Debian não possui suporte?

 Conversando com um amigo, ele me disse que uma empresa que ele vendeu o seu serviço estava querendo eliminar o Debian de seu servidor por se tratar de um sistema de graça; logo, sinônimo de sem garantia de suporte. Mas será que é bem assim mesmo? Vamos ao esclarecimento dessa duvida cruel.


Debian não possui suporte

 Esse cliente acredita que que por ser de graça, ninguém se responsabiliza. Ele se baseia no fato de que, se ligarem para Dell ou HP, na hora de cotar um server, eles vão perguntar qual sistema operacional. Se for Linux (e não for distribuições como Red Hat Enterprise Linux, SuSE Linux Enterprise ou Ubuntu server), não dão suporte.

 E é uma opinião até coerente baseando que poucos abordam essa informação sobre a distribuição (e é aqui que nós entramos para dar essa forcinha hehehe).

 Bom, esse é assunto ainda um pouco tratado não somente para os da área técnica, mas se torna até mesmo para muitas empresas. Querendo quebrar esse (digamos) tabu, resolvi escrever este artigo.
 O Debian é sim um sistema livre e gratuito, mas no próprio contrato social do Debian não restringe a ninguém a sua comercialização.

 "Ah, mas isso não significa que tenha alguém vendendo o suporte a distribuição"

 Sim, verdade. Hoje eu digo que o Debian é uma distribuição freemium, ou seja, tem alguém maior a financiando para que outros se beneficiem. Isso pode ser conferido na lista de parceiros do Debian onde grandes empresas a financiam:
https://www.debian.org/partners/
 E por que raios essas empresas investem grana para manter o Debian para ele ser disponibilizado gratuitamente?
 Simples! para que elas mesmas possam se beneficiar da distribuição. Elas financiam o projeto e vendem suas soluções baseada na distribuição. Para as empresas é vantajoso contribuir com o projeto de alguma forma (financiando gastos como servidor, internet, domínio, contratando desenvolvedores e disponibilizando-os para trabalhar na comunidade Debian em seu melhoramento e desenvolvimento), deixando tudo disponível do que ficarem criando novas soluções que gerariam muito mais . Seria basicamente como financiar pesquisas em novas soluções.

 Foi realizado um calculo de quanto seria necessário para desenvolver uma distribuição como o Debian do zero e chegaram a bagatela de pouco mais de 19 bilhões de dólares. Isso que estamos mencionando desenvolver hoje a versão 2.2 do Debian; imagina só quanto custaria o desenvolver na sua ultima versão que está a caminho, a versão 9.

 Confiram isso em:

Para Que Serve a Liberdade?

Caso de sucesso em utilizá-lo é o próprio Google que fortemente utiliza-o em seus servidores:
https://events.linuxfoundation.org/sites/events/files/slides/ProdNG_0.pdf


 Não só o  Google, mas encontramos Debian até mesmo no nosso próprio exercito:


Ok, mas... Será que eu consigo contratar profissionais qualificados no mercado de trabalho que tenham conhecimento em Debian para prestar suporte quando houver necessite de obter? Considero isso uma coisa fácil em tempos atuais (e até mesmo em tempos mais remotos). Isso já é um caso antigo se levarmos em consideração que é exigido o conhecimento do Debian na certificação LPI. Confira no próprio site da LPI que aparece no conteúdo de estudo para a certificação que necessário conhecer o gerenciamento de pacotes do Debian, seu gerenciamento de serviços, como configurá-lo e etc (claro que a LPI cobre outras distribuições como Red Hat Enterprise Linux e SuSE Enterprise Linux):
https://www.lpi.org/study-resources/lpic-1-101-exam-objectives/

 Um exemplo de forte empresa que distribui material de estudo para a LPI é a IBM:
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-map/
 Que nessa sessão pode-se conferir o material sobre o Debian:
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-102-4/
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-102-4/
https://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-102-4/
  Ok, mas qual a garantia de continuar existindo a que eu estou usando em meu servidor? Simples! O Debian é uma distribuição que possui suporte LTS. Para se ter ideia, a ultima versão estável do Debian possui suporte a longo prazo até 2018 (e a próxima versão estável, que tem lançamento previsto para o ano que vem, terá suporte até 2020).


 E sabe o que mais me chama a atenção nisso tudo? É que quem mantem o seu suporte são as empresas como a Toshiba que o utilizam e usufruem da distribuição.
https://raphaelhertzog.com/2016/04/15/freexians-report-about-debian-long-term-support-march-2016/


 Tanto que  Ben Hutchings, que é um dos desenvolvedores do Debian é mantido financeiramente para manter as versões LTS do kernel 3.2 e 3.16:


https://www.kernel.org/category/releases.html
 Uma distribuição extremamente estável, segura, inovadora, responsável (até socialmente se levarmos em consideração), profissional, levada a serio,  mantida financeiramente por empresas de renome e de grande importância no mercado de tecnologia. Essa é a distribuição Debian.

 Bom, então é isso galera. Existem grandes distribuições que trabalham nesse mesmo estilo como a RHEL, Ubuntu, OpenSuse e SuSE Enterprise Linux. Confiança total nessas distribuições que são verdadeiros casos de sucesso e que eu espero que continuem a crescer mais e mais.

 Acho que estão cansado de ver, mas vou deixar o meu vídeo sobre a história do Debian aqui. Um forte abraço e falou:




 Não só esse mas esses outros dois também que são de extrema importância. O do Steam Controller no Debian:



 E o do Jeferson do canal Linux Tips que é uma autoridade no mundo Linux e que utiliza Debian fortemente nos servidores:



 Agradeço ao Luis Prado da InfraServer Informática, uma empresa do Rio Grande do Sul voltada a soluções em Windows, Linux e FreeBSD da qual eu presto consultoria em software livre e de código aberto, por ter me.ajudado na construção deste importante artigo que achei muito fundamental. Sem o Luis esse artigo não teria sido possível.

 Confiram também um número enorme de empresas que contribuem para manter o Debian:


Sou analista (bilíngue) de microinformática, professor de inglês, tradutor e interprete.

 Sou também redator no blog Diolinux e um dos tradutores da distribuição Funtoo. Já fiz parte da distribuição IPFire por um tempo também, uma distribuição que gosto muito na parte de administrar o servidor por uma interface web.
 Possuo um manual chamado Caixa de Ferramentas do UNIX traduzido por mim e revisado por mais amigos que abrange tanto Linux (dentre algumas distribuições) quanto Solaris, BSDs, Mac OS X e em alguns momentos o Windows (devido a integração cliente servidor).
 Recentemente estou trabalhando em um manual de migração para Linux.

Compartilhe isso

Leia outros posts

Próximo post
« Próximo post
Post Anterior
Próximo Post »

Compre na imago brinquedos

Compre na imago brinquedos
Utilize o cupom de desconto TOCADOTUX e ecnomize 5% na sua compra