Dando créditos ao... Minix?

Dando créditos ao... Minix?

Dando créditos ao... Minix?


    Tenho certeza que, inconscientemente você esperava ler "dando mais créditos ao GNU" pois isso é o que lemos e ouvimos a vida toda. Há mais de 20 anos, a alegação dos defensores de software livre é que as ferramentas que utilizamos nas distribuições Linux são de autoria do projeto GNU (o que não é necessariamente verdade) e com isso brigam para que o nome GNU seja reconhecido no Linux para assim dar-lhe os "devidos créditos" (parece até mesmo uma briga por paternidade). Essa é uma das brigas mais inúteis que eu já vi; mas graças a essa briga inútil é que outras ferramentas muitos importantes, tão bons quanto as do GNU (e muitas vezes até melhor), não ganharam a notoriedade e adesão que deveriam e mereciam.

    Como ferramentas como o terminal de comandos Zsh não ganharam notoriedade sendo o Zsh um terminal muito melhor que o Bash e apenas um ano mais novo? Como outras bibliotecas como a Dietlibcmusl e newlib também não são mais adotadas podendo tornar os mesmos binários bem menores e bem mais confiáveis? E assim esse questionamento segue para todas as ferramentas do projeto GNU que utilizamos (fora ferramentas dos BSDs, do MIT, Plan9 e até mesmo do próprio Linux que utilizamos das distribuições). E foi por isso que eu criei a série Muito além do GNU.

    Mas algo que pode te surpreender (ou talvez não) é que há um grupo que quer o mesmo reconhecimento, só que para o Minix. O site Cnet publicou em Maio de 2004 um artigo intitulado "Torvalds é realmente o pai do Linux?" que apesar de eu não encontrar o link da fonte no seu artigo, 14 pessoas apresentaram em Washington, D.C um relatório de 92 páginas sugerindo que mais créditos do Linux deveriam ir para o Minix (parecem os fanboys do Batman que fizeram um abaixo assinado no site change.org pedindo ao presidente da Warner que proibisse que o ator Ben Affleck interpretasse  personagem... Eu juro que eu não acreditei nisso quando vi 😂)


    O estudo sugere que Linux Torvads pode ter gradualmente substituído código Minix do Linux, mas Linus afirmou que isso nunca aconteceu e argumentou que ele e outros desenvolvedores do Linux deram os créditos apropriados. O Minix foi simplesmente uma plataforma que Linus Torvalds fez seu trabalho de programação:
"Linux nunca utilizou código do Minix... Nunca demos credito a código de ninguém porque nunca utilizamos código de ninguém, mas o Unix sim forneceu as ideias. Nunca houve qualquer pergunta a respeito do fato de que o Linux foi muito aberto a pegar um monte de boas ideias do Unix."
"Eu estava utilizando o Minix quando eu escrevei o Linux, mas isso é no mesmo sentido de que você está utilizando Windows quando você escreve sua coluna. Seus artigos contem código fonte do Windows porque você utiliza Windows para escrevê-los?"
    A questão de inspirar-se em ideias do Unix é realmente um ponto muito relevante e valido mas que realmente nunca levamos em consideração defendemos cegamente com unhas e dentes projetos como o GNU que perde seu tempo disputando reconhecimento (com o nosso cego consentimento e apoio) ao invés de concentrarem em tornar suas ferramentas melhores. Não somente os Unix mas também outros sistemas operacionais como o Inferno, o Plan9 (Plan9 tem importância muito significativa para os sistemas operacionais) e o MacOS X são fontes de ideias muito importantes para o Linux. Em uma entrevista, Linus mesmo fez essa afirmação:
HY: Você pensa nesses outros sistemas operacionais PC-Unix como rivais, ou mais como celgas? Você olha para eles com frequência para ver o que pode ser incorporado ao Linux, ou eles nunca te incomodam de forma alguma?
Linus: Eu raramente me preocupo com outros sistemas. Eu me concentro totalmente apenas em tornar o Linux o melhor OS que eu puder, e enquanto isso as vezes envolve pegar ideias de outros sistemas, não é exatamente uma grande parte (e quando eu tenho novas e interessantes ideias eu geralmente me volto a sistemas mais radicais como o Plan-9 ou o Inferno, e então eu tento decidir quais dessas ideias são realmente validas).
    Enquanto isso, em uma entrevista ao Department of Computer Science da universidade de Vrije, intitulada "Quem escreveu Linux", Andrew argumenta que "Linus não sentou em um vácuo e de repente digitou o código fonte do Linux.  Ele tinha o meu livro, estava rodando o Minix e indubitavelmente sabia a história (desde que isto está no meu livro). Mas o código era dele"

"Linus didn't sit down in a vacuum and suddenly type in the Linux source code. He had my book, was running Minix and undoubtedly knew the history (since it is in my book). But the code was his," Tanenbaum said in a Web posting about his interview. https://www.cs.vu.nl/~ast/brown/

    Bom, fazendo uma analise nesta frase do professor Andrew Tanenbaum, temos aqui três pontos. O primeiro é a alegação do uso do seu livro como argumento para se autopromover; que então neste caso deve-se também dar créditos ao Solaris. Por que? Vamos investigar na história.


  Devido a um projeto que estou trabalhando (no minix), estou interessado na definição do padrão posix. Alguém poderia me indicar um formato (de preferência) legível por máquina das regras de posix mais recentes?
     Sites FTP seriam bons.
    Esta é primeira mensagem enviada por Linus Torvalds e que é familiar entre nós que, devido os manuais POSIX serem caros, ele tentou conseguir uma cópia com alguém para trabalhar no desenvolvimento do Linux. Como ninguém havia respondido durante um bom tempo, então Linus passou a utilizar os manuais POSIX da Sun Microsystems que ele conseguiu na biblioteca da universidade de Helsinki. Sim, Linus utilizou o livro de Andrew para estudar e entender como um sistema operacional funciona internamente, mas Linus utilizou os manuais POSIX do Solaris para tornar Linux um verdadeiro clone do Unix (claro que depois outros manuais POSIX também foram utilizados depois que foram enviados, mas toda a implementação das características POSIX ao Linux começou com os manuais do Solaris).

    Segundo ponto

    Andrew Tanenbaum também não programou Minix no Vácuo (bem óbvio); ele também precisou de um sistema operacional para desenvolver e compilar do Minix, que na ocasião foi o sistema operacional Coherent, o primeiro clone do Unix na história:
"Inicialmente, eu fiz o desenvolvimento de software no meu IBM PC rodando o Coherent da Mark Williams, um clone V7 escrito pela alumni da Universidade de Waterloo. Seu código fonte não era publicamente disponível. Utilizar o Coherent foi inicialmente necessário porque a principio eu não tinha um compilador C."

    Terceiro e ultimo ponto

    Como afirmado pelo próprio Andrew, o código era do Linus. ENTÃO DANE-SE. Algo que eu aprendi ao longo do tempo estudando licenças open source é que você pode revogar direito sim, mas sobre o seu código, não sobre código de terceiros e nem por terceiros utilizarem suas ferramentas (você concordou com isso). Alias, nem é necessário lei para isso, é uma questão de bom senso e de lógica. Já pensou se johann pachelbel tivesse que dar créditos ao fabricante do órgão, do papel, da caneta tinteiro e todos os outros só por ter utilizado seus produtos para compor canon in d major? haja paciência...

    O que eu percebo é que tudo isso não passa de uma tentativa frustrada e fracassada tanto por parte do GNU quanto do Minix de fazer propaganda do seu trabalho em cima de um sistema operacional Linux que teve o seu sucesso inesperado e subestimado por ambos; essa é a forma mais inútil que o Minix  o GNU encontraram para se promover. A forma mais lógica de se dar créditos a uma projeto pode ser lida através da informação extraída do livro OpenLife e exceder a isso é desnecessário:
Um fator final importante foi que Linus não trabalhou sozinho. Ele foi aberto para ideia colocadas adiante por outros, e aberto para colaborações. Além disso, ele baseou seu trabalho em outros previamente feito por outros (minix) e aproveitou-se de ferramentas criadas por outros (bash, e gcc).
NÃO SE ESQUEÇA DE SE INSCREVER NO MEU CURSO DE MIGRAÇÃO PARA LINUX.
 QUER APRENDER A UTILIZAR O BTRFS NO FEDORA, ENTÃO VENHA APRENDER LINUX COMIGO ;)

Lançado novo Minicurso de atributos no Linux

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Viu algum erro e quer compartilhar seu conhecimento? então comente aí.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (2) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (10) Andriod (16) android (7) Apple (1) arm (5) artigo (5) aws (1) bc (23) benchmark (6) BetrFS (1) blackhat (1) BSDs (30) btrfs (32) bugs (2) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (54) comandos (32) comp (1) compressores (6) container (7) CPU (19) cracker (1) criptografia (5) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desempenho (1) desenvolvimento (92) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (4) dic (1) Dica de leitura (91) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (3) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (14) Docker (12) DragonflyBSD (22) driver (1) dropbear (3) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) embarcados (1) EMMI Linux (4) emuladores (9) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (11) filesystem (82) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (94) gerenciadores de pacotes (4) glaucus (4) GOG (3) google (9) gpu (3) hacker (2) hardware (104) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (12) Intel (15) inteligencia artificial (2) IoT (1) ispconfig (1) jogos (38) kde (1) kernel (138) lançamento (64) leis (1) LFCS (1) libs (2) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) Mac (1) machine learning (1) matemática (9) mesa redonda (27) microcontroladores (1) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (167) musl (3) não viva de boatos (9) navegadores (5) NetBSD (7) newlib (1) nim (1) nintendo (1) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (84) OpenBSD (7) OpenShift (1) oracle (1) os vários sabores de Linux (44) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) performance (1) pipewire (1) plan9 (1) playstation (1) processadores (30) professor Augusto Manzano (11) Programação (64) promoção (1) propagandas com Linux (8) ps4 (1) real-time. (1) Red Hat (23) redes (4) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (14) RISCV (13) rtos (1) runlevel (2) rust (12) segurança digital (24) servidor web (2) servidores (3) shell (9) shell script (8) sistema operacional (25) skarnet (1) smartphones (3) Software livre e de código aberto (151) sorteio (3) Steam (10) Steam no Linux (8) supercomputadores (4) suse (6) systemd (8) terminal (89) terminal de comandos (18) toca do tux (1) toybox (27) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (17) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) virtualização (2) vulnerabilidade (6) wayland (5) web (1) whatsapp (1) whitehat (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) yash (1) ZFS (15) zsh (3)