecida pelo Longhorn 1.1.

De acordo com previsões da Gartner, até 2025 cerca de 75% dos dados gerados por empresas serão criados e processados em borda - fora de um tradicional datacenter centralizado ou da nuvem. A estimativa representa um grande aumento comparado aos números de 2018, 10%. Com esse crescimento em mente, Longhorn 1.1 permite que os desenvolvedores criem aplicativos com segurança e armazenem dados em ambientes periféricos em dispositivos com recursos limitados.

O que há de novo no Longhorn 1.1?
O novo Longhorn atua em plataforma 100% aberta, focado em microsserviços e armazenamento nativo em nuvem para implantações de Kubernetes. O Longhorn 1.1 traz uma série de novos recursos e melhorias para equipes de DevOps empresariais, incluindo:

Robusto armazenamento nativo de Kubernetes em Edge
O Longhorn 1.1 estende os recursos de armazenamento nativo do Kubernetes para oferecer suporte a implantações de ponta. Ele foi projetado para ajudar as equipes a armazenar dados de maneira confiável, mesmo nos ambientes mais hostis e com recursos limitados. Ele também vem com suporte para ARM64 - um dos recursos mais solicitados pela comunidade.

Impulsionando o desempenho eficiente do contêiner
Melhorar a eficiência de maneira consistente é sempre a prioridade dos usuários na comunidade K8s. Provavelmente uma introdução popular, o Longhorn agora oferece suporte ‘ReadWriteMany’ em contêineres, dando aos desenvolvedores uma solução de armazenamento persistente eficiente que permite que volumes sejam lidos e gravados em vários contêineres a qualquer momento. Ao contrário das metodologias "ReadWriteOnce", o Longhorn 1.1 permite que as equipes compartilhem o armazenamento de volume entre paths e nodes diferentes.

Visibilidade aprimorada e suporte de operações
O Longhorn 1.1 traz melhores insights e funcionalidades para a infraestrutura de armazenamento de uma organização. Com o novo suporte integrado para o Prometheus, os usuários agora têm métricas em tempo real da integridade do armazenamento (monitoramento, uso de recursos, rastreamento etc.). O suporte garante uma visão muito mais detalhada do desempenho do cluster e, através do novo suporte para CSI Snapshotter, podem criar ou restaurar backups via ‘kubectl’.

Manutenção otimizada
Outra novidade do Longhorn 1.1 são os recursos aprimorados de manutenção de nós. O Longhorn agora oferece suporte às operações de drenagem de Kubernetes para ajudar os usuários com o desempenho seguro da manutenção. A versão 1.1 também possui a capacidade de reconhecer os discos existentes em um novo nó - o que fornece um melhor ambiente operacional para provedores em nuvem.

Maior resiliência
No topo da lista de prioridades para a maioria das empresas está a mitigação de problemas de rede. Um novo recurso de localidade de dados foi introduzido com o Longhorn 1.1 para aumentar a resiliência em condições de rede instáveis (por exemplo, em cenários de borda). Esse novo recurso manterá uma réplica de armazenamento local para a própria carga de trabalho, garantindo que, mesmo se o nó perder temporariamente a conectividade de rede, o acesso ao armazenamento nunca será perdido.

O Longhorn 1.1 é muito mais simples do que outras soluções de armazenamento definido por software com o objetivo de fornecer armazenamento rápido e confiável para a maioria dos casos de uso, sem o inchaço de abordagens legadas.

Para comprovar a nova experiência, os usuários Rancher podem instalá-lo diretamente do catálogo de aplicativos. O Longhorn também é gratuito para download e uso, mas os clientes que procuram suporte podem adquirir a versão premium com os mesmos SLAs fornecidos pelo Suporte da SUSE. Não há taxas de licenciamento e o preço da assinatura baseada em nós mantém os custos o mais baixo possível.

Recursos

  • Saiba mais sobre armazenamento persistente, construído com CNCF Sandbox Project Longhorn aqui.
  • Obtenha detalhes técnicos sobre o Longhorn 1.1 aqui.
  • Saiba mais sobre a plataforma de gerenciamento Kubernetes da SUSE, Rancher, em rancher.com.
  • Interessado em certificações Rancher? Visite a Rancher Academy.

Sobre a SUSE 
A SUSE, a maior empresa de código aberto independente do mundo, possibilita a transformação digital com soluções ágeis de código aberto de nível empresarial, de ponta a ponta para a nuvem. Colaborando com parceiros, comunidades e clientes, a SUSE fornece e oferece suporte a soluções corporativas de infraestrutura e entrega de aplicativos para Linux, de nível corporativo, para criar, implantar e gerenciar cargas de trabalho em qualquer lugar - local, híbrido e multi-nuvem - com serviço, valor e flexibilidade e excepcionais.  

Para mais informações, visite www.suse.com

Declarações Prospectivas
Quaisquer declarações neste comunicado de imprensa sobre expectativas futuras, planos e perspectivas para a empresa, incluindo declarações contendo as palavras "visa", "metas", "irá", "acredita", "antecipa", "planeja", "espera" e expressões semelhantes podem constituir declarações prospectivas e devem ser lidas com cautela. Os resultados reais podem diferir materialmente daqueles indicados por tais declarações prospectivas como resultado de vários fatores importantes, incluindo cenário competitivo, desenvolvimento de negócios com clientes, confiança em relacionamentos com clientes, gestão de crescimento e aquisições, a possibilidade de problemas de software não detectados, os riscos de impactos da pandemia Covid-19 e crises econômicas, pressões de preços e viabilidade da Internet. Além disso, quaisquer declarações prospectivas incluídas neste documento representam pontos de vista na data deste comunicado à imprensa e esses pontos de vista podem mudar. A empresa não tem nenhuma obrigação de atualizar suas declarações prospectivas. Essas declarações prospectivas estão sujeitas à alterações e não devem ser consideradas como representativas dos pontos de vista da Empresa em qualquer data diferente da data deste comunicado à imprensa.

Microsoft e SUSE trabalham em Kernel Linux otimizado para o Azure

um close up de um logotipo
Suse e Microsoft
 Foi publicado no site Microsoft Tech que a Microsoft e a Suse fecharam uma parceira para trabalhar no desenvolvimento de kernel Linux Enterprise otimizado para o Azure
Curse Preparatório para Certificação Linux LPIC-1 e CompTIA Linux+
 Esse kernel proporcionará melhor desempenho e menos consumo de memória, ganho em rede e redução na latência além de oferecer serviços de redução de custo e gerenciamento de complexidade.

 Por hora é só o que temos de informação. Vamos ver o que vem por aí.

Conheça a distribuição Regata OS

Regata OS
Regata OS
 Esta semana tivemos uma live com o pessoal da distribuição Regata OS. Para quem não sabe do que do que se trata, Regata OS é uma distribuição Linux focada em iniciantes em computadores pessoais (fortemente focada em usuários de Windows e Mac OS X), criadores de jogos e gamers. Vale mencionar que o Regata OS tem a sua base a distribuição Open Suse Leap e faz uso de pacotes Rolling Release.


 Foi uma live muito boa e muito interessante. Eu mesmo acabei conhecendo bastante sobre o projeto e me impressionei com o avanço e empenho que a comunidade tem. Há recursos que quero aqui mencionar que o Josué comentou comigo depois no bastidores e quero compartilhar com vocês; mas caso ainda não assistiu a live, confira abaixo.


 Um desses recursos foi que o Josué adicionou o o aplicativo Blizzard Battle.net na loja para as pessoas instalarem de maneira mais fácil jogos como Overwatch, Diablo III e Heroes of the Storm. No caso, se seu hardware tiver suporte a Vulkan, o DXVK é habilitado; caso contrário será habilitado o OpenGL.

Regata OS Store
Regata OS Store
 Existem outras configurações automáticas também que parecem apps nativos. Isso também tira a necessidade de usar um aplicativo de terceiro como Lutris ou playonlinux. É como um Steam Play da vida, onde você só instala e joga, sem ter que lidar com configurações.


 É muito legal ver uma distribuição Linux nacional que inclusive tem forte aceitação na Europa. Este artigo é para fazer o convite a todos a baixar e testar a distribuição, contribuírem da forma que puder, seja um beta tester da distribuição no estilo bazar como descrito no livro A Catedral e o Bazar (está aí até uma dica de leitura) e se for desenvolvedor, contribua com patches. Espero poder ver essa distro ganhar mais adesão :)

Kernel 4.21 trará novos recursos, melhorias e correções ao Btrfs

Suse e Btrfs = <3
Suse e Btrfs = <3
 Noticia de ultima hora sobre o Btrfs; o desenvolvedor David Sterba da Suse enviou patches para a comunidade Linux (e que foram aceitas) que trarão novas melhorias, novos recursos e correções de bugs ao sistema de arquivos. 

Dentre os novos recursos estão o suporte a swapfile que,  mesmo que pareça ter demorado, é que como mencionado no vídeo sobre fragmentação de arquivos, foi um longo trabalho para não gerar conflito com as limitações que exitem onde o COW (Copy On Write) não trabalha bem as implementação de swap (nodatacow file, no compression, não pode ser snapshotted, não há possibilidade em múltiplos dispositivos e etc ...) e que mesmo é mais restrito, funciona bem e pretendem melhorar tal recurso no futuro. Tenho que fazer a observação que não adianta culpar o sistema de arquivos por conta disso, se o Btrfs for ruim por conta disso, o ZFS também é... Sistemas de arquivos COW são feitos pensados no futuro.

 O metadata uuid que é um recurso opicional para utilizar um novo UUID de file system (coisa que eu gosto muito de utilizar) sem sobre-escrever todos os blocos de metadados, armazenando somente no superbloco. E tem também as mensagens mais balanceadas não exibidas e enviadas ao log do sistema que, inicialmente é no formato de linha de comando.

 Das principais alterações e melhorias estão como exemplo o código mais limpo; as melhorias nas remoções de código new-dead fsync; o inding free extent foi separado e fornece uma base para cleanups melhor, mais lógica e mais compreensível; remoção de callbacks indiretas para dados e metadados; simplificação do refcounting e locking para extent buffers clonados; definição do converted para enums aonde forem apropriados entre outras alterações.

 Já na parte de bugs, houveram um total de sete correções envolvendo tag pages de snapshots, a parte de verificação do sistema de arquivos durante o processo de scan; correção do fsync de arquivos e do race do send e muitas outras.

 Todos os novos recurso, melhorias e correções podem ser conferidos nos links abaixo.
Cursos na Udemy

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (16) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)