Uma opinião nas diferenças entre BSD e Linux (Dando Crédito aonde o Crédito é Devido)

Perguntas e respostas (por Jesse Smith)


/*
 Pessoas me perguntaram sobre as diferenças entre Linux, BSD e Hurd. Então para ajudar a todos melhor compreender sobre essas diferenças, resolvi publicar esse post que traduzi do wbsite distrowatch.
 O único sistema que ressalto aqui que não cobre esse artigo que traduzi é o Hurd. Basicamente ele é um microkernel que ainda está em desenvolvimento e vai saber la quando ficará pronto, por que todo sistema microkernel que eu conheço ou nunca saíram de beta ou foram descontinuados ou nem estão prontos para colocar para produção.
 Os únicos dois sistemas microkernel que eu gosto são o L4 e o Spartan.
 Por Gabriel Costa
*/

Perguntas curiosas sobre pinguins e demônios: O lema do seu website diz "Use Linux, BSD." Você poderia falar um pouco a respeito das diferenças, como são comparados um com o outro? Você recomendo um ou o outro?

DistroWatch answers: É difícil falar o que torna Linux e BSD diferente um do outro (ou um similar ao outro) por que existem tantas variantes de cada. No exato momento, existem literalmente centenas de distribuições Linux e uma boa quantidade sabores de BSDs a escolha. Então realmente, quando examinar os dois,as pessoas normalmente tem que fazer tal usando generalizações. Como um exemplo, muitos dos nomes das grandes distribuições Linux tem instalador gráfico fácil de utilizar (mas algumas distros não). Por outro lado, muitos sistemas BSDs não tem um instalador GUI (grafical user interface), mas ao menos alguns tem. Como você pode imaginar, com tantos projetos diferentes de ambos os lados, há quase sempre exceções para as regras.

Pode ser mais fácil olhar o que eles tem em comum. Ambos Linux e BSD pertencem a família do sistema operacional UNIX (alguém pode frisar que BSD é um descendente do UNIX, onde Linux é um sistema operacional UNIX-like) e eles tem muito em comum superficialmente. Os vários sistemas Linux e BSD geralmente tem o mesmo layout de sistema de arquivos, usam ferramentas de linhas de comando similar e geralmente podem compilar e executar o mesmo software.

Do meu ponto de vista, a grande coisa que eu notei quando se alterna entre Linux e BSD são as maneiras que os pacotes são administrados. Sistemas Linux, ou GNU/Linux, tendem a ser feitos de módulos pequenos (pacotes). Eu visualizo uma distro GNU/Linux como um modelo químico onde os átomos são interligados. Você pode adicionar ou remover pedaços e reformular o modulo. Cada “átomo” é um pedaço pequeno do um todo. Os BSDs, por outro lado, dividem seus pedaços do sistemas diferentemente. O kernel e algumas das ferramentas básicas são administradas sob um projeto. Então outro sofwtare, tal como ambientes desktop e office são colocados no topo daquela fundação. E eu acho que essa diferença indica que as diferenças importantes entre os dois campos são mais filosófico do que técnico. 

Em minha experiência muitos dos usuários de Linux que eu encontro são mais idealísticos quando se vem para seus software e suas liberdades de software. Um bom exemplo disso é o conceito “Year of the Linux Desktop ” que aparece em uma base regular. Muitos dos grandes nomes de distribuições Linux vem como mais amigáveis do que os projetos BSD. Há exceções em ambos os lados, mas a comunidade Linux aparenta recrutar novos membros mais ativamente.

Desenvolvimento aparenta progredir em metas diferentes e em estilos ligeiramente diferentes. Pegue o som por exemplo. No lado do Linux, nós saltamos do OSS para o ALSA para PulseAudio. No campo do BSD nós vimos ao invés disso o trabalho para melhorar o OSS. Quando o ZFS surgiu, o FreeBSD adotou e portou o novo sistema de arquivos para seu OS. No campo do Linux nós vimos esforço para criar o ext4, mais um esforço para criar Btrfs (lê-se butterfs ou betterfs, sátira de sistema de arquivos manteiga ou sistema de arquivos melhor em inglês) e um projeto para portar o ZFS como um módulo. Os desenvolvedores no BSD aparentam fazer um esforço concentrado para conseguir uma coisa funcionando propriamente enquanto os desenvolvedores do Linux oferecerão múltiplas soluções. Há uma piada na comunidade BSD que os programadores Linux estão cerca de três anos a frente... em mudar a sua ideia.

A maior parte da minha experiência é com os sistemas Linux, então é geralmente o sistema operacional que eu recomendo as pessoas. Dessa maneira eu poderei ajudá-las melhor em troble-shoot, no momento, eu acho que Linux tem ligeiramente melhor suporte a driver também, que é importante para usuários domésticos. No entanto, acho que é importante equilibrar isso com algumas indicações de profissionais experientes. Com isso em mente eu pedi a Kriss Morre (fundador do projeto PC-BSD) e Matt Nuzum (da equipe da Canonical) para ponderar sobre assunto.
DW: Kris, que diferenças você vê entre BSD e Linux?


KM: há um numero importante de diferenças no cerne do BSD e Linux. Quando você instala FreeBSD, você está obtendo um sistema operacional completo, kernel + userland, que é projetado para funcionar de forma muito coerente. No lado do Linux, seu “sistema operacional” pode variar grandemente de distro para distro, ou mesmo de instalação para instalação, por que Linux no seu coração é só um kernel (núcleo) e um subconjunto de várias ferramentas a critério do empacotador/instalador.
Além do sofwtare em si, há uma distinção importante da licença também. Ambas licenças open-source que defendem a liberdade, no entanto liberdade significa coisas diferentes para pessoas diferentes. O kernel Linux e muitos dos seus componentes são liberados sob varias formas da licença GPL, a qual requer usuários / desenvolvedores para aderir a seus termos e condições a fim de manter qualquer desenvolvimento / uso compatível a GPL, ao dar o código fonte de volta a comunidade, restringindo DRM (GPL3) e mais. A licença BSD por outro lado é também open-source, mas carrega consigo nenhuma expectação ou demandas no uso futuro / desenvolvimento. O código licenciado-BSD pode ser tomado e obtido para qualquer propósito, sem ter que se preocupar com “ficar dentro do compatível”.

DW: E a respeito de similaridades?
KM:Enquanto no coração ambos sistemas são diferentes, eles compartilham mesmo muito em comum um com o outro. A maioria das mesmas aplicações podem e executam mesmo em ambos, de serviços tal qual Apache, à Desktop e ferramentas produtividade tal qual KDE, OpenOffice, FeireFox, Wine e mais.
DW: Por que você presente que BSD é uma plataforma melhor?

KM: A licença é uma enorme vantagem para mim, mais o jeito que o núcleo do sistema operacional é projetado parece muito mais "natural" e intuitivo. A estabilidade do processo de seu desenvolvimento é uma enorme vantagem, ABI's são muito estáveis e nos lidam com menos "bit-rot" do que eu tenho experimentado em vários sabores de Linux.

DW: você pode identificar algo que você sente que a comunidade Linux faz melhor do que a BSD?

KM: por causa das mudanças do Linux tão rapidamente eles estão com frequência a frente de nós em certas áreas, como suporte a hardware. Um monte de aplicações desktop open-source são desenvolvidas no Linux, então isso pode levar um pouco mais de tempo para um lançamento ser feito no ports tree do FreeBSD, embora isso tem se tornado muito melhor ao longo dos anos.

DW: Obrigado , Kris. Matt, quais são algumas das diferenças entre Linux e BSD?

MN: Linux é uma re-implementação ou copia do sistema Unix que compartilha um ancestral comum com o BSD. Foi projetado para paracer familiar para os usuários UNIX e BSD (e de muitas maneiras ele consegue), no entanto a arquitetura subjacente para criar o sistema é bastante diferente em alguns modos importantes. Por exemplo, configurar um firewall, escolher quais programas iniciam automaticamente ou instalar um driver para seu sistema serão diferentes entre BSD e Linux.

DW: Quais são algumas similaridades entre os dois sistemas?

MN: As filosofias UNIX e FOSS são o vinculo comum. Muitas linhas de comando e ferramentas gráficas são as mesmas ou funcionam as mesma em ambos os sistemas. Como um exemplo, os desenvolvedores para ambos os sistemas Linux e BSD utilizam OpenSSH para conectar-se aos seus servidores, Vim ou Emacs para editar seus código fonte e GCC para compilá-lo. Ambos servidores BSD e Linux executam normalmente o servidor web Apache, Samba e CUPS para arquivo e compartilhamento de impressora e MySQL ou PostgreSQL para trabalho com banco de dados. Se você tem um desktop BSD ou Linux então você provavelmente executa GNOME ou KDE sobre o X.org e navega na internet com o Firefox.

DW: Por que você acha que Linux é a melhor plataforma?

MN: Antigamente Linux era uma copia do UNIX, seguindo os rastros dos gostos do BSD e Solaris. No entanto, nos últimos 10 anos se foi a frente em muitos aspectos chave. O primeiro catalizador para mudança foi melhor suporte a driver para computadores PCs comuns a qual lhe deu grade impulso. Então, mais usuários e desenvolvedores adotaram Linux, ele começou a se tornar a plataforma para inovação e BSD e UNIX ficaram para trás. Agora é comum ver novas atualizações de sofwtares e melhoras lançados primeiro para Linux e então se tornam compatíveis com BSD.

DW: Por favor compartilhe algo que você gosta nos sistemas da família BSD.

MN: Existem muitas variantes do BSD, cada uma com méritos diferentes. Dois exemplos excelentes são OpenBSD e NetBSD. 
Os desenvolvedores do OpenBSD são motivados por um desejo de manter seu track-recored de excelência em segurança. Eles revisam seus códigos e implementam recursos que ajudam a assegurar que o sistema operacional resistirá mesmo a ataques mais motivados. Além disso, ele também historicamente ostenta uma das mais robustas pilhas de rede TCP/IP. Esse dois recursos combinam para torná-lo uma excelente escolha para infraestrutura de rede. 

NetBSD tem como um valor central o desejo de acomodar uma grande variedade de plataformas. Roda em uma coleção diversa de computadores então seus mantenedores lutam para criar um sistemas que é flexível e portável.

DW: Obrigado, Matt.

Sou analista (bilíngue) de microinformática, professor de inglês, tradutor e interprete.

 Sou também redator no blog Diolinux e um dos tradutores da distribuição Funtoo. Já fiz parte da distribuição IPFire por um tempo também, uma distribuição que gosto muito na parte de administrar o servidor por uma interface web.
 Possuo um manual chamado Caixa de Ferramentas do UNIX traduzido por mim e revisado por mais amigos que abrange tanto Linux (dentre algumas distribuições) quanto Solaris, BSDs, Mac OS X e em alguns momentos o Windows (devido a integração cliente servidor).
 Recentemente estou trabalhando em um manual de migração para Linux.

Compartilhe isso

Leia outros posts

Próximo post
« Próximo post
Post Anterior
Próximo Post »

Compre na imago brinquedos

Compre na imago brinquedos
Utilize o cupom de desconto TOCADOTUX e ecnomize 5% na sua compra