Visão Geral Sobre o Terminal

Nos meus dois últimos artigos sobre terminal de comandos, eu expliquei sobre os comandos help, apropos, whatis, man e info:
 Desta vêz, vamos nos direcionar no terminal.




 É importante que saibamos nos orientar ao olhar para o terminal (como para qualquer outro programa mesmo em uma GUI), então vamos analisar o ambiente de um terminal de comandos:

Este é baseado no mate-terminal

 Bom, a principio pode só parecer um monte de letras com um quadrado piscando e você tem uma reação mais ou menos assim "..." (sem entender o que isso quer dizer), mas como diria Jack o Estripador: "Vamos por partes".
 Explicando a leitura de um terminal através (digamos) de uma legenda, temos o seguinte:

  • "gabriel" é o usuário logado
  • "@" significa em tal máquina
  • "tocadotux" é o nome da máquina (ou seja, o hostname da máquina)
  • ":" é simplesmente um separador para a próxima informação de onde o usuário logado se localiza
  • "~" refere-se ao diretório home do usuário logado (serei mais específico utilizando os comandos cd, pwd e as variáveis $PWD e $OLDPWD)
  • "$" serve para identificar se é um usuário comum (caso seja um administrador, seu simbolo será um "#")



 Esse conceito é chamado "user@hostname:local". Foi a partir desse conceito que foi adotado o endereço de e-mail.


Trabalhando com comandos que lhe fornecerão essas informações, temos o whoami, que fornece a informação do usuário efetivo e seu ID (seria o mesmo que perguntar: quem sou eu? por que é isso que o comando é traduzido literalmente). Duas formas que pode-se fazer isso é digitando whoami ou uma brincadeira, o who am i:

note que o comando "whoami" exibe somente o usuário atual enquanto o comando "who am i" (que é na verdade uma opção do comando "who") exibe o usuário (gabriel), o terminal sendo utilizado (pts/0) e a data e hora do login (2015-06-30 13:12) e hostname remoto ou o display X (:0.0) 
Podemos fazer mais uma brincadeira; ao invés de digitar who am i, podemos perguntar de quem que a mamãe gosta:

Note que a saída será a mesma que do comando "who am i"

Diferente do comando whoami que exibe informação sobre quem você é, o comando who exibe usuários logados na máquina.

note que a saída (informação obtida) pelo comando "who" é a mesma que do comando "who am i" e do "who mom likes" por que tanto o "who am i" quanto o "who likes mom" são opções do comando "who".

 Uma forma mais elaborada de se usar o comando who, seria utilizando a opção -a:
esse é o resultado do comando "who -a" ou "who --all" que seria o mesmo que "who -b -d --login -p -r -t -T -u"


outros comandos que servem para verificar usuários logados seriam os comandos "users", "logname", "lastlog" (que informa login mais recente de todos os usuários ou de usuários informados e o comando "last" exibe a lista de usuários que logaram na máquina pela ultima vêz.




Uma coisa que vale mencionar é que cada usuário possui um ID (identificador, como se fosse uma carteira de identidade).
 utilizando o comando id, pode-se obter essa informação sobre os usuários (do usuário root sempre será o ID de número 0):

note que podemos pesquisar o ID de cada usuário utilizando a opção -u seguido do nome do usuário.

  Basicamente dentro do usuário@máquina:~$ acabamos ficando dentro somente de usuário, mas vou dividir para o artigo não ficar muito longo. Espero que tenham gostado e no próximo artigo trataremos dos comandos cdpwd e as variáveis $PWD e $OLDPWD.
 Não esqueçam de desfrutar das manpages para se aprofundarem mais nas opções de cada comando.
 Não esqueçam também de curtir e compartilhar e comentar caso tenham gostado. até mais e falow.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (3) ambiente gráfico (11) AMD (13) analise (8) Andriod (6) artigo (5) benchmark (1) BSDs (12) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (13) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (44) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (44) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (5) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (2) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (47) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (8) Funtoo Linux (13) games (84) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (92) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (27) kernel (110) lançamento (22) leis (1) LFCS (1) licenças (6) Linus (14) Linux (193) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (93) não viva de boatos (9) navegadores (2) NetBSD (2) novatec (16) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (2) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (29) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (19) professor Augusto Manzano (9) Programação (30) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (10) Software livre e de código aberto (149) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (1) suse (3) systemd (7) terminal (68) toca do tux (1) toybox (10) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (2)