O que é Disposable Computing?

Relógios feitos em E-paper
Relógios feitos em E-paper pela Sony

Eu não sei ao certo um nome a dar esse tipo de tecnologia em português pois não se vê nada relacionado ao assunto em nosso idioma (ao menos não encontro nada). O termo para Disposable Computing em português seria como computação descartável ou computação disponível.

E o que seria Disposable Computing?

A melhor fonte para explicar o que seria foi o dado por Rob Landley eu seu site oficial em que relata o exemplo e que chegamos a conclusão que o termo mais lógico é computação descartável:
"Imagine uma caixa de cereal na prateleira de uma merceria com um painel E-paper (outra tecnologia interessante) que auto-atuliza a cada 30 seconds. Tudo rodando a partir de um pequeno chip em um canto da caixa que pode imprimir de uma bateria de relógio durantes seis meses, é implementado um pouco parecido com uma RFGID tag, e custa menos que o "o brinquedo de graça dentro da caixa". O J2 e J1 devem fazer bem nesse market."
Essa foto eu tirei em um supermercado de Florianópolis e apesar da imagem estar embaçada, esse é um  ótimo exemplo de como seria; porém, nas caixas dos produtos ao invés de ser na prateleira.

É aqui que entra o J-core. j-core é uma família de processadores RISCs híbridos, open source  (sob licença BSD), SOC (sim, ao menos CPU e memoria em um chip só), baseado no conjunto de instruções do processadores SuperH da Hitachi. Para saber mais sobre o j-core, fica o vídeo explicativo abaixo:


Existem cinco projetos para os processadores da família j-core sendo eles o j1 focado em Arduino, o j2 (sendo esse o primeiro processador desta família a ser trabalhado inicialmente em 2015) que implementa as mesas características do processador do Sega 32x  e Sega Saturn e mais três instruções que não havia nesses dois (sendo uma delas originada do processador S360 CAS da IBM). Esse processador possui 265 MB de memória LPDDR mas não possui suporte a MMU.

O j3 que roda códigos do sh3, possui suporte a MMU e FPU (que era somente de 32 bits e passando a ser de 64 com a implementação do j4) e adicionarão um novo modelo de DSP que está em desenvolvimento ao j3.

O j4 (que está previsto seu lançamento esse ano) é o mesmo processador sh4 do console Dreamcast porém possui novas instruções comparado ao sh4 que é a capacidade de executar mais de uma instrução por ciclo de clock. E por ultimo o j64 que é uma aproximação do x86 de 64 bits para o j4.

Há também o trabalho sendo feito sobre a placa mãe para tal família de processadores chamada Turtle Board (que parece que pretendem mudar o nome).

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (3) ambiente gráfico (11) AMD (13) analise (8) Andriod (6) artigo (5) benchmark (1) BSDs (12) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (13) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (44) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (44) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (5) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (2) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (47) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (8) Funtoo Linux (13) games (84) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (92) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (27) kernel (110) lançamento (22) leis (1) LFCS (1) licenças (6) Linus (14) Linux (193) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (93) não viva de boatos (9) navegadores (2) NetBSD (2) novatec (16) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (2) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (29) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (19) professor Augusto Manzano (9) Programação (30) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (10) Software livre e de código aberto (149) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (1) suse (3) systemd (7) terminal (68) toca do tux (1) toybox (10) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (2)