lançada musl 1.1.22

lançada musl 1.1.22
lançada musl 1.1.22
 Não é de hoje que eu falo da musl no meu canal e no meu blog. Uma das primeiras vezes que eu consigo me recordar de haver mencionado foi na série Muito além do GNU. Musl é a nova biblioteca padrão que dá mais poder a nova geração de dispositivos baseados em Linux tornando o sistema mais leve,  mais rápido e mais seguro.
Confiram o curso de migração para Linux TOCA DO TUX e aprenda Linux de verdade. Coisa de macho mesmo.
 Caso ainda não conheça a biblioteca musl, fica aqui um vídeo para ter um resumo antes de continuarmos tratando do novo lançamento:


 Não vou tratar dos seus novos recursos pois são mais mais mudanças internas como armazenamento de thread-local dinâmica, e trabalho em multi-threaded set*id(). São coisas que para mim que é da parte de administração do sistema é pouco uso (ou quase nenhum). Caso queira saber o que há de novo, aconselho a baixar a nova versão no site oficial que está logo abaixo:
 Mas de qualquer forma, podemos agradecer a empresas e projetos como a Midipix e a Hurricane Labs e indivíduos como Neal Gompa, Les Aker, Laurent Bercot, Justin Cormack pela contribuição nesse novo lançamento.

 Eu só gostaria de fazer as considerações do porque venho ao longo do tempo promovendo várias ferramentas que estão presentes no Linux e não são do projeto GNU. Muitos fazem até alvoroço dizendo que odeio GNU (mesmo que por várias vezes já disse que não, mas que também não me limito ao uso somente as ferramentas do projeto).

 O que me chama a atenção na musl é o resultado final do tamanho de um binário tendo como dependência a biblioteca ao invés da glibc. A imagem abaixo ilustra isso comparando três distribuições:
Comparação do tamanho entre as imagens das distribuições CentOS, Ubuntu e Alpine.
Comparação do tamanho entre as imagens das distribuições CentOS, Ubuntu e Alpine.
 É tal coisa que eu quero ver e se a musl apresentar melhor resultado do que a glibc, eu vou utilizar a musl. Mas se em outros aspectos a glibc apresenta melhor resultado do que a musl, eu vou então utilizar a glibc. É assim que nós agimos; nós técnicos e não filósofos de plantão.

Compartilhe isso

Leia outros posts

Próximo post
« Próximo post
Post Anterior
Próximo Post »