Exo: Uma nova linguagem para melhoria de performance

A programming language for hardware accelerators

Exo: Uma nova linguagem para melhoria de performance


 Pesquisadores do Computer Laboratório de ciencia e intelencia artificial (Science and Artificial Intelligence Laboratory: CSAIL) do MIT criaram uma nova linguagem chamada Exo. A linguagem Exo é focada em código de auta performance em aceleradores de hardware ajudando engenheiros de baixo nível a transformar programas muito simples em programas mais complexos que fazem as mesmas coisas porém muito mais rápidos ao utilizar chips especiais de aceleração.

 A linguagem Exo utiliza um conceito chamado Exocompilation que difernete de outras linguagens e compiladores que geram a otimização automaticamente, na linguagem Exo a responsabilidade por escolher quais otimizações, quando e em que ordem otimizar é externada para o engenheiro evitando que percam tempo debugando programas ou tendo que fazer trabalhos manuais. A linguagem Exo também é responsavel por assegurar que todas as otimizações sejam corretas. Outro ponto é que os engenheiros podem descrever para qual chip querem realizar a otimização sem ter a necessidade de modificar o compilador; algo que é feito na industria tradicional, para cada novo harwdare é necessário modificações nos compiladores. As empresas manteem seus proprios forks de compiladores e realizam modificações para que que possam ter suporte a seus proprios chips.

"Ao invés de escrever um monte de código C++ bagunçado para compilar em um novo acelerador, Exo lhe oferece um jeito abstrato e uniforme de escrever a 'forma' do hardware que você quer mirar. Assim você pode reutilizar o compilador Exo existente para adaptar para aquela nova descrição ao invés de escrever algo inteiramente novo do zero. O impacto potencial do trabalho como esse é enorme: Se inovadores de hardware puderem parar de se preocupar com o custo do desenvolver novos compiladores para cada nova ideia de hardware, eles podem testar e enviar novas ideias. A industria poderia quebrar sua dependencia em hardware legado e que só é bem sucedido por causa do ecossistema travado e apesar de sua ineficiencia." Diz Adrian Sampson, professor assistente no departamento de ciencia da computação da Cornell University.

 Acredito eu que os promeiros a se beneficiarem de tal tecnologia, assim como descrito no artigo seri exatamente a industria de superComputadores, e depois acabará nos beneficiando em paralelo com ambientes embarcados. Os pesquisadores já mostraram a oficiencia e a produtividade da liguagem. Agora é esperar para ver o que ocorrerá lá no vale do Silicio.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Viu algum erro e quer compartilhar seu conhecimento? então comente aí.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (10) Andriod (16) android (7) Apple (1) arm (4) artigo (5) aws (1) bc (23) benchmark (6) BetrFS (1) blackhat (1) BSDs (29) btrfs (32) bugs (2) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (54) comandos (30) comp (1) compressores (5) container (7) CPU (19) cracker (1) criptografia (5) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desempenho (1) desenvolvimento (90) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (4) dic (1) Dica de leitura (90) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (3) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (14) Docker (12) DragonflyBSD (22) driver (1) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) embarcados (1) EMMI Linux (4) emuladores (9) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (82) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (93) gerenciadores de pacotes (4) glaucus (2) GOG (3) google (8) gpu (3) hacker (2) hardware (104) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (10) Intel (15) inteligencia artificial (1) IoT (1) ispconfig (1) jogos (37) kde (1) kernel (138) lançamento (64) leis (1) LFCS (1) libs (2) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) Mac (1) machine learning (1) matemática (9) mesa redonda (27) microcontroladores (1) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (160) musl (3) não viva de boatos (9) navegadores (5) NetBSD (7) newlib (1) nim (1) nintendo (1) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (84) OpenBSD (6) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (42) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) performance (1) pipewire (1) plan9 (1) playstation (1) processadores (30) professor Augusto Manzano (11) Programação (64) promoção (1) propagandas com Linux (8) ps4 (1) real-time. (1) Red Hat (22) redes (4) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (14) RISCV (13) rtos (1) runlevel (2) rust (12) segurança digital (24) servidor web (1) servidores (2) shell (7) shell script (6) sistema operacional (25) smartphones (3) Software livre e de código aberto (151) sorteio (3) Steam (10) Steam no Linux (8) supercomputadores (4) suse (5) systemd (7) terminal (87) terminal de comandos (16) toca do tux (1) toybox (26) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (17) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) virtualização (2) vulnerabilidade (6) wayland (5) web (1) whatsapp (1) whitehat (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (15) zsh (3)