Mostrando postagens com marcador google. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador google. Mostrar todas as postagens

Fim do Android porque Linux não é seguro e tem vários problemas... Sei, conte-me mais.

Android chegando ao fim
Adeus Android
 Fuschia (pronuncia em inglês Fúishá) é o sistema operacional da empresa Google baseado no micro-kernel Zircon que por sua vez é baseado no micro-kernel Little Kernel e que possui como foco os dispositivos embarcados. O interessante é que o Little Kernel está no boot do Android com o nome de lk e também no seu Trusty TEE. É, o Little Kernel já é presente há mais tempo do que imaginam. Já pensou se os caras entram na mesma briga desnecessária que o GNU por simples questão de nome???... Além do mais, se reclamarem de segurança e baixo desempenho do  Android, pode ser culpa do Little Kernel também (há vários fatores a serem analisados).
Para saber mais sobre micro-kernel, suas vantagens e desvantagens, leia meu artigo sobre os 5 diferentes modelos de kernel bastando clicar aqui. Eu estou sempre atualizando-o com novas informações.
O nome Fuschia é o nome da cor vermelha púrpura viva dada a algumas flores (por que escolheram esse nome, eu não faço ideia). O Fuschia possui suporte as arquiteturas X86 e ARM e seu código está (com exceção dos programas de terceiros) sob as licenças BSD, Apache2/.0, MIT e Zlib.

Talvez seja isso o que leve todos a pensar que o Fuschia substituirá o Android; mesmo suporte a arquiteturas, mesmas licenças do user-space do Android (e mais atraente sendo presente até no seu kernel). Não a tamanha bobeira que ouvi sobre Linux não ser customizável, não ser seguro e ter muitos problemas problemas.
Diagrama do sistema operacional Fuschia
Arquitetura do sistema operacional micro-kernel Fuschia
Depois que assisti o vídeo com tamanha bobeira, eu não exitei em responder ao canal que até hoje não me respondeu:
minha resposta no vídeo em questão
minha resposta no vídeo em questão
Como mencionei no comentário, a Microsoft mesmo adotou Linux exatamente por questão de segurança, confiabilidade e ser pequeno. Cheguei a debater na época do lançamento com pelo menos três vídeos no canal e um artigo no blog e que podem ser conferidos clicando neste texto.

 Então, aqui vai o vídeo onde debato o vídeo em questão:

Aproveitando que estamos falando sobre segurança, há um guia sobre criptografia no Android no site Pixel Privacy que vale a pena ser conferido bastando clicar aqui.
 Mais uma coisa que foi dita é que o Fuschia é um sistema mais robusto. Eu duvido que, se tratando de sistema operacional, muita gente entenda do que se trata robustez (o que na verdade não foge das leis da física e biologia. Geralmente é assim, a tecnologia imita a natureza). Já ouvi muita gente até mesmo pessoas empregarem a palavra robustez para se referir a um sistema pesado (mal sabem eles que é o oposto do que dizem). sistemas como Linux e BSDs são sistemas que já atingirem a robustez em vários aspectos.

Se o Google realmente estivesse pensando em substituir o Android pelo Fuschia por Linux não ser seguro e ter um monte de problemas (esse é o ponto chave da conversa), o Google não teria entrado para os membros Platinum (maior categoria de membros) da Linux Foundation depois da Microsoft, não teria investido $?? Milhões no KaiOS que é uma distribuição Linux baseado no antigo FirefoxOS, não estariam trabalhando no desenvolvimento do LinuxBoot, o toybox não  estaria em contínuo desenvolvimento.


Não acredito que o Fuschia tem como objetivo principal substituir o Android. Por que não especularam isso quando o Google lançou o ChromeOS? Não sabiam que o ChromeOS era Linux também. Mas se o Fuschia vai realmente substituir o Android ou não, isso somente o tempo dirá e prefiro esperar o Google dizer ao invés de ler sites afirmando somente a possibilidade.

O que me intriga não é se irão substituir o Android ou não e sim dizer que Linux não é seguro e tem vários problemas. Tanto que chega a ser contradizente já que por um lado o Google trabalha no desenvolvimento do Fuschia e por outro trabalha no desenvolvimento de outros projetos Linux. Mas eu gostaria até mesmo de dar uma sugestão aos que gostam de ficar especulando a respeito do Linux fingindo entenderem o que estão falando:
Fechem os canais e blogs de vocês. Como vocês podem confiar em ter seus canais e blogs rodando em um sistema que não é seguro e tem um monte de problemas? Fica a dica.

O que as empresas usam?

Google, Facebook, Twitter e Dropbox
Google, Facebook, Twitter e Dropbox

Beleza galera? Em uma conversa, o Jan Palacha e eu resolvemos debater quais tecnologias são utilizadas pelas empresas. Achamos interessante a ideia e vamos falar sobre seis empresas dividindo em dois artigos. É difícil afirmar todas as tecnologias adotadas por uma empresa, mas aqui daremos uma base.

A ideia é mostrar aos inscritos a necessidade de ser flexível ao adotar alguma tecnologia a ser implementada (e não ser movido unicamente por paixão). O Jan mostrará a parte de desenvolvimento e eu a parte de sistema operacional. Bora pro debate.

Google

O google começou usando a linguagem Python e C++. E ao que me consta usaram/usam Linux e Solaris em suas infraestruturas. O youtube que virou um produto do conglomerado Google, foi inteiramente escrito em Python, com alguns tricks de C para comportar performance.
De acordo com Documentos do Google, seus servidores foram migrados de Red Hat Enterprise Linux para um Debian modificado pela própria empresa. A migração ocorreu devido a custos; o Google criou uma empresas responsável por cuidar dela mesmo prestando todo o suporte. O Google utiliza várias versões de Linux; o ChromeOS dos Chromebooks por exemplo é uma versão modificada do Gentoo Linux com o kernel vanilla, temos o Android que possui o kernel Linux e nada de programas GNU ou sob licença GPl em seu user space, e há uma versão de ubuntu rodando nas estações de trabalho do Google:

Dropbox

Como eles costumam dizer, 99% do seu código é Python. Porém, como é sabido, Python tem performance apenas “boa”, não é nada espetacular. Então para suprir certos requisitos, eles escreveram alocadores de memória customizados em C e integraram na linguagem.

Facebook 

O chat do facebook que utiliza C++ em conjunto com Erlang na arquitetura de seu chat de mensagens. Inclusive o whatsapp é todo escrito em Erlang. Foi comprado pelo facebook alguns anos depois de criado.O facebook por si só não utiliza apenas estas tecnologias, deve ter Java, C++, Python certamente pois eles foram os criadores do non-blocking web server Tornado (http://www.tornadoweb.org/en/stable/), que também é usado extensivamente em projetos internos.
De acordo com Chriss Masson (autor do BTRFS e que trabalha dentro do Facebook), quase tudo no Facebook é Linux:

Whatsapp

Já foi citado acima.
O Whatsapp começou com FreeBSD devido seu criador seu forte adepto ao sistema operacional. Após a compra pelo Facebook, houve uma forte migração de FreeBSD para Linux (mas os antigos servidores FreeBSD ainda estão ativos). O criador do Whatsapp doou US$1.000.000,00 para a comunidade FeeBSD.

Linus Torvalds ganha o desktop: Chromebooks superam vendas de Macbooks nos Estados Unidos


 Eu já tinha a ideia de escrever um artigo sobre a minha visão sobre o Android (acho que ele seria uma opção interessante para desktop). Foi daí que eu li essa noticia.

Linus Torvalds ganha o desktop: Chromebooks superam vendas de Macbooks nos Estados Unidos

 As vendas de PCs continuam a declinar, mas no primeiro quadrimestre de 2.016 os Chromebooks superaram as vendas dos Macbooks no Estados Unidos de acordo com o analista Linn Huang da IDC.

 Linus ainda mencionou em seu perfil do G+
Hey, ou o Macs não conta muito no desktop, ou podemos ter que finalmente estender o "ano do Linux desktop" piada para descansar.
 Um leitor comentou em seu post que o Chrome OS é um navegador, não um desktop. Boa coisa, mas não a mesma de fato.

 Linus respondeu de volta que não é exatamente do mesmo jeito que os PC's não eram "computadores reais" quando eles começaram a mostrá-lo?

The whole "it's not the same thing" is simply not an argument. Of course it's not the same thing. Computing changes all the time.”

 Linus afirmou que o PC está mudando. Ele tem mudado, e os Chromebooks estão are oferecendo o que uma maioria de usuários precisam.

 O argumento de que o Android não é Linux domina até mesmo lá fora. Lá, parece que a coisa vai mais além; o pessoal afirma que o Chrome OS também não é Linux (mesmo sendo baseado no Gentoo com o kernel Vanilla).

Confiram o meu artigo sobre o Funtoo onde menciono sobre o Chrome OS e o vídeo sobre o Android onde busco esclarecer sobre esse boato:


 Todos os dispositivos rodando Ubuntu, Chrome OS, Android ou Tizen é um dispositivo baseado em Linux. Qualquer OS que utiliza o kernel Linux é um sistema operacional Linux. A userland pode ser diferente; o empacotamento do sistema operacional, dependendo do que público alvo, pode ser diferente. Mas isso não muda o fato de ser Linux.

LinusTorvalds 2016 no TED

 Galera, esse artigo é somente um aviso sobre o vídeo do Linux no TED. Eu ia disponibilizar mais  outros dois vídeos sobre o Linus (vídeos curtos, coisa de um minuto e meio), mas notei que tem muita gente ainda assistindo esse vídeo e não quero ser um estraga prazeres. Então, prefiro deixar este vídeo por mais um tempo e depois disponibilizo os outros. Ok?
 Agradecimento especial ao Flávio por ter revisado o texto para mim.
 Então, aguardem os outros e enjoy this one :-)


Assunto Games da semana

Essa semana tivemos três vídeos sobre games, quarta parte do assunto Games onde tratamos de GPUs, a Valve junto a Linux Foundation e o terceiro é exatamente uma pergunta feita no vídeo sobre o Steam Controller.

Assunto Games da semana

 É, resumo do Tux está um pouco difícil porque ando muito ocupado, galera. Bom, eu concentro mais esforços no meu canal do que no blog, o blog acaba sendo algo complementar; mas o motivo que escrevi este artigo foi mais devido a este vídeo:


 É recebi alguns alguns deslikes nele (vai entender), mas tudo bem. Nele surgiu a pergunta se o Steam Controller funcionava no Debian. E não é que a curiosidade dele despertou a minha também?
 E foi aí que eu fiz algumas pesquisas e descobri que sim. Não demorou para que eu as encontrasse e fiz este vídeo:


 Eu espero que com isso eu consiga ter contribuído com mais alguma coisa para o comunidade. A Valve, como puderam acompanhar nesta série "Assunto Games", vem contribuindo fortemente para o avanço do Linux nos consoles. Foi por essa razão que postei o vídeo do Steam Controller (que graças a ajuda da Valve a SDL teve avanço) e postei também sobre a Valve na LinuxCon:


 Essa não foi a única contribuição da valve nesse aspecto. A Valve também contribuiu para o Linux fazendo com que as empresas fabricantes de GPU dessem uma turbinada nos drivers de vídeo do Linux (embora Hollywood tinha feito um pouco disso no passado também para poderem produzir Titanic e continuar produzindo filmes hoje, mas isso mais em drivers específicos que ela utilizava, não necessariamente nos domésticos).

 Então, para quem não assistiu ainda o quarto episódio de "Espaço aberto: Assunto Games", onde tratamos sobre a parte técnica de GPU. Fica o vídeo abaixo (não esqueça de largar aquele like firmeza para nozes :)



Shell Linux. Do aprendiz ao Administrador por Tales Araújo Mendonça e Bruno Gonçalves Araujo

Galera, dá um liga no livro que ganhei: Shell Linux. Do aprendiz ao administrador por Tales Araújo Mendoça e Bruno Gonçalvez Araujo.

Shell-Linux.-Do-aprendiz-ao-administrador-por-Tales-Araújo-Mendoça-e-Bruno-Gonçalvez-Araujo

Bruno Gonçalvez Araujo é pós-graduado em software livre, colaborador de diversos aplicativos Linux (mais de uma década de de dedicação ao software livre), criador e mantenedor do projeto BigLinux, criador do site BigBusca.com, idealizador do projeto BigBashView, idealizador do União Livre e contribuinte do Kaiana Linux.
Tales Araújo Mendoça é Bacharel e analise de sistemas com quase 20 (vinte) anos de experiencia com o sistema operacional GNU/Linux e diversas contribuições para a comunidade de software livre.
 confiram seu site pessoal: talesam.org
  Foi o Tales que aparece nos agradecimentos da retrospectiva Linux 2015 que é um dos autores acima mencionado:


 Este livro em breve estará disponível na Diostore. Tales, em parceria com seus amigos, é também autor de outros livros como "GNU/Linux – Aprenda a Operar o Sistema na Prática" e "Linux - Simplicidade ao seu alcance".

Pow, e não é que o cara ainda me manda com uma dedicatória? Se liguem na foto abaixe e aguardem que farei um vídeo em breve sobre esse novo livro. :-)


dedicatória-do-tale

 Caso queiram conferir, o primeiro livro escrito pelo Tales está disponível para download no link abaixo; é antigo, mas ainda quebra um galho:

Bastidores do pinguim

 Bom, como todos sabem, fiz um vídeo contando a história do Tux:


 O mano Diolinux também escreveu o artigo complementar que pode ser conferido no link abaixo:
http://www.diolinux.com.br/2015/09/qual-a-origem-do-tux-o-pinguim-do-linux.html

Então, vamos a mais detalhes de toda a história.

Bastidores do pinguim



Mencionei que o artista do Tux foi Larry Ewing, porém não mostrei seus desenho. Então, aqui estou eu fazendo tal, que seriam esses:



E com o tempo foi se tornando a que conhecemos hoje:
 Lembram que mencionei que o a Linux Foundation chegou a fazer as tiras cômicas em que o Tux é o traje de ironman? Pois é, confiram então essas tiras traduzidas por mim mesmo hehehe
Nela Linus é o Tony Stark que se comunica com o Jarvis utilizando o Google Glass (ressalto que não utilizo ferramentas tradutoras para traduzir qualquer coisa, pois eu não haveria mérito no trabalho que faço e não se pode confiar totalmente em ferramentas de tradução):

googles-17th-birthday-6231962352091136-hp
 Não bastando isso, hoje o Google está comemorando o 17º Aniversário do Google. E o convidado especial para essa festa é o próprio Tux. Confiram só a imagem abaixo postado no próprio Google:


 Espero que tenham gostado das tirinhas, somente para descontrair.

Obs.: A primeira tira foi revisada por Henrique Secundo, que notou que estava escrito disitivos ao invés de dispositivos. Obrigado pela Força Henrique. Tenho que agradecer ao Gabriel do Rio Grande do Sul também, que sempre faz essas revisões para mim.
 Faça como o Henrique. Viu algum erro? Reporte a nós.
 Obrigado a todos :-)

Apresentação



Conheça o Projeto "Toca do Tux"


 E aí galera, beleza?

 Meu nome é Gabriel; sou analista bilíngue com experiencia em ambientes Unix [Linux (jogando a real mesmo, antigamente eu mantinha aqui a frase "ou GNU/Linux; seja como for que quiser chamar o sistema". Mas esse argumento é totalmente errado e prevalece nas comunidades Linux. Mais informações podem ser conferidos na minha série Muito além do GNU), HP UX, AIX, Solaris, FreeBSD, Mac OSX]. Sim, o Mac OSX é um sistema que possui kernel FreeBSD,porém um kernel hibrido, uma mescla do kernel monolítico FreeBSD com o microkernel Mach; kernel da Universidade Carnegie Mellon e utilizado no laboratório de pesquisa de Apple (mesmo kernel utilizado pelo projeto GNU que erroneamente o chamam de Hurd). Por isso seu kernel se chamar Darwin e seu sistema ter um ornitorrinco como mascote que usa um chapéu de demônio e um tridente  (fazendo assim referencia ao sistema FreeBSD, promovendo que seu sistema é um Unix).

Bestie: Mascote do FreeBSD
 Sou também tradutor, interprete, professor de Inglês e de informática.
 Participo do Diocast, o que para mim é muito satisfatório, ainda mais com a equipe que temos hoje. Kewer, Jean Hanusch, Luiz Felipe.
 Também possuo um manual para administradores de sistemas Unix chamado Caixa de Ferramenta do Unix. Quem quiser contribuir com esse projeto na revisão da ortografia e de comandos, eu agradeço muito e seu nome ganhará destaque no manual :-).
Hexley: Mascote do Mac OSX

 Meu foco aqui não será sobre outros sistemas a não ser o Linux, embora acabarei abordando outros por conta da experiencia passada, presente e futura, desmistificando coisas erradas.
 Antigamente eu possuía um blog chamado Linux Tech Hacks (antigamente Linux Tech Tips), mas fui aconselhado pelo Dionatan Simione, um grande amigo meu a escolher outro nome, pois Linux Tech Hack ficava um pouco difícil de lembrar. Foi aí que eu tive a ideia do nome toca do Tux (como se pinguim vivesse em toca né), mas essa é a ideia; a ironia do nome faz com que as pessoas não esqueçam do nome do blog (ou do canal no Youtube:youtube.com/tocadotux e o perfil no http://www.tsu.co/tocadotux ou o achem complicado.

 O Blog Linux Tech Hacks ficava jogado as traças pela falta de tempo; tinha dois empregos e contribuía para uma rede social Linux que por fim acabei me desvinculando. 
Hoje, com mais tempo de sobra e com maior foco, pretendo me concentrar no meu blog, no meu canal e no Diocast (que é um projeto que acredito muito e tenho visto bastantes resultados) na disseminação de conhecimento (se me trouxer retorno até mesmo financeiro, acaba sendo melhor. Desta forma poderei gerar mais conteúdo para todos).

 Muito obrigado a todos que tem me ajudado (também ao Dexter) e a todos que contribuem com a leitura e compartilhando conhecimento.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (15) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)