Como analisei o ext4 do Linux e do HelenOS?

Resultado de imagem para ext4
Sistema de arquivos ext2/4 está presente no HelenOS também
 No vídeo "Que distribuição é essa?" onde debato sobre o sistema operacional micro-kernel HelenOS (já se tocaram de que não se trata de Linux, não é?) e que venho mencionando desde o artigo 5 diferentes modelos de kernels, tratei de desmistificar que o sistema de arquivos ext4 que também é utilizado pelo sistema, não é o mesmo utilizado pelo Linux. Cheguei a utilizar a frase de Dennis Ritchie após ter analisado o sistema operacional Coherent da Mark Williams Company:
É um Unix, mas não é o Unix da AT&T/Bell Labs. Esse é um clone.
Basicamente isso que foi dito. 


Cheguei a mencionar no vídeo que não sabia qual teste foi realizado por Dennis Ritchie; mas  depois do vídeo, encontrei um texto onde Dennis relata o que foi feito:
O que eu fiz na verdade foi brincar com o Coherente e procurar por peculiaridades, bugs, etc que eu sabia da existência nas distribuições Unix do tempo. Seja qual for a coisa legal que havia sido conversado a respeito nas cartas entre a MWC e a AT&T não me autorizaram a olha em seu código fonte.
Eu fiz algumas anotações sobre coisas que eu procurei.

Eu concluí duas coisas:

Primeiro, que era difícil de acreditar que o Coherent e suas aplicações básicas não foram criadas sem considerável estudo do código do OSe detalhes de suas aplicações.
Segundo, que olhando em vários cantos me conevneceram de que eu não consegui encontrar qualquer coisas que foi copiada. Pode ter sido que algumas partes foram escritas com nossa fonte próxima, mas ao menos o esforço foi feito para reescrever. Se eu viesse, eu nunca poderia honestamente testificar que minha opinião fosse de que o que eles geraram fosse irreproduzível a partir do manual.


O texto pode ser conferido na integra aqui

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (3) ambiente gráfico (11) AMD (13) analise (8) Andriod (6) artigo (5) benchmark (1) BSDs (12) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (13) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (44) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (44) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (5) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (2) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (47) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (8) Funtoo Linux (13) games (84) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (92) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (27) kernel (110) lançamento (22) leis (1) LFCS (1) licenças (6) Linus (14) Linux (193) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (93) não viva de boatos (9) navegadores (2) NetBSD (2) novatec (16) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (2) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (29) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (19) professor Augusto Manzano (9) Programação (30) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (10) Software livre e de código aberto (149) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (1) suse (3) systemd (7) terminal (68) toca do tux (1) toybox (10) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (2)