Revisando o Debian Jessie

 Muitos fizeram review sobre o novo Debian lançado no dia 25 de Abril. Resolvi eu e um amigo fazer a mesma coisa notando suas novidades no desktop.






 Eu ainda não havia lançado esse artigo, pois estava finalizando o meu vídeo sobre o Red Hat Linux.



 E por que Red Hat Linux se estava para ser lançado o Debian? Bom, vídeo sobre o Debian eu já fiz trazendo até mesmo noticias sobre o Jessie que pode ser conferido abaixo:



 Então, resolvi lançar hoje, bem no dia em que foi lançado o kernel 4.1 e o kernel 3.19.6 que inclusive ja baixei para dar uma verificada; mas queria dar a minha palinha e lancei hehehehe.



No passado, há pouco mais de quatro anos atras (no dia 07 de Fevereiro de 2.011 para ser mais específico), eu fiz uma review quando atualizei do Lenny para o Squeeze. Desta vez parece que isso não aconteceu, pois na review anterior não foi necessário realizar realizar o #aptitude dist-upgrade, bastou um #aptitude safe-upgrade após o #aptitude update e já havia atualizado o sistema para a nova versão (apesar que depois eu tive que executar o dist-upgrade por que algumas coisas não estavam funcionando corretamente). Pode ser que atualizou o de alguém somente com o safe-upgrade, mas não aconteceu com o meu desta vez.



Vendo agora algumas novidades que há no ultimo lançamento do Debian, podemos citar:
  • Suporte para as arquiteturas “ia64” e “sparc” foram removidos do spark? :(.
  • Adicionado o suporte as arquiteturas “arm64” e “ppc64el”.
  • O uso do kernel 3.16 (a mesma versão que o Ubuntu 14.04 e 14.10 estavam utilizando).
  • Suporte a novos idiomas, que totalizam 75.
  • Suporte a instalação via UEFI
  • O systemD substitundo o SysVinit. O SystemD rendeu muitas criticas por muitos. Por aqui o que mais gerou foi boatos do que criticas. Mal os especuladores sabem que o SystemD já está presente no Wheezy e ficam com essa besteira toda.


 Olha, minha opinião quanto ao Devuan é que ele tem grande chance de não dar la grande resultado. Acho que seria mais interessante se ele tivesse sido derivado do Debian ao invés de um fork. E teve gente ainda me dizendo que se fosse um derivado não haveria como remover o SystemD do Devuan. Especulação é fogo.


  • É possível agora escolher qual interface gráfica que queira utilizar no momento da instalação do sistema, não tendo somente o Gnome como padrão.


  • Imagem ISO nas versões LiveCD. É possível customizá-la (assim como é feito no Porteus e no OpenSuse) possuindo as opções: as versões Jessie e SID, interfaces diversas (coisa nova no Debian, pois antigamente era só o Gnome, apesar que um apt resolveria a instalação de uma nova interface; mas aqui me refiro no momento da instalação do sistema. Enfim, agora temos Gnome, KDE, LXDE, Mate, padrão eXfce), podendo também escolher entre o apt e o aptitude.



 Agora, quer saber mais sobre o Jessie? Então acesse esse link do Diolinux e a nota de lançamentos do Debian que vão te dar uma base mais completa.

 Agradeço ao Strog que me forneceu as informações sobre o Jessie no desktop e a imagem do XFCE, pois ainda não executei o dist-upgrade na minha maquina.

Sou analista (bilíngue) de microinformática, professor de inglês, tradutor e interprete.

 Sou também redator no blog Diolinux e um dos tradutores da distribuição Funtoo. Já fiz parte da distribuição IPFire por um tempo também, uma distribuição que gosto muito na parte de administrar o servidor por uma interface web.
 Possuo um manual chamado Caixa de Ferramentas do UNIX traduzido por mim e revisado por mais amigos que abrange tanto Linux (dentre algumas distribuições) quanto Solaris, BSDs, Mac OS X e em alguns momentos o Windows (devido a integração cliente servidor).
 Recentemente estou trabalhando em um manual de migração para Linux.

Compartilhe isso

Leia outros posts

Próximo post
« Próximo post
Post Anterior
Próximo Post »

Compre na imago brinquedos

Compre na imago brinquedos
Utilize o cupom de desconto TOCADOTUX e ecnomize 5% na sua compra