Lançado Alpine Linux 3.11.3

Lançado Alpine Linux 3.11.3
Lançado Alpine Linux 3.11.3
 Como sempre antes de começar (e antes que alguém me pergunte o que é Alpine Linux), vamos para o arrebento... Alpine Linux é uma distribuição segura, pequena e leve que faz uso da musl como biblioteca C no lugar da GlibC e do Busybox como terminal no lugar do Bash. Outras distribuições já passaram a adotar a musl como biblioteca C padrão assim como o Alpine e há até mesmo planos para o Debian fazer o mesmo (como já houve no passado). Há outras características do Alpine Linux que podem ser conferidos no vídeo da série Os vários sabores de Linux.


 Esse lançamento trata-se mais de uma versão de correções de bugs, de segurança e de incompatibilidades; mas há uma coisa que eu não quis deixar de mencionar. Apesar de Linus Torvalds já ter explicado para não adotar o ZFS devido a incompatibilidade entre as licenças do kernel e o sistema de arquivos, Linus afirma que você pode utilizar por sua conta e risco.
Vídeo no canal e artigo no blog essa semana que pode ser conferido clicando aqui
 E parece que é exatamente isso o que Natanael Copa fez pois neste lançamento eu descobri que Natanael Copa agora mantem uma versão LTS do ZFS na main line no kernel 5.4.12-r1. Se vai dar 3#r?@ ou não, a gente vai descobrir com o tempo. Foram mais de 70 correções e que podem ser conferidas clicando aqui.

Linus Torvalds afirma para simplesmente não utilizem o ZFS.

Linus Torvalds afirma para simplesmente não utilizem o ZFS.
Linus Torvalds afirma para simplesmente não utilizem o ZFS.
 ZFS é mais do que um sistema de arquivos, sendo estendido ao um Volume Manager e um controlador de RAID. Fortemente cobiçado por suas características como criptografia transparente, compressão, capacidade de armazenamento de 256 quadrilhões de zettabytes de volume (por se tratar de um sistema de arquivos de 128 bits), autocorreção, redimensionamento do tamanho de blocos e muito mais, o ZFS foi portado para IllimOS, Linux, Mac OSX, FreeBSD e Windows (sim, para Windows também).

 No dia 9 de Janeiro eu postei o video "O que eu espero para Linux em 2.020" e, uma delas, seria a versão 1.0 do OpenZFS. O problema é que exatamente um dia depois, sai a noticia em que Linus Torvalds informa aos usuários de Linus não utilizarem o ZFS (estamos falando do OpenZFS mesmo) pois há um grande problema de incompatibilidade entre as licenças do sistema de arquivos e do sistema operacional (o que pode resultar até mesmo em ações judiciais).


 Linus afirma que esse informe refere-se as aos desenvolvedores do kernel e de distribuições; porém, quem quiser utilizar o sistema de arquivos, que faça por conta e risco. Então, fica a dica.

Mais sobre o ZFS.

NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX
NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX
CURSO DE SHELL SCRIPT DO MATEUS MÜLLER
Cursos na Udemy

Comando readelf será implementado no toybox


zmc-link9
Links é o melhor elfo para ser apresentado aqui
 Antes de começar, readelf é um comando que exibe informações sobre arquivos no formato ELF que, apesar de a palavra elf em inglês significar elfo (é; temos elfos, gnomos, anões e magos no Linux. Basicamente o senhor dos aneis), ELF aqui vem de é a abreviação de Executable and Linking Format que é o padrão de binários que temos hoje e que substituiu o antigo padrão a.out. Quando digitamos o comando file seguido de um binário, vemos essas informações
Executando o comando file no binário do toybox, podemos ver a descrição ELF 64-bit bem no inicio.
Executando o comando file no binário do toybox, podemos ver a descrição ELF 64-bit bem no inicio.
Para saber mais sobre o formato ELF, digite man 5 elf no terminal ou simplesmente clique aqui.
 Já o comando readelf é um comando do pacote gnu binutils utilizado para realizar leitura exatamente de arquivos binários neste formato (como o próprio nome sugere). A diferença entre o comando  readelf e o comando strings (que já utilizei no canal sobre o driver do dualshock para mostrar que Linux possui suporte ao joystick do PS4) é que o readelf serve somente para leitura de binários, enquanto que o strings serve para leitura de qualquer tipo de arquivo (menos diretório). Vale também ressaltar que ambos os comandos exibem informações diferentes (mesmo em binários). Esse comando é utilizado para inclusive trabalhar em engenharia reversa.
Para saber mais sobre o comando readelf, digite man 1 readelf no terminal ou clique aqui.
Leitura das informações do binários do toybox utilizando o comando readelf.
Leitura das informações do binários do toybox utilizando o comando readelf.
 A implementação básica inicial do readelf com saída próxima ao binutils será utilizável com scripts e iniciou como uma implementação do comando nm (man 1 nm. Não irei comentar sobre o comando nm aqui para não tornar o assunto muito longo) até que mudaram de ideia e que precisam de muito trabalho no readelf para implementar o nm. Então, pode ser que ao escrever o código para o readelf, automaticamente o código seja aproveitado para a implementação do comando nm.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (4) A.I (1) ambiente gráfico (12) AMD (13) analise (8) Andriod (6) artigo (5) benchmark (1) BSDs (12) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (15) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (47) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (48) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (6) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (3) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (50) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (8) Funtoo Linux (13) games (85) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (93) I.A (1) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (28) kernel (111) lançamento (27) leis (1) LFCS (1) licenças (7) Linus (14) Linux (193) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) machine learning (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (99) não viva de boatos (10) navegadores (2) NetBSD (2) novatec (17) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (2) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (32) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (20) professor Augusto Manzano (11) Programação (34) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (12) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (2) suse (3) systemd (7) terminal (70) toca do tux (1) toybox (12) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (3)