Série FX da AMD esquentando como um vulcão?

Em meados do ano passado eu fiz um vídeo explicando sobre a série de processadores FX da AMD devido a comentários que eu vi nas redes sociais. É que me chama a atenção a opinião que as pessoas formam sem ao menos um pouco de pesquisa (e que chega a ser intrigante).

Tenho certeza que tem gente que vai me dizer:
"Ah, mas você está defendendo o FX porque você tem um".
E a resposta para isso é que sim; e não sim para estou defendendo a série e FX, e sim para eu tenho um FX 8300. Mas já tive também um Pentium, um Pentium 3, um Pentium 4, dois Celerons, um Athlon XP, quatro Core2Duo, um Atom, um Corei3 e dois FX sendo o 6300 e o 8300 (Agora faça as contas e veja se já tive mais processadores da Intel ou da AMD). Também já tive dois um ARM (no Raspberry Pi e no Endless Mini sem contar os dos smartphones que temos fácil acesso hoje), um PowerPC e conto nesta lista um SH4 (através do meu Dreamcast que posso rodar Linux e que estão voltando a sua produção para a IoT e para a computação descartável).


E mesmo depois de mostrado quais processadores já tive, vai ter gente parecendo múmia afirmando a mesma coisa...

OK, mas o que me levou a escrever este artigo foi ver o pessoal falar a forma como o FX esquenta ao ponto de parecer estar entrando em erupção. Chega a ser engraçado ler esse tipo de comentário.

Galera, até mesmo os processadores da Intel esquentam muito. A questão era aquele Cooler Box (cooler que vem em conjunto com os processadores) da Intel que eram horríveis até mesmo na questão de como a gente conectava à placa mãe:


Eu detestava (e ainda detesto) tanto aquele cooler que por fim acabei comprando um da Cooler Master e me desfiz do cooler box. E até hoje a Intel insiste nesses coolers que vem por padrão. Esse cooler que comprei sim foi bom, solucionou meu problema na questão de aquecimento do processador e de até mesmo parafusá-lo na placa mãe.


Isso acontece também com o FX. O cooler que vem por padrão na caixa do processador FX é um cooler pequeno (mais ou menos dois dedos ou menos de altura como o que se vê nas imagens abaixo), vinha uma folha de cobre embaixo (é, um cooler foliado a cobre...) e que uma ventoinha fraca que para renderizar um vídeo chegava a esganá-la. E é isso que vai em cima de um processador com 6 a 8 núcleos...


Se em um processador com dois núcleos operando a 3.0Ghz esquenta, não iria acontecer a mesma coisas com um processador com oito núcleos operando a 3.3Ghz? Esse foi um erro cometido também pela AMD na geração FX (e é até hoje o mesmo erro da Intel nos CoreiX). Foi onde eu comprei um cooler da CoolerMaster (sim, gosto da marca mas ainda quero um BeQuiet) para o meu FX que solucionou o problema do calor:



Os únicos momentos que meu processador esquenta (MESMO, mas não tanto como exageram) é quando vou renderizar os vídeos para o canal, mas até aí normal. Quando jogo esquenta um pouco, mas nada de tão quente, nada do tipo:
noss, pega o ventilador lá e uns cubos de gelo, coloca na frente do ventilador direcionando para o computador se não  vai derreter.
Esse cooler foi projetado tanto para o soquete AM3+ (AMD FX) quanto para o soquete 775 (Core2Duo). Bom, por hora é só; só quis debater esta questão de acharem que os processadores da AMD são um ferro de passar roupas. Hoje o cooler box da AMD valem muito a pena; são bem dimensionados e dissipam bem o calor, mas os anteriores não valiam a pena.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (13) AMD (13) analise (8) Andriod (7) artigo (5) benchmark (1) BSDs (13) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (15) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (47) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (48) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (7) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (3) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (50) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (9) Funtoo Linux (13) games (85) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (93) I.A (1) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (28) kernel (111) lançamento (29) leis (1) LFCS (1) licenças (7) Linus (14) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) machine learning (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (100) não viva de boatos (10) navegadores (2) NetBSD (3) novatec (17) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (3) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (32) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (20) professor Augusto Manzano (11) Programação (34) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (12) Software livre e de código aberto (150) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (2) suse (3) systemd (7) terminal (70) toca do tux (1) toybox (12) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) wayland (1) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (3)