Mostrando postagens com marcador smartphones. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador smartphones. Mostrar todas as postagens

HarmonyOS - O sistema operacional que visa substituir o Android

HarmonyOS - O sistema operacional que visa substituir o Android
HarmonyOS - O sistema operacional que visa substituir o Android

 Martin Děcký, um dos autores do sistema operacional HelenOS e que trabalha para a Huawei em um sistema operacional que pretende ser o substituto completo do Android. Em Junho de 2021, Martin concedeu uma entrevista para o site Checo lupa.cz dando uma visão sobre o sistema operacional HongMeng OS e sua relação com o HarmonyOS.

Martin Děcký, um dos autores do sistema operacional HelenOS e do HongMeng OS.
Martin Děcký, um dos autores do sistema operacional HelenOS e do HongMeng OS.

 HongMeng OS é um sistema operacional com seu próprio microkernel que não tem nada a ver com Linux ou base de código de  qualquer outro sistema e que teve seu inicio de desenvolvimento em 2017. Ele tem várias iterações internas e uma terceira transcrição está sendo trabalhada. Martin começou a trabalhar na certificação de segurança deste sistema e alguns de seus colegas começaram a trabalhar em um hipervisor.
Para mim e para a maioria dos meus colegas, o HelenOS foi um projeto que nos moldou em termos de conhecimento e de orientação geral de nossas carreiras. É uma parte fundamental da minha vida profissional. É por isso que lamento que o HelenOS esteja atualmente em uma fase lenta e estou dedicando muito mais tempo e energia a outros sistemas de microkernel.
 Por volta de 2018, o nome do sistema foi alterado para HarmonyOS para melhor adoção no mercado ocidental e a empresa anunciou publicamente que o objetivo era que o HongMeng OS / HarmonyOS era substituir o Android nos smartphones da empresa e ao mesmo tempo ser utilizado em seus navegadores, roteadores, BTS e muito mais. estranhamente depois a empresa decidiu comunicar o sistema sob o nome HarmonyOS e que não tem nada a ver com o HongMeng OS original. HarmonyOS 1.0 é um sistema construído sob o núcleo LiteOS em tempo real enquanto a versão 2.0 do HarmonyOS 2.0 é basicamente Linux mais parte de código aberto do Android mais add-ons internos da empresa.

LiteOS
LiteOS

 O HongMeng OS ainda está evoluindo e há um plano de que ele será o substituto definitivo para o Android.
"Um sistema operacional multiservidor de microkernel é composto de pequenos componentes isolados, cada um executando em um espaço de endereço separado e assim por diante. Esta é uma arquitetura adequada para verificação formal, certificação ou execução em   situações de segurança  e  missão crítica . A sobrecarga associada à comunicação de componentes isolados anda de mãos dadas com isso. Existem cenários, como um smartphone, em que os componentes são um pouco mais monolíticos. Arquitetura flexível significa ter um mecanismo que pode modificar um sistema de componentes e sua arquitetura de modo que durante a implantação seja possível   juntar componentes do espaço do usuário e movê-los de lá para o kernel e assim por diante."
"Há algum tempo, tem havido um esforço para pelo menos unificar os garfos internos do kernel Linux no projeto HULK, o Huawei Unified Linux Kernel, para que tenhamos uma base de código Linux unificada."
 Então, já que a galera está gostando de especular muito sobre o Fuschia, aqui está mais um sistema operacional que irá concorrer com  o Android.

Android: A maior plataforma de jogos da atualidade.

Android: A maior plataforma de jogos da atualidade.
Android: A maior plataforma de jogos da atualidade.

 Parece exagero afirmar tal coisa, mas o Android é a maior plataforma de jogos da atualidade (tente não confundir maior com melhor). site Washington Post publicou a matéria "Esqueça a próxima geração de consoles. A maior plataforma de jogos já está em seu bolso.". Essa plataforma a qual a qual nos referimos é exatamente o Android.

 Logicamente nessa lista também entra o iOS que ambos em 2020 geraram uma receita de US$80 bilhões enquanto os PCs geraram US$37bi e os consoles (Nintendo Switch, PlayStation e Xbox) geraram US$45bi (juntos, PCs e consoles geraram apensa US$2bi a mais que os smartphones). Em 2021, a receita gerada pelos dispositivos móveis (spartphones e tablets) ultrapassam a margem de US$90bi enquanto PCs e consoles juntos permanecem na mesma marca. Houve uma oscilação no mercado devido a vários fatores, mas o mercado conseguiu se manter porém, analisando essas informações em percentual, de acordo com o site newzoo.com, os dispositivos móveis detém 52% do mercado; quase o dobro do mercado dos consoles.

Faturamento de jogos em todas as plataformas
Faturamento de jogos em todas as plataformas

 Algo interessante a frisar é que, tratando-se de tablets, a Apple detem 52% do mercado (Saiba mais porque a Apple migrou de x86 para ARM em seus desktops clicando aqui). Já o Android, como mencionei em Setembro detém 85% dos smartphones (Vale a pena conferir o artigo clicando aqui). Acho um crescimento impressionante pois em 2019, a fatia de mercado do Android era de 36% enquanto o iOS detinha 47%.

85% dos smartphones rodam Linux

85% dos smartphones rodam Linux
85% dos smartphones rodam Linux

    Não é nenhuma novidade que Linux já está presente em celulares muito antes do primeiro iPhone surgir no mercado em 2007. O motorola EZX de 2003 já rodava Linux que leva o mesmo nome do aparelho (EZX Linux que aliás era um celular que eu quis muito na ápoca), a OpenMoko também já produzia celulares com Linux (e teve até um cara que construiu um foguete controlado por celular da OpenMoko) e a lista com celulares em que Linux está presente  é bem grande.

Foguete controlado por celular da OpenMoko
Foguete controlado por celular da OpenMoko

    Fora o FirefoxOS que foi descontinuidade pela Mozilla mas foi descontinuado e mesmo assim adotado por outras empresas em outras áreas como é o caso d
o KaiOS que já mencionei no canal (e em 2019 já havia mais de 85mil aparelhos disponíveis), o UbuntuPhone, o Fire OS da amanzon, e até mesmo Linux em BIOS e UEFI muito antes deste artigo clicando aqui e até Linux em relógios muito antes da Apple (a Apple mesmo anda contratando desenvolvedores de Linux).


    Porém, com a chegada do Android, mesmo havendo outros sistemas operacionais concorrentes que também são focados em dispositivos móveis como é o caso do MeeGo no Nokia e até a Microsoft entrando na disputa com o Windows Phone, 
as empresas passaram a dar atenção especial ao Android sendo hoje o maior concorrente direto do iOS.

    Começou de forma minguada e até de futuro de certa forma duvidoso e aos poucos foi crescendo ao ponto que hoje é noticiado pela haydenjames que 85% dos smartphones rodam Linux; mais especificamente o Android que estamos tratando aqui. Se você é um dos que até hoje duvida que o Android é uma distribuição Linux, há uma série de vídeos no meu canal sobre o Android; um deles é exatamente o fato de ser uma distribuição Linux (a diferença entre Android e as distribuições convencionais que utilizamos como Debian, Ubuntu e CentOS é que os programas no user-space do Android estão sob licenças open source como Apache e BSD, mas nunca sob GPL). E sim, o  Android é open source, a questão é que, diferente do iOS que é distribuído direto pela Apple, o Android é distribuído por várias empresas diferentes e por esse motivos vemos tantas versões diferentes.


    Mas voltando a noticia, as informações foram extraídas da International Data Corporation (IDC). que exibe não somente o crescimento de sistemas operacionais como também das marcas, de acordo com países e muito mais. O número real até o momento é de 83.8% e é previsto o número de 84.9% até de 2025.

Crescimento do Android em 2021 segundo a IDC.
Crescimento do Android em 2021 segundo a IDC.

    Como os smartphone são considerados a 4ª geração de computadores (Mainframes foram substituídos por minicomputadores, que foram substituídos pelos microcomputadores que utilizamos e que estão sendo naturalmente substituídos pelos smartphones), é natural que seu uso gerasse um ecossistema gigantesco. Hoje em dia é muito comum ver pessoas preferirem a comodidade de ficarem sentadas ou deitadas com seus smartphones e poderem realizar todas as suas tarefas por ali. 

    Logicamente não é possível substituir os microcomputadores por completo pois não há todas as funções ali porém, o Android ganhou tamanha proporção que facilmente o encontramos sendo utilizado para outros propósitos muito além de smartphones como steraming de TV e jogos (veja o Nvidia Shield), em consoles (ou ao menos partes do Android como é o caso do Nintendo Switch) e até mesmo em telões de supermercados como é o caso da imagem que pode ser vista abaixo.

Android sendo utilizado em telões para exibir produtos e preços em supermercados.
Android sendo utilizado em telões para exibir produtos e preços em supermercados.

    O Android gerou um ecossistema gigantesco e movimenta cada vez mais mercados. Sempre há especulações de que o Fuschia anda sendo desenvolvido para substituir o Android (mesmo que a Google nunca se pronunciou sobre o assunto).  Honestamente eu vejo o Fuschia mais sendo pensando para outros mercados do que em substituir o Android da mesma forma que é muito dificil substituir o Windows nas áreas que possui seu propósito.

NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.
APROVEITE O DESCONTÃO DE CELEBRAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL E VENHA APRENDER LINUX DE COMIGO;)

Lançado novo Minicurso de atributos no Linux

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (15) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)