Lançadas novas versões das ferramentas do projeto Skarnet


A Skarnet desenvolve várias ferramentas para Sistemas operacionais Unix (e unicamente unix)  como a S6 (pronuncia-se Six, seis em inglês) ou para serem utilizadas em conjunto a tais como a SystemV ou OpenRC agregando-lhes mais recursos. Para colocá-las a prova, o próprio site da Skarnet roda sobre uma distribuição Linux desenvolvida e mantida pelo proprio projeto fazendo uso tais ferramentas.

 A base dessa distribuição (como descrito no próprio site) é o kernel Linux, a biblioteca musl, o terminal Busybox e suas ferramentas. Vale notar que o proprio projeto descreve que as unicas ferramentas GNU que são utilizadas são o GCC e o Make por motivos de compilação e mais nada (muito além do GNU é um processo natural). Suas ferramentas estão sob dominio publico ou algum tipo de BSD.
curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 Foram lançadas novas versões com novos recursos como a biblioteca skalibs-2.9.0.0 (a principal de toda a pilha skarnet sendo o maior lançamento com dois novos recursos) com algumas funções de baixo nível que foram reescritas de simplificadas e mais eficientes. Um dos dois novos recursos é o de Cross-compilation mais fácil. Git do projeto.

 O  s6-svscan e o s6-supervise do s6 receberam melhorias na parte de mudança repentina que podem ocorrer no tempo de inicialização (tipico de sistemas embarcados que não possuem um clock de hardware persistente) e correções de bugs. Os programas do s6-fdholder-*c  foram removidos por  mal terem sido utilizados, o que não justifica o espaço que estavam ocupando. Git do projeto.


Lançado LLVM 9.0.0

Linux e o LLVM
Lançado LLVM 9.0.0
 LLVM é a coleção de compiladores que tende a substituir o GCC no Linux (gostemos ou não) sendo já adota pelo Android (O Android é todo compilado com o LLVM), Debian (de mais 50 mil pacotes, 32.757 foram compilados com o LLVM e somente 1314 apresentaram falha (4 %)),  o Open Mandriva (quase 100% do Open Mandriva) e o Fedora está tomando o mesmo rumo. Fora as distribuições Linux, outros sistemas operacionais também já o adotam como o MacOS X (sendo uma das pioneiras no seu uso), o FreeBSD, o TrueOS e o DragonflyBSD (tendo suporte a ambos compiladores). Em Março foi lançada a versão 8.0.0 e como de costume, a cada seis meses é lançada uma nova versão.
curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 Foi anunciado no 19 de Setembro o lançamento da versão 9.0.0 do LLVM (um trabalho que levou seis meses depois do ultimo lançamento). Nesse lançamento foi adicionado suporte a asm goto, habilitando para construir a mainline do kernel Linux para x86_64 com o Clang, RISCV agora construído por padrão (não é mais experimental), suporte experimental a C++ para o OpenCL. Correções de bugs, otimizações e melhorias no diagnósticos.

Lançado Funtoo Linux 1.4

Resultado de imagem para funtoo linux
Funtoo Linux
 Funtoo Linux é uma distribuição source based baseada no Gentoo que foi desenvolvida por Daniel Robins (sim, o mesmo criador do Gentoo Linux) visando trazer melhorias à distribuição. Uma vez que tais melhorias foram rejeitadas pela comunidade Gentoo Linux, Daniel Robins decidiu colocá-la em pratica em sua nova distribuição.
curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 Foi lançado recentemente a versão 1.4 que traz como novidades a atualização para o gcc 9.2.0; testes e correções de dependências e kernels debian-sources e debian-sources-lts sendo o lts utilizado agora como padrão para poder utilizar o "custom-cflags" que dará um kernel mais otimizado (as configurações -march de sua subarch mix-in serão aplicadas a sua compilação do kernel, o que aparenta melhorias no desempenho).

 A equipe espera poder dar inicio agora na versão 2.0 dentro de um mês. Enquanto isso, acompanhe um pouco sobre o Gentoo e o funtoo na série os vários sabores de Linux:

Criando seus Próprios Jogos com TIC 80 e Lua! - Parte 14

Criando seus Próprios Jogos com TIC-80 e Lua! - Parte 2
Criando seus Próprios Jogos com TIC 80 e Lua! - Parte 14

Já vou avisando que este vídeo não saiu perfeito pessoal, mas na mesma é possível para vocês entender a lógica da coisa, qualquer dúvida, por favor, coloquem nos comentários ou no grupo do telegram e eu responderei o mais rápido possível ok? Neste vídeo eu mostro como retornar para o menu principal do jogo depois de um game over!



Mais sobre criação de seus próprios jogos com TIC e Lua
NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.
NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.

Microsoft trará suporte exFAT para Linux

Microsoft trará suporte exFAT para Linux
Microsoft trará suporte exFAT para Linux
 Dia após dia a Microsoft anuncia algo novo para o Linux, cada vez mais ela mostra que realmente ama o Linux e eu vou acompanhando a medida que possível.

 Foi anunciado no dia 28 de Agosto pela Microsoft o suporte ao sistema de arquivos exFAT no kernel Linux. Daí você deve estar pensando: "Grande coisa, o kernel Linux já possui suporte ao exFAT. Então para que a Microsoft anunciou esse suporte?"
exFAT no Linux
exFAT no Linux
 E de fato há suporte no Linux ao exFAT; Linux é o sistema operacional com o maior suporte a sistema de arquivos no mundo. Mas o suporte a exFAT no Linux ocorre via FUSE, não de forma nativa, essa é a diferença. Como descrito em sua man page (man 8 fuse), o FUSE (File System in User Space) é na verdade uma interface simples para o user space que exporta um sistema de arquivos virtual para o kernel Linux. Apesar de fornecer uma certa segurança, uma degradação de desempenho ocorre através desse método. E é aí que entra a vantagem de se ter suporte nativo ao sistema de arquivos.
curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 E para que a gente iria querer suporte a tal sistema de arquivos no Linux? Bom, o exFAT é utilizado em vários tipos de mídias de armazenamento como cartões SD flash USB. Com isso, as distribuições poderão incluir suporte ao sistema de arquivos sem se preocupar com problemas de patentes, distribuições como Android poderão trabalhar melhor e as empresas (incluindo a Microsoft. Por que não? Uma mão lava a outra) vão se beneficiar podendo trabalhar melhor em tais dispositivos.

 A microsoft tornou publica as especificações técnicas do exFAT (que é o que mais interessa para a comunidade Linux do que ficar exigindo o acesso ao código fonte).


Wayland receberá proxy transparente para as suas aplicações

Wayland receberá proxy transparente para as suas aplicações
Wayland receberá proxy transparente para as suas aplicações
 No Google Summer of Code foi anunciado o desenvolvimento da ferramenta Waypipe, um proxy transparente para as aplicações do Wayland que pode ser utilizada de forma parecida com o ssh-X. Porém, diferente do protocolo X, somente parte dos dados são necessários ser transferidos para exibir uma aplicação ao invés de todo o montante de dados.

curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 Ainda há trabalhos sendo realizados como correção de bugs, limpeza de código, adição de melhor suporte ao procolo e tentativa de implementar novos recursos. Esse novo recurso promete evitar que erros que ocorrem no X11 (como quando o ssh tunel quebrar, o Waypipe pausa o conexão do serviço no compositor Wayland até que um novo transporte seja fornecido). Para jogos online é uma boa ideia utilizar o Waypipe em compressão de vídeo para tornar o processo mais rápido (podendo até dobrar a quantidade de FPS e reduzir o uso de banda).


 Além de jogos, foram testados os programas Alacritty (com winit), kitty (com GLFW), Termite (com GTK3), weston-terminal (GTK3), Konsole (com Qt5) Firefox (a maior parte do GTK3 e que está recebendo correções de bugs devido uma quebra), SuperTux (com SDL2), SuperTuxKart (sem toolkit) e o VLC (a maior parte em Qt5 e que deu uma quebrada ao commitar um xdg_surface).

Todos os detalhes do Waypipe podem ser conferidos clicando aqui.
https://mstoeckl.com/notes/gsoc/blog.html
https://lists.freedesktop.org/archives/wayland-devel/2019-June/040687.html
https://gitlab.freedesktop.org/mstoeckl/waypipe/