Mostrando postagens com marcador Debian. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Debian. Mostrar todas as postagens

Rodando pacotes .deb no Fedora 35 sem coverte-los com o alien

Rodando pacotes .deb no Fedora 35 sem coverte-los com o alien
Rodando pacotes .deb no Fedora 35 sem coverte-los com o alien

 É comum o conhecimento sobre a execução de pacotes de uma distribuição em outra que não pertença à mesma família através do programa Alien; O Alien é uma ferramenta que converte pacotes de  uma distribuição Linux para outra; porém, alguns erros podem ocorrer nesse processo.

 Mais ou menos em 2018 eu fiz um vídeo intitulado "Rodando pacotes .deb sem instalar" mostrando que é possível fazer esse tipo de tarefa sem a necessidade de convertê-los. O maior problema deste vídeo é que executei um pacotes .deb... no próprio Debian... Digamos que isso acaba não provando que é possível executar pacotes da família Debian em outras famílias de distribuições.

 Pensando nisso eu decidi fazer um novo vídeo porém, desta vez executando o mesmo programa empacotado para o Debian no Fedora seguindo o mesmo processo do vídeo anterior e um pouco mais. Confiram o vídeo:


 É possível também executar programas em pacotes .rpm em outras distribuições que não sejam da família Fedora, mas nesse caso são utilizadas técnicas diferentes. Enquanto os pacotes .deb são na verdade empacotamentos .ar (após serem compactados), os pacotes .rpm por sua vez são empacotamentos cpio.

 Para que possamos melhor interagir com o cpio, mostrarei como gerar seu tipo pacote porém, de certa forma, em ordem inversa uma vez que eu já havia trabalhado no desempacotamento do Google Chrome e aproveitei a mesma situação.

 No exemplo abaixo, na primeira linha marcada podemos ver que listamos os arquivos contidos no pacote google-chrome-stable_current_x86_64.rpm e que foram desempacotados.

 Na segunda linha da imagem acima empacotamos tudo através do comando cpio. Porém, o cpio segue o processo conforme a explicação a seguir e exibido na imagem abaixo. Primeiro listamos todo o conteúdo encanamos a saída (|) do comando ls para a entrada do comando cpio com a opção -o e redirecionamos sua saída padrão (>) para um arquivo. Um pouco trabalhoso, mas é assim que funciona.
 E por fim, na terceira linha da imagem podemos constatar que foi gerado o arquivo backup.cpio.


 Agora sim, podemos trabalhar na explicação do desempacotamento dos pacotes .rpm uma vez que precisamos do cpio para isso. Diferente dos pacotes .deb, os pacotes .rpm precisam de um comando específico para serem desempacotados; nesse caso, o comando rpm2cpio (essa é exatamente a função do rpm2cpio: Extrair arquivo cpio de pacotes rpm).

 De acordo com o manual online do rpm2cpio, existem duas formas de extrair arquivos do pacote rpm. A primeira é exatamente a forma que apresento na imagem abaixo e a segunda encanando a saída do comando cat para a entrada do comando rpm2cpio e depois encanando a saída do comando rpm2cpio para a entrada do comando cpio (cat glint-1.0-1.i386.rpm | rpm2cpio - | cpio -tv).


 Então, tenham sempre em mente que, por se tratarem de binários no padrão ELF LSB (Linux Standard 
Base), os programas do Linux são passíveis de execução na maioria das distribuições; o que acaba impedindo que esses programas sejam executados são as formas como esses binários são empacotados e as informações contidas em seus pacotes.

Descobertas vulnerabilidades na parte de rede do Linux


    As falhas foram descobertas por Alexander Popov da empresa sediada em Londres Positive Technologies. Alexander Popov é um engenheiro de software que de 2012 á 2016 teve 14 patches aceitos  na mainline do kernel Linux. Este ano Alexander descobriu e corrigiu cinco brechas na implementação do virtual socket do kernel Linux (que apareceram quando o virtual socket multi-transport support foi adicionado) que permitiriam ser utilizadas para escalar acesso como root e derrubar servidores com um ataque DoS (Denial of Service).


 Apesar que Alexander descobriu as vulnerabilidades no Fedora Server 33, elas existem em qualquer distribuição que estiver utilizando o kernel Linux 5.5 em diante. Greg Kroah-Hartman aceitou os patches de ALexander a partir do kernel 5.10.13 no dia 3 de Fevereiro (que já foram incorporados em distribuições como Fedora 33, Red Hat Enterprise Linux (RHEL) 8, Debian, Ubuntu e SUSE).

Debian buster está previsto para ser lançado no dia 06 de Julho de 2019

Debian buster está previsto para ser lançado dia 06 de Julho de 2019
Debian buster está previsto para ser lançado dia 06 de Julho de 2019
 Tratamos recentemente do que terá de novo na nova versão do Debian que recebe o code nome Buster, a sua adoção ao Wayland e agora temos a noticia que será lançado no dia 06 de Julho :) Debian é o que não falta no canal e no blog; então, se quiser saber mais sobre o Debian, vou deixar um link no final deste artigo. Agora bora partir para o arrebento sobre o lançamento.
curso-linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 O motivo que a comunidade Debian informa sobre o seu lançamento é que, caso você queira celebrar com eles, você pode participar da festa de lançamento. A lista dos locais está disponível clicando aqui e pode ser conferida em ordem alfabética dos locais (o Brasil aparecendo em primeiro lugar ;).

 Na ultima semana, somente bugs emergenciais serão considerados e serão mais restritos considerando os unblock requests. Todos os detalhes para quem quiser enviar correções bem testadas podem ser conferidas clicando aqui. Por hora é só, fiquem com o vídeo "Os vários sabores de Linux - Debian" que pretendo trazer um segundo capitulo no futuro ;)

Novidades no Debian 10

Debian 10 - Buster com suporte a Secureboot
Debian 10 - Buster com suporte a Secureboot
 O próximo lançamento do Debian é a versão 10 que recebe o code nome Buster e está mais ou menos em seu candidato a lançamento 5. Bora conferir o que a nova versão nos proporcionará.
VENHA APRENDER LINUX COMIGO
O primeiro assunto que eu quero tratar é que hoje (dia 26), Sam Hartman iniciou como lider do projeto Debian (DPL = Debian Leader Project). Isso sana o problema que todos estavam dizendo que ninguém queria ser presidente do Debian.

O site It's FOSS publicou o artigo mostrando 14 novos recursos que encontraremos nesta nova versão sendo elas:
  • Nftables substitui o tradicional iptables. Isso já é esperado há longos anos; mas o projeto era algo desafiador e levou muito tempo para chegar ao ponto de maturidade. Essa ferramenta (que eu venho acompanhando seu desenvolvimento ao longo dos anos) traz uma sintax muito mais prática para os sysadmins, código mais fácil de manter e muitos novos recursos e segurança.
  • AppArmor habilitado por padrão: Para quem faz drama com o SELinux, aqui fica uma de várias alternativas. Apesar que o AppArmor já é o modulo padrão no Debian desde que eu uso Debian. A maior diferença entre os dois de uma forma fácil de explicar é que o AppArmor é mais simples de manusear mas seu nível de segurança é menor se comparado ao SELinux.
  • Suporte a Secure-boot: O site Debamax publicou uma visão geral sobre o Secure-boot (mesmo afirmando que não pretendem ser um guia definitivo). Clique aqui para conferir.
  • Implementação do /usr/merge: Nessa nova implementação, diretórios como  /bin, /sbin e /lib passarão a ser links simbólicos para /usr/bin,/usr/sbin e /lib respectivamente. Há toda uma FAQ clicando aqui para entender melhor como tal coisa funciona.
  • Instalador live Calamares: Levem a mal não, mas isso já estava na hora né rsrs Agora o Debian adotou o instalador Calamares como seu live installer (já estou vendo que esse ano meu curso terá mais atualizações do que imaginei. Aproveitando, clique aqui e venha ser meu aluno ;)
New installer in Debian 10 Buster
Calamares como live installer do Debian 
Há muitas outras novidades como kernel 4.19.0-4 com suporte LTS por cinco anos, Bash 5.0Mailman 3, Python 3 (dando fim ao Python 2), suporte a vários ARM 64 e placas ARMHF SBC, Nodejs 10.15OpenJDK 11.0, Gnome 3.30 e novo papel de parede.

 É, fiz um resumo na integra sobre o que está no It's FOSS. Qualquer coisa, confiram lá. Deixo avisado que provavelmente terá "OS vários sabores de Linux - Debian #2", mas será exclusivo para os padrinhos do canal. Então, caso queira assistir a esse vídeo exclusivo do Debian, venha ser padrinho do canal clicando aqui.

Fundação Handshake doa 300 mil dólares ao projeto Debian

Projeto Handshake doa US$300.000 para o projeto Debian
Projeto Handshake doa US$300.000 para o projeto Debian
 Matéria publicada pelo Debian que achei interessante compartilhar. Handshake desenvolve um protocolo p2p root domain name system descentralizado, sem permissões e compatível com o DNS onde cada ponta fica validando e a cargo do gerenciamento da zona raiz (root zone) com o objetivo de criar uma alternativa as autoridades certificadas (Certificate Authorities) existentes.
Curso Preparatório para Certificação Linux LPIC-1 e CompTIA Linux+
 Em 2018, o projeto Debian recebeu uma doação de US$300 mil do projeto Handshake que será utilizado para substituir o hardware renovando servidores e outros componentes tornando o desenvolvimento e a infraestrutura da comunidade do projeto (projetada pela equipe de administradores) mais confiável.

 O projeto Handshake, seus patrocinadores e contribuidores reconhecem software Open Source e livre como uma parte crucial das fundações da internet e dos seus projetos. Sendo assim, eles decidiram reinvestir US$10,200,00 em vários outros projetos e desenvolvedores FLOSS. Também em organizações não governamentais e universidades que desenvolvem software livre e de código aberto.

 O líder do projeto Debian, Chris Lamb, expressou sua gratidão a fundação:
 Um profundo e sincero agradecimento a Fundação Handshake por seu suporte ao projeto Debian. Contribuições tais como sua tornam possíveis para um grande número de diversos contribuidores de todo o mundo trabalharem juntos através de nosso objetivo mutuo de desenvolver um sistema operacional universal totalmente livre.
Também expresso aqui a minha gratidão ao Handshake, seus patrocinadores e desenvolvedores e equipe envolvida.
CURSO DE SHELL SCRIPT DO MATEUS MÜLLER: https://bit.ly/2yH2PylCursos na Udemy

Comunidade Debian convida a todos a testarem o novo recurso do Secure Boot na versão Unstable

Secure-Boot-no-Debian
Secure Boot no Debian
 O blog Henric On Debian publicou ontem (dia 7 de Janeiro) convidando a todos a testarem o novo recurso Secure Boot que está disponível na versão Unstable (Sid) do Debian. Se você procura contribuir com o projeto de alguma forma e possui hardware com Secure Boot, esse pode ser um bom projeto para você poder participar e trabalhar no seu avanço. A informação de como utilizar e testar o Secure Boot no Debian está logo abaixo.
https://wiki.debian.org/SecureBoot/Testing
 Fica a sugestão a todos. Forte abraço e até a próxima.

Desejando feliz aniversário de 25 anos ao Debian

25 anos de Debian
25 anos do sistema operacional universal (Debian é a universal?)

No mês que Linux completa 27 anos do seu primeiro anuncio oficial (especificamente no dia 25 de Agosto de 1.991 às 20:57:08 GMT)*, a distribuição Debian completa 25 anos (no dia 16 de Agosto, apenas 9 dias para ser exatamente 2 anos mais novo que o kernel Linux). Com isso, quero também participar desta festa e parabenizar essa distribuição que gosto muito.

Como todos sabem, eu gosto de Linux; sou apaixonado pro Fedora e pelo Debian, aprendo muito com as documentações do Suse Linux, Gentoo e Funtoo Linux e sou muito focado em administração de distribuições da família Debian, Red Hat e Suse em questão comercial.

Conheci o Debian na versão 3 e até hoje utilizo, mas sempre dando também oportunidade de aprender outras distribuições. Porém continuo mantendo Debian como a minha oficial.

Quero parabenizar pelo grandioso trabalho por trás desta distribuição que é dado como o sistema operacional universal sendo a maior família de distribuições (tendo até mesmo formado outra família muito grande: Ubuntu :)

Quero com isso agradecer a todos os divíduos, empresas e ambientes acadêmicos, de pesquisas e até militares por trás do Debian. Sucesso a todos cada vez mais.

*Não confundir anuncio oficial com lançamento oficial.



INSTALANDO INTERFACE GRAFICA NO DEBIAN sem o uso do APT

Comando taskel
Comando taskel
Tivemos Fedora para leigos - Da instalação ao uso que foi nos enviado pelo consultor de tecnologia Marcos Monteiro (link do site do Marcos Monteiro na descrição deste artigo para contratar a consultoria).

O Marcos possui um canal onde dá dicas e sugestões também. Um vídeo com uma dica interessante que o Marcos no dá é de como instalar interface gráfica no Debian fora do uso do apt.

Tasksel é um comando que proporciona uma interface simples para que os usuários que querem configurar seu sistema de forma configurá-lo para uma tarefa específica (assim como durantes o processo de formatação). Essa flexibilidade no Linux de poder tomar as decisões que quer é mais uma das coisas que me chama atenção no sistema operacional.



https://marcosmonteiro.eti.br
https://wiki.debian.org/tasksel

Lançado o Debian 9.0: Codenome "Stretch"


Foram vinte e seis meses de desenvolvimento da versão estável do Debian 9 (codenome Stretch) e a equipe Debian anunciou seu lançamento oficial no dia 17 de Junho. Eu pretendo fazer uso para poder conferir as novidades presentes nesta nova versão.

Vale ressaltar que a versão anterior ainda continuará tendo suporte até mais ou menos 2020. Então, quem quiser manter a versão anterior, não se preocupe, ela não está obsoleta (e sim,mais estável ainda e vale a pena continuar utilizando-a).

Dentre as novidades do Debian Stretch estão o uso do MariaDB 10.1 como padrão que acontecerá na atualização ao invés do MySQL, o Firefox e o Thunderbird ao invés do Iceweasel e o Icedove, maior segurança contra ataques maliciosos em mais 90% dos pacotes (graças ao projeto Reproducible builds), melhorias no suporte a UEFI, kernel 4.9, KDE Plasma 5.8 (que já sabem que eu vou utilizar hehehe), Chromium 59.0.3071.86 (que pretendo utilizar o próprio Chrome), systemd232 (que pretendo abordar sobre o assunto), LibreOffice 5.2, Golang 1.7, Perl 55.24 e mais meio mundo de pacotes (um total de 51.000).

dez arquiteturas são suportadas nesta versão sendo elas: EM64T, x86-32/64(amd64), IA-32 (i386), PowerPC de 64 bits little-endian da Motorola/IBM (ppc64el. PowerPC de 32 bits foi removido nesta eversão), IBM S/390 de 64 bits (s390x), armel e armhf, arm64 (AArch64), mips (big-endian) e mipsel (little-endian). Há uma nova arquitetura mips64el para hardware de 64 bits little-endian.

Quer saber mais? Confiram os links na descrição:
Noticia do lançado o Debian 9 "Stretch"Site oficialBaixe o Debian

Uma solução para quem utiliza Ubuntu 16.04



 Recentemente foi lançado a mais nova versão LTS do Ubuntu; e com isso, muita gente está adotando e testando a nova versão do sistema.

 Alguns dias atrás um amigo me procurou por estar com um problema no Ubuntu 16.04. Ele ainda utiliza dual boot, mas quer deixar de utilizar Windows de vez. Porém, para que ele possa utilizar somente o Linux, ele ainda precisa resolver o problema do vídeo. Quando ele reproduzia os vídeos em tela cheia, ficava dando uns lags. Não é falta de uma boa configuração de hardware, pois essa é a configuração do seu notebook:
  • Dell com um processador core i5 de 1.8ghz
  • 8GB RAM
  • Placa de vídeo Nvidia GT 730M de 2GB
  • Dispositivo de armazenamento SSD.
 Com esse hardware, o Windows voa, mas no Ubuntu da lag ao assistir vídeos. A principio, sugeri que poderia ser que o Ubuntu estava utilizando um driver genérico, porém ele já havia instalado o driver proprietário e mesmo assim, permanecia dando lags nos vídeos do Youtube em tela cheia ou quando ia assistir algum filme no Netflix.

 Eu pedi para que ele verificasse se o módulo estava carregado utilizando o comanado "lsmod" (de repente, mesmo depois de instalado, o módulo poderia não estar carregado). Ele realizou o teste, copiou a saída do comando e me enviou. Eu por fim, filtrei a informação e aparentemente estava rodando, notando essas linhas:
nvidia_uvm 696320 0
nvidia_modeset 745472 3
nvidia 10076160 69 nvidia_modeset,nvidia_uvm
 Por fim, eu lhe perguntei: "Curiosidade. Já rodou outras distros neste notebook?"
 Ele me respondeu que já havia instalado o Linux Mint e o Debian. No Linux Mint ele não se recordava se isso acontecia, mas no Debian ele não chegou a instalar o driver de vídeo. Por fim ele me disse que iria testar outro HD que ele tem o Lubuntu instalado colocando ma mesma máquina.

Essa imagem foi fornecida pelo leitor Rodrigo Araújo
 Quando ele retornou, ele me informou que que com o Lubuntu funcionava normal. Concluí que o problema estava no MIR, o daemon servidor gráfico padrão do Ubuntu enquanto que no Lubuntu é utilizado o X.

 Expliquei sobre os servidores gráficos para ele e depois de um ou dois minutos retornou:
"Acredita que desativei a opção do driver (testado e proprietário) e ativei o X.org Xserver - Nouveau display driver de xserver-xorg-video-nouveua (open soucer) , e funcionou normal?"

Essa imagem também foi fornecida pelo leitor Rodrigo Araújo
 Por fim, agora ele está utilizando bem o Ubuntu. Juntos descobrimos como solucionar esse problema :-)

 Além de modelo, é bom técnico e está iniciando seu blog. Assim que estiver pronto Vou deixar o link do seu blog para que ele possa explicar melhor como realizou essa tarefa e quais os resultados disso.

Obs.: Não estou afirmando que o MIR é ruim (como muitos defensores fazem colocando defeito no Ubuntu e em tudo o que a Canonical faz). Simplesmente estamos compartilhando como solucionar um problema no ubuntu 16.04.

50 lugares que Linux está rodando (e você talvez nem faz ideia) - terceira parte

 Vamos para a terceira parte de "50 lugares que Linux está rodando (e você talvez nem faz ideia)" continuando nos órgãos do governo.

Cortes Federais Americanas


 A aax.net explica que as cortes federais confiam no Linux para todos os meios de tarefas administrativas, incluindo "gerenciamento de caso, rastreio de caso, finança e contabilidade, provação e serviços de prejulgamento." Linux tem sido utilizado pelas cortes desde Novembro de 2003, quando a PEC Solutions auxiliou em orquestrar uma "migração do Judicatório Federal para um sistema baseado em Linux."

Governo da cidade do México


 A wired.com publicou o report em 2.001 que o governo da cidade do México havia concluído que "eles não podem mais justificar o aumento custo do Microsoft Windows quando o custo do Linux é muito baixo." Em uma entrevista com a Wired, o coordenador técnico da cidade, José Barberán, "anunciou planas para migrar os computadores da cidade para o sistema operacional Linux e utilizar o dinheiro que ele economiza para financiar programas sociais de bem estar." Ao final do dia, quando encarada pressão de aumentar os gastos sociais, "cortar custos ao migrar para software open-source foi uma escolha lógica para o prefeito."

Garden Grove, California


Talvez o mais antigo adotador governamental de Linux em nossa lista seja o Garden Grove, Califórnia, que fez toda a migração em 1995, de acordo com o Linux Journal. Evidentemente, a cidade estava em uma crise financeira quando eles adotaram dar a Linux uma chance, e descobriram que ele economizou tanto dinheiro que eles mais tarde decidiram rodar Linux por toda a city, incluindo em alguns desktop.

Largo, Florida


Um artigo da linux.com de 2002 intitulado "Largo Ama Linux Mais Do Que Nunca" explica como a cidade da Florida veio a depender tão fortemente do Linux. Depois de ter tal grande sucesso rodando os computadores da cidade com Linux, o governo do município de Largo estava logo "falando de terminais baseados em Linux em todos os carros da policia da cidade." Para o crédito da cidade, a Linux.com comentou que os administradores de sistemas de Largo (que são responsáveis por gerenciar as máquinas Linux da cidade) se tornaram "os menos perturbados, os menos preocupados, os mais calmos sysadmins que já encontramos." Talvez haja uma correlação?

Serviço postal da Republica Checa


Talvez pegando um embalo do serviço postal americano, os correios da República Checa migrou com total sucesso para Linux em 2005, de acordo com a "Europa". A distribuição escolhida foi (SuSe) agora rodando em "4.000 servidores em 3.400 correios por todo o país, também como 12.000 terminais clientes utilizados por 20.000 empregados." Mais uma vez, custo foi uma força dirigente por trás de uma grande instituição estatal migrando de Windows ou outros fornecedores para o Linux livre e open-source.

Um Tablet/Laptop rodando Debian focado na privacidade e proteção


 Este artigo foi me passado pelo Raphel Hertzorg que é um dos desenvolvedores do Debian. Raphel já escreveu vários livros sobre Debian e um deles está disponível para download em Inglês, francês e muitos outros idiomas (incluindo português). Bora conhecer esse novo computador :-)


Um Tablet/Laptop rodando Debian pela Purism focado na privacidade e proteção

 Está certo, parece ser um artigo de venda; mas achei interessante ver a venda um computador com Debian pré-instalado (não me importa a questão de ser Debian; a questão é ver Linux pré-instalado e isso para mim é muito legal). O Raphel Hertzorg me escreveu:

" Olá Gabriel

 Não é com frequência que você encontrará um computador com Debian pre-instalado. E ainda menos em um tablet!

 Ainda assim eu recentemente descobri uma empresa chamada Purism que constrói computadores respeitando as nossas liberdades e nossa privacidade. Ele já construíram laptops de 13" e 15" e agora eles estão preparando computadores com telas de 10" e 11".



Eu digo computadores porque as compacidades (storage, RAM, CPU) são mais próximas de um laptop do que de um tablet. Mas em sua forma, eles são de um tablet: Tudo é construído na parte de touch screen, exceto o teclado+ touchpad.

Eu gosto de muitas coisas:
- As prioridades dadas a qualidade ao produto, a liberdade respeitando componentes
- O fato de que partes são fáceis de se substituir
- O hardware kill switches para desabilitar câmera/microfone e wifi/bluetooth

Há as desvantagens também:
- Ele ainda é caro comparado aos outros laptops com poder computacional similar
- O layout do teclado atualmente apenas US/UK (mas eu não planejo esse teclado)
- Os custos de embarque se você não estiver nos Estados Unidos ($120 para mim na França)

 Ainda assim, eu encomendei um Librem 11 para mim (com o docking station, eu não espero utilizar o teclado destacável, em particular desde que eu não estou acostumado ao layout qwerty). É o meu primeiro tablet e estou feliz que ele rodará Debian :-)

Se você não pode esperar muito, você também pode agarrar um no "preço promocional" (você economiza em torno de $300 no Librem 11):
 Se você quiser mais informações a respeito da empresa e seus outros produtos:
 Saudações,
 Raphaël H.

 Obs.: Não há afiliação envolvida aqui. Eu só quero promover esse projeto já que eles merecem ter algum sucesso. Eu descobri isso através do post deste blog de outro desenvolvedor do Debian:

Resumo do Tux 15/05/2016

 Sábado passado eu havia anunciado que estava traduzindo o vídeo sobre o Linus no site TED a pedido do Flávio Oliveira do canal Flávio Dicas:


 Que por fim, consegui disponibilizar nesta Terça feira com ajuda do Flávio na revisão do texto:


Eu pretendia fazer a semana do Linus com mais vídeos; mas como está sendo muito acessado, eu não queria ser estraga prazer e deixei essa ideia para a próxima semana. OK?

Bom, por fim publiquei o artigo sobre O QUE EU ACHO DO NTRFS expandindo melhor a ideia sobre o vídeo com o mesmo título. Acho que esse assunto merecia melhor exploração e esclarecimento. Coincidência ou não, poucas horas depois eu publiquei o artigo sobre O AVANÇO DO ZFS NOS REPOSITÓRIOS DO DEBIAN, que algo que eu quero ver muito, mas muito mesmo no Linux (o Zfs ganhar mais espaço no Linux).

 Então é isso por enquanto, galera. Essa semana então eu faço a semana do Linus com dois ou três vídeos e espero que tenham gostado :-)

ZFS para Linux Finalmente pousa nos repositórios do Debian


 Zfs, o sistema de arquivo mais cobiçado da atualidade por suas características e riquesas, é um assunto que está sendo muito debatido no canal Toca do Tu (graças a colaboração do Ayr Müller: www.mapforum.blogspot.com). Criei até mesmo uma playlist somente sobre o sistema de arquivo. Confiram aqui seu progresso no Debian.

ZFS For Linux Finalmente pousa nos repositórios do Debian

 Levou muitos anos para os desenvolvedores Debian finalmente serem capazes de embarcar uma versão funcional do ZFS para Linux no Debian GNU/Linux. Para aqueles que não tem conhecimento da causa, ZFS on Linux é a implementação oficial do para Linux, que promete oferecer suporte nativo so sistema de arquivo ZFS para qualquer sistema operacioanl baseado no kernel Linux, atualmente tendo suoprte ao Arch Linux, Ubuntu, Fedora, Gentoo, Red Hat Enterprise Linux, CentOS, openSUSE, e agora ao Debian. E parece que sua implementação do ZFS para Linux pega um monte de patches emprestados do Ubuntu, ao menos de acordo com de acordo com o changelog para zfs-linux 0.6.5.6-2, a versão que está agora disponível no canal unstable para os usuários de Debian users instalarem e testarem.

 O Zfs ainda está nos repositórios do SID (que pode ser conferido neste link). Então, provavelmente so o veremos lá para a versão 10 do Debian:

https://tracker.debian.org/pkg/zfs-linux

Debian não possui suporte?

 Conversando com um amigo, ele me disse que uma empresa que ele vendeu o seu serviço estava querendo eliminar o Debian de seu servidor por se tratar de um sistema de graça; logo, sinônimo de sem garantia de suporte. Mas será que é bem assim mesmo? Vamos ao esclarecimento dessa duvida cruel.


Debian não possui suporte

 Esse cliente acredita que que por ser de graça, ninguém se responsabiliza. Ele se baseia no fato de que, se ligarem para Dell ou HP, na hora de cotar um server, eles vão perguntar qual sistema operacional. Se for Linux (e não for distribuições como Red Hat Enterprise Linux, SuSE Linux Enterprise ou Ubuntu server), não dão suporte.

 E é uma opinião até coerente baseando que poucos abordam essa informação sobre a distribuição (e é aqui que nós entramos para dar essa forcinha hehehe).

 Bom, esse é assunto ainda um pouco tratado não somente para os da área técnica, mas se torna até mesmo para muitas empresas. Querendo quebrar esse (digamos) tabu, resolvi escrever este artigo.
 O Debian é sim um sistema livre e gratuito, mas no próprio contrato social do Debian não restringe a ninguém a sua comercialização.

 "Ah, mas isso não significa que tenha alguém vendendo o suporte a distribuição"

 Sim, verdade. Hoje eu digo que o Debian é uma distribuição freemium, ou seja, tem alguém maior a financiando para que outros se beneficiem. Isso pode ser conferido na lista de parceiros do Debian onde grandes empresas a financiam:
https://www.debian.org/partners/
 E por que raios essas empresas investem grana para manter o Debian para ele ser disponibilizado gratuitamente?
 Simples! para que elas mesmas possam se beneficiar da distribuição. Elas financiam o projeto e vendem suas soluções baseada na distribuição. Para as empresas é vantajoso contribuir com o projeto de alguma forma (financiando gastos como servidor, internet, domínio, contratando desenvolvedores e disponibilizando-os para trabalhar na comunidade Debian em seu melhoramento e desenvolvimento), deixando tudo disponível do que ficarem criando novas soluções que gerariam muito mais . Seria basicamente como financiar pesquisas em novas soluções.

 Foi realizado um calculo de quanto seria necessário para desenvolver uma distribuição como o Debian do zero e chegaram a bagatela de pouco mais de 19 bilhões de dólares. Isso que estamos mencionando desenvolver hoje a versão 2.2 do Debian; imagina só quanto custaria o desenvolver na sua ultima versão que está a caminho, a versão 9.

 Confiram isso em:

Para Que Serve a Liberdade?

Caso de sucesso em utilizá-lo é o próprio Google que fortemente utiliza-o em seus servidores:
https://events.linuxfoundation.org/sites/events/files/slides/ProdNG_0.pdf


 Não só o  Google, mas encontramos Debian até mesmo no nosso próprio exercito:


Ok, mas... Será que eu consigo contratar profissionais qualificados no mercado de trabalho que tenham conhecimento em Debian para prestar suporte quando houver necessite de obter? Considero isso uma coisa fácil em tempos atuais (e até mesmo em tempos mais remotos). Isso já é um caso antigo se levarmos em consideração que é exigido o conhecimento do Debian na certificação LPI. Confira no próprio site da LPI que aparece no conteúdo de estudo para a certificação que necessário conhecer o gerenciamento de pacotes do Debian, seu gerenciamento de serviços, como configurá-lo e etc (claro que a LPI cobre outras distribuições como Red Hat Enterprise Linux e SuSE Enterprise Linux):
https://www.lpi.org/study-resources/lpic-1-101-exam-objectives/

 Um exemplo de forte empresa que distribui material de estudo para a LPI é a IBM:
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-map/
 Que nessa sessão pode-se conferir o material sobre o Debian:
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-102-4/
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-102-4/
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-102-4/
  Ok, mas qual a garantia de continuar existindo a que eu estou usando em meu servidor? Simples! O Debian é uma distribuição que possui suporte LTS. Para se ter ideia, a ultima versão estável do Debian possui suporte a longo prazo até 2018 (e a próxima versão estável, que tem lançamento previsto para o ano que vem, terá suporte até 2020).


 E sabe o que mais me chama a atenção nisso tudo? É que quem mantem o seu suporte são as empresas como a Toshiba que o utilizam e usufruem da distribuição.
https://raphaelhertzog.com/2016/04/15/freexians-report-about-debian-long-term-support-march-2016/


 Tanto que  Ben Hutchings, que é um dos desenvolvedores do Debian é mantido financeiramente para manter as versões LTS do kernel 3.2 e 3.16:


https://www.kernel.org/category/releases.html
 Uma distribuição extremamente estável, segura, inovadora, responsável (até socialmente se levarmos em consideração), profissional, levada a serio,  mantida financeiramente por empresas de renome e de grande importância no mercado de tecnologia. Essa é a distribuição Debian.

 Bom, então é isso galera. Existem grandes distribuições que trabalham nesse mesmo estilo como a RHEL, Ubuntu, OpenSuse e SuSE Enterprise Linux. Confiança total nessas distribuições que são verdadeiros casos de sucesso e que eu espero que continuem a crescer mais e mais.

 Acho que estão cansado de ver, mas vou deixar o meu vídeo sobre a história do Debian aqui. Um forte abraço e falou:




 Não só esse mas esses outros dois também que são de extrema importância. O do Steam Controller no Debian:



 Agradeço ao Luis Prado da InfraServer Informática, uma empresa do Rio Grande do Sul voltada a soluções em Windows, Linux e FreeBSD da qual eu presto consultoria em software livre e de código aberto, por ter me.ajudado na construção deste importante artigo que achei muito fundamental. Sem o Luis esse artigo não teria sido possível.

 Confiram também um número enorme de empresas que contribuem para manter o Debian:
Lançado novo Minicurso de atributos no Linux

Resumo do Tux 20/03/2016

 Fala cambada. Beleza? Bora para o resumo do Tux desta semana? Que alias, está recheada de coisas. Nem esperava escrever tanto.

Resumo do Tux 20/03/2016

 Essa semana tivemos a terceira parte do Espaço aberto - Assunto ZFS com o Ayr Muller que é um assunto muito show. Porém, estou deixando os capítulos mais curtos; fica melhor para todo mundo:


 Quero deixar todos cientes que teremos o evento Semana do Linux no dia 31/03 às 20:00. Para participar, clique aqui. Espero que participem e gostem:

Semana do Linux


 Indo direto as noticias, essa é a que o Ayr me passou e achei interessante. No lançamento do Debian Jessie foi anunciado que não haveria mais a versão Debian GNU/K-FreeBSD. Alguns ficaram tristes com a noticia, mas agora foi anunciado a versão UbuntuBSD, que é uma versão FreeBSD do Ubuntu (morre de um lado, renasce do outro da mesma família).


 Caso queiram baixar a imagem ISO e testar, basta clicar neste texto
Caros seguidores do Elite Linux, lembrando que falta menos de um mês para FLISOL... A equipe do Elite Linux estará realizando a FLISOL de Porto Alegre na Faculdade de Tecnologia Senac RS...Para quem puder ir, nos encontramos lá !!!

Link para o grupo do Elite Linux

 Duas outras noticias que quero compartilhar com vocês é que a AMD anunciou a nota de lançamento do driver Beta GPU-PRO para Linux com suporte ao Vulkan. O texto está inglês, mas queria deixar todos cientes (basta usar o tradutor do navegador que está tudo certo).


 Bom, ontem eu participei de uma entrevista no canal DLins que foi bem legal. O Diego Lins inclusive foi o ganhador da promoção da DioStore onde ele ganhou o curso de computação forense e o de LPI (muita sorte para uma pessoa só hehehe):

 E para finalizar, eu postei um videozinho basico que faz parte do quadro "Propagandas com linux" com a vídeo sobre o StemLink legendado (por mim, claro :), que como sabem o meu intuito é provar que elas existem:



Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (9) Andriod (14) android (5) artigo (5) aws (1) bc (16) benchmark (3) BSDs (27) btrfs (30) bugs (1) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (24) comp (1) compressores (5) container (6) CPU (19) criptografia (4) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desenvolvimento (80) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (3) dic (1) Dica de leitura (86) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (1) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (13) Docker (11) DragonflyBSD (20) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) EMMI Linux (4) emuladores (5) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (75) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (90) gerenciadores de pacotes (3) GOG (3) google (8) gpu (3) hardware (101) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (8) Intel (15) IoT (1) ispconfig (1) jogos (36) kde (1) kernel (134) lançamento (60) leis (1) LFCS (1) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) machine learning (1) matemática (4) mesa redonda (27) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (146) não viva de boatos (9) navegadores (3) NetBSD (7) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (82) OpenBSD (5) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (39) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) pipewire (1) processadores (27) professor Augusto Manzano (11) Programação (60) promoção (1) propagandas com Linux (8) Red Hat (21) redes (3) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (1) runlevel (2) segurança digital (19) servidores (1) shell (3) sistema operacional (22) smartphones (3) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (9) Steam no Linux (7) supercomputadores (4) suse (7) systemd (7) terminal (83) terminal de comandos (11) toca do tux (1) toybox (23) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (4) wayland (5) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (13) zsh (2)