Microsoft torna principal algoritmo do Bing Open Source

Algorítimo que acelera a busca do Bing agora é Open Source
Algoritmo que acelera a busca do Bing agora é Open Source
 Foi publicado no TechCrunch que a Microsoft tornou Open Source um algoritmo muito importante do seu motor de busca, o Bing. O algoritmo disponibilizado foi de uma biblioteca chamada SPTAG (Space Partition Tree And Graph) que faz com que a busca realizada pelos usuários retorne mais rápida através dos dados coletados e AI (Artificial Intelligence = Inteligência Artificial)
Gaáfico-como-o-SPTAG-funciona
Gráfico vetor demostrando como o SPTAG funciona











Essa biblioteca foi disponibilizada sob licença MIT (ainda bem) e fornecem todas as ferramentas necessárias para trabalhar com Linux e Windows. Sei que vão ter o que afirmam que eu odeio GNU com a minha afirmação sobre a licença MIT, mas que já leu meu artigo A queda da GPL? (e eu sei que muitos não leem porque depois veem me fazer as mesmas perguntas do que eu já falei) sabe do que eu estou falando.

 A Microsoft espera que esse algoritmo venha possibilitar que os desenvolvedores construam soluções similares e isso faz com que encontrem outros caso de usos em clientes e ambientes corporativos (além de poder aplicar novas soluções encontradas ao seu próprio motor de busca).
Linux-da-migração-a-administração-do-sistema-operacional
CLIQUE AQUI, VENHA APRENDER LINUX COMIGO E TORNE-SE UM VERDADEIRO PROFISSIONAL.
 Como afirmado pela empresas, alguns anos atrás o o sistema de busca era simples. Os usuários digitavam um conjunto de palavras a respeito do assunto que que queriam. Hoje os mesmos usuários podem arrastar imagens para dentro do buscador (que inclusive foi tema no filme Buscando que aconselho assistirem, principalmente os pais) ou utilizar um assistente inteligente fazendo-lhe uma pergunta. Podem até mesmo fazer uma pergunta e aguardar uma resposta e não uma lista de páginas. Através desta biblioteca, a microsoft consegue realizar busca através de bilhões de pedaços de informações em mile segundos.
Agradeço ao Xalas pela revisão feita no meu texto.

Comente com o Facebook:

Deixe seu Comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (3) ambiente gráfico (11) AMD (13) analise (8) Andriod (6) artigo (5) benchmark (1) BSDs (12) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (13) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (44) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (44) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (5) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (2) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (47) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (8) Funtoo Linux (13) games (84) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (92) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (27) kernel (110) lançamento (22) leis (1) LFCS (1) licenças (6) Linus (14) Linux (193) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (93) não viva de boatos (9) navegadores (2) NetBSD (2) novatec (16) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (2) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (29) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (19) professor Augusto Manzano (9) Programação (30) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (10) Software livre e de código aberto (149) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (1) suse (3) systemd (7) terminal (68) toca do tux (1) toybox (10) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (2)