Como participar de projetos open source

A Linux Foundation escreveu um guia de como indivíduos e empresas pode fazer para participar das comunidades open source. Uma vez que o mundo open source tem se tornado uma realidade onde empresas fazem uso das ferramentas para construir suas soluções comerciais como produtos e serviços. Porém, sem entender como o mundo open source funciona e sem uma estratégia pode te deixar até mesmo frustrado acreditando que esse ecossistema não funciona.

Foi por isso que Stormmy Peters e Nithya Ruff escereveram esse guia para ajudá-los a entender como os projetos são estruturados, como contribuir e como ser bons cidadãos no mundo open source. Esse guia é divido em sete seções explicando desde os benefícios de contribuir para o mundo open sourece a estratégias de como contribuir.

Na Seção 1 explica que algumas empresas como Intel, IBM e Samsung possuem programas inteiramente open source e outras empresas se tornaram consumidoras de open source por acidente. Muitas dependem comercialmente de software open source que se torna critico para o sucesso da empresa. Mais de 15.300 desenvolvedores de mais de 1.300 empresas contribuírem apenas para o kernel. Alguns dos benefícios são atrair novos talentos (isso facilita a vida do RH no processo de seleção de novos colaboradores. Fica a dica de estratégia ;), reduzir custos (uma vez que não precisarão ficar pagando por licenças e ficar aguardando que novos recursos necessários e correções de bugs demorados demais sejam adicionados. Essas empresas preferem contribuir corrigindo bugs, adicionando novos recursos e funcionalidades para seu próprio uso)  e influenciar a direção dos projetos uma vez que se torna mais fácil de se ter novos recursos e funcionalidades aos programas de acordo com a sua necessidade.
numero-de-desenvolvedores-por-kernel
Número de desenvolvedores por kernel
Na seção 2 explica como os projetos open source são gerenciados através de lideres, mantenedrores, os confiáveis que enviam commits, os contribuidores (com código,documentação ou de outra forma. Todas são essenciais) e os usuários.

Na seção 3 explica como as contribuições funcionam que variam de acordo com cada projeto.

Na seção 4 explica como as organizações contribuem. O meio mais comum e mais fácil é contratando pessoas deixando-as trabalhando cima dos projetos em tempo integral. As empresas também devem considerar contratar pessoas que alguém que já fez contribuições significativas para o projeto que pretende contribuir. Logo abaixo está a lista de empresas que contribuem para projetos open source;

empresas-que-contribuem-com-projetos-open-source
Empresas que contribuem com projetos open source
Na seção 5 descreve dicas com detalhes de como ser um bom cidadão corporativo quando for participar de um projeto open source. Que dentre elas estaria se unir a comunidade, entender a governança, começar pequeno, construir relações em eventos, incluir a comunidade cedo e sempre (voltamos ao livro a catedral e o bazzar onde mostra a diferença entre GNU e Linux) e contribuir.

Na Seção 6 descreve como criar suas próprias estratégias open source apresentando porque as contribuições são importantes, quais projetos utilizam e devem focar, quais contribuições estão fazendo, quais financiamentos precisam, como devem promover seus esforços, quais treinamentos precisam fornecer, como determinarão se o projeto é sustentável e se precisam de um escritório para gerenciar esses projetos.

A seção 7 são simples considerações finais. Essa lista de seções é bem extensa e vale a pena para empresas que querem adotar o modelo open source e contribuir fortemente com os projetos. A leitura vale a pena se você consegue ler inglês. Boa leitura e até o próximo artigo =)
Fonte: Linux Foundation

Forum Red Hat 2017 em São Paulo

Beleza galera? Eu tive que escrever este artigo devido o tamanho da minha felicidade de poder comparecer a tamanho evento. Graças ao Dionatan e a equipe da Red Hat, eu vou estar no Forum da Red Hat este ano =D

A Red Hat vai oferecer aos participantes a possibilidade de registrar o Red Hat Forum São Paulo 2017 não só na memória, mas também na pele, com a tatuagem que o participante preferir (bom, desta parte eu peço que me INCLUAM FORA DESSA hehehe). Também haverá campeonato colaborativo de videogame e sala para personalização de camisetas, proporcionando a vivência do open source inclusive nessas esferas.
Valeu Red Hat e Diolinux =)

Linux é difícil de usar... Será?

Linux é dado como um sistema operacional difícil de se utilizar. É dado como algo extremamente técnico até mesmo pelos declarados "profissionais da área de TI". Mas será que isso é bem verdade mesmo?

Esses dia atendi um doutor que pediu para verificar por que seu notebook que não estava conectando ao wi-fi (acho legal que em francês ele pronuncia uí-fí). Para minha surpresa, olha o que estava rodando no notebook dele:


Esse doutor já é bem avançado em idade, é mestrado em medicina na cidade de Lyon que fica no sul da França (cidade marcada historicamente inclusive por ter sido o local da morte de Blandina aos 15 anos durante a perseguição do império romando aos cristãos), é muito focado em sua especialização; chega até mesmo palestrar sobre câncer de mama e prevenção a doenças e também mal sabe utilizar o computador. Prova disso é que o único problema do seu wi-fi não estar funcionando era porque a chave estava desligada.

Seu notebook é um Toshiba que ele trouxe consigo quando retornou da França para ver os neto recém nascidos. Reparem até mesmo o teclado do seu notebook, não é padrão QWERTY (eu sofri para poder digitar):


Sabe o que é mais interessante? Ele nem mesmo sabia que estava usando Linux e já fazia tempo isso. Só se deu conta disso porque eu falei para ele. Mais um detalhe interessante, ele estava tão satisfeito até porque o computador respondia a tudo o que ele usava bem mais rápido (inclusive para assistir o noticiário da França).




Processadores X86 da... VIA? o.O SIM!


Essa eu duvido que muita gente sabia. Se são bons ou não, aí já é outra história, mas achei interessante relatar que existe mais um fabricante de processadores X86 além da Intel e da AMD (e que em breve teremos mais um, porém em um formato open source ;)

O legal é que com isso quem sai ganhando somos nós, os consumidores e por isso acho que deve existir mais concorrentes no mercado.

A VIA é famosa fabricante asiática de chip sets e que possui o seus próprios processadores X86. Aqui eu relato como surgiram os seus processadores.

Compre na imago brinquedos

Compre na imago brinquedos
Utilize o cupom de desconto TOCADOTUX e ecnomize 5% na sua compra