Fim do Android porque Linux não é seguro e tem vários problemas... Sei, conte-me mais.

Android chegando ao fim
Adeus Android

Fuschia (pronuncia em inglês Fúishá) é o sistema operacional da empresa Google baseado no micro-kernel Zircon que por sua vez é baseado no micro-kernel Little Kernel e que possui como foco os dispositivos embarcados. O interessante é que o Little Kernel está no boot do Android com o nome de lk e também no seu Trusty TEE. É, o Little Kernel já é presente há mais tempo do que imaginam. Já pensou se os caras entram na mesma briga desnecessária que o GNU por simples questão de nome???... Além do mais, se reclamarem de segurança e baixo desempenho do  Android, pode ser culpa do Little Kernel também (há vários fatores a serem analisados).
Para saber mais sobre micro-kernel, suas vantagens e desvantagens, leia meu artigo sobre os 5 diferentes modelos de kernel bastando clicar aqui. Eu estou sempre atualizando-o com novas informações.
O nome Fuschia é o nome da cor vermelha púrpura viva dada a algumas flores (por que escolheram esse nome, eu não faço ideia). O Fuschia possui suporte as arquiteturas X86 e ARM e seu código está (com exceção dos programas de terceiros) sob as licenças BSD, Apache2/.0, MIT e Zlib.

Talvez seja isso o que leve todos a pensar que o Fuschia substituirá o Android; mesmo suporte a arquiteturas, mesmas licenças do user-space do Android (e mais atraente sendo presente até no seu kernel). Não a tamanha bobeira que ouvi sobre Linux não ser customizável, não ser seguro e ter muitos problemas problemas.
Diagrama do sistema operacional Fuschia
Arquitetura do sistema operacional micro-kernel Fuschia
Depois que assisti o vídeo com tamanha bobeira, eu não exitei em responder ao canal que até hoje não me respondeu:
minha resposta no vídeo em questão
minha resposta no vídeo em questão
Como mencionei no comentário, a Microsoft mesmo adotou Linux exatamente por questão de segurança, confiabilidade e ser pequeno. Cheguei a debater na época do lançamento com pelo menos três vídeos no canal e um artigo no blog e que podem ser conferidos clicando neste texto.

 Então, aqui vai o vídeo onde debato o vídeo em questão:


Mais uma coisa que foi dita é que o Fuschia é um sistema mais robusto. Eu duvido que, se tratando de sistema operacional, muita gente entenda do que se trata robustez (o que na verdade não foge das leis da física e biologia. Geralmente é assim, a tecnologia imita a natureza). Já ouvi muita gente até mesmo pessoas empregarem a palavra robustez para se referir a um sistema pesado (mal sabem eles que é o oposto do que dizem). sistemas como Linux e BSDs são sistemas que já atingirem a robustez em vários aspectos.

Se o Google realmente estivesse pensando em substituir o Android pelo Fuschia por Linux não ser seguro e ter um monte de problemas (esse é o ponto chave da conversa), o Google não teria entrado para os membros Platinum (maior categoria de membros) da Linux Foundation depois da Microsoft, não teria investido $?? Milhões no KaiOS que é uma distribuição Linux baseado no antigo FirefoxOS, não estariam trabalhando no desenvolvimento do LinuxBoot, o toybox não  estaria em contínuo desenvolvimento.


Não acredito que o Fuschia tem como objetivo principal substituir o Android. Por que não especularam isso quando o Google lançou o ChromeOS? Não sabiam que o ChromeOS era Linux também. Mas se o Fuschia vai realmente substituir o Android ou não, isso somente o tempo dirá e prefiro esperar o Google dizer ao invés de ler sites afirmando somente a possibilidade.

O que me intriga não é se irão substituir o Android ou não e sim dizer que Linux não é seguro e tem vários problemas. Tanto que chega a ser contradizente já que por um lado o Google trabalha no desenvolvimento do Fuschia e por outro trabalha no desenvolvimento de outros projetos Linux. Mas eu gostaria até mesmo de dar uma sugestão aos que gostam de ficar especulando a respeito do Linux fingindo entenderem o que estão falando:
Fechem os canais e blogs de vocês. Como vocês podem confiar em ter seus canais e blogs rodando em um sistema que não é seguro e tem um monte de problemas? Fica a dica.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (13) AMD (13) analise (8) Andriod (7) artigo (5) benchmark (1) BSDs (13) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (15) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (47) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (48) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (7) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (3) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (50) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (9) Funtoo Linux (13) games (85) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (93) I.A (1) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (28) kernel (111) lançamento (29) leis (1) LFCS (1) licenças (7) Linus (14) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) machine learning (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (100) não viva de boatos (10) navegadores (2) NetBSD (3) novatec (17) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (3) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (32) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (20) professor Augusto Manzano (11) Programação (34) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (12) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (2) suse (3) systemd (7) terminal (70) toca do tux (1) toybox (12) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) wayland (1) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (3)