Lançado toybox 0.8.8

toybox 0.8.8

Lançado toybox 0.8.8


 Na semana passada foi lançada a versão 0.8.8 do terminal de comandos toybox. Essa versão não traz comandos promovidos do diretório pendente. Como já é de conhecimento, esse já é o segundo lançamento desde que o Google passou a financiar Rob Landley. A intenção do Google é para ter o toybox funcionando no hermetic build (distribuição Linux já mencionada aqui no blog) enquanto Rob foca em paralelo para que o toybox venha tornar o Android self hosting (permitir que o Android seja possa ser construído no próprio Android).

 Apesar que essa versão não houve comandos promovidos, ela traz vários novos recursos como a nova opção -i do comandos timeout que elimina um comando por inatividade; suporte básico ao tar --xform mais ainda não as opções especiais tar-only s///x além da opção --null para reconhecer algumas imagens do kernel Linux e binários para novos merges arch/loongarch (uma variantes chinesa do mips64 já mencionada aqui no canal a situação da empresa mips e essa nova variante).

 Foi adicionada a opções --long permitindo que o comando ls possa executar a opção --col e entender como a opção --color; o blkid recebeu a opção -o entendendo o formato "full", "value", e "export"; o comando mount recebeu a opção -R para permitir recursividade e também autodetectar --bind e --loop (apesar que eu não vi essa opção presente no comando mount).

tar --xform e ls --col
tar --xform, --null e ls --col

 A biblioteca do toybox também recebeu novas funções (xrunread() que permite trabalhar com função filho; same_file() e same_def_ino() para simplificar compressão de metadados) e mais dois novos modificadores (" " e ";") no arquivo lib/args.c que permitem 4 combinações de set e unset que possuem semanticas definidas. lib/arg.c também recebeu "~" para que longopts possa trabalhar com

PENDENTE

 Em pendente há muito trabalho sendo feito no toysh, sh e bash que como já demonstrei anteriormente no meu vídeo sobre o bug que reportei, não estão prontos para serem utilizados para a execução de scripts. No dia 23 de Junho, Rob reportou que estava decepcionado com o resultado do trabalho no sh.c pois, sua expectativa era que ele atingisse no máximo 3.500 linhas de código e nessa época, já estava aproximando-se de 5.000. Mas muito trabalho vem sendo feito e vou realizar novos testes.


 Houveram atualizações do comando diff, limpezas no comando dd (comando que estou esperando bastante) mas ainda não estão prontos para ser promovidos apesar do atraso no lançamento.

 Houveram também correções de bugs, adição de warnigs, melhorias na sessão test e na documentação. Todos os detalhes do novo lançamento podem ser conferidos no site oficial do projeto.


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Viu algum erro e quer compartilhar seu conhecimento? então comente aí.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (10) Andriod (16) android (7) Apple (1) arm (4) artigo (5) aws (1) bc (23) benchmark (6) BetrFS (1) blackhat (1) BSDs (29) btrfs (32) bugs (2) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (54) comandos (30) comp (1) compressores (5) container (7) CPU (19) cracker (1) criptografia (5) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desempenho (1) desenvolvimento (90) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (4) dic (1) Dica de leitura (90) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (3) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (14) Docker (12) DragonflyBSD (22) driver (1) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) embarcados (1) EMMI Linux (4) emuladores (9) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (82) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (93) gerenciadores de pacotes (4) glaucus (2) GOG (3) google (8) gpu (3) hacker (2) hardware (104) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (10) Intel (15) inteligencia artificial (1) IoT (1) ispconfig (1) jogos (37) kde (1) kernel (138) lançamento (64) leis (1) LFCS (1) libs (2) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) Mac (1) machine learning (1) matemática (9) mesa redonda (27) microcontroladores (1) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (159) musl (2) não viva de boatos (9) navegadores (5) NetBSD (7) newlib (1) nim (1) nintendo (1) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (84) OpenBSD (6) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (42) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) performance (1) pipewire (1) plan9 (1) playstation (1) processadores (30) professor Augusto Manzano (11) Programação (64) promoção (1) propagandas com Linux (8) ps4 (1) real-time. (1) Red Hat (22) redes (4) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (14) RISCV (13) rtos (1) runlevel (2) rust (12) segurança digital (24) servidores (1) shell (7) shell script (6) sistema operacional (25) smartphones (3) Software livre e de código aberto (151) sorteio (3) Steam (10) Steam no Linux (8) supercomputadores (4) suse (5) systemd (7) terminal (87) terminal de comandos (16) toca do tux (1) toybox (26) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (17) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) virtualização (2) vulnerabilidade (6) wayland (5) whatsapp (1) whitehat (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (15) zsh (3)