Reiserfs pode ser removido do kernel Linux

Reiserfs pode ser removido do kernel Linux

Reiserfs pode ser removido do kernel Linux

 Reiserfs ter os seus dias contatos no kernel Linux. Matthew Wilcox publicou a thread intitulada É hora de remover o reiserfs? explicando que "Manter o reiserfs na arvora tem certos custos." e que talvez pode não valer a pena. Existem certos recursos antigos mantidos no kernel Linux que são utilizados somente pelo Rieserfs e que acabam atrapalhando no desenvolvimento e implementação de novos. Além disso, o Reiserfs vem recebendo poucas correções de bugs (sendo a sua ultima em 2019 e não recebeu correção para o erro de y2038k) e pouco se tem noticia de pessoas que ainda fazem seu uso.

 O único motivo de ainda estar sendo mantido no kernel é devido não terem informações o suficiente da base de usuários; portanto, removê-lo poderia afetá-los diretamente. Então a primeira opção é esperar ter informações o suficiente e assim deixá-los ciente para que possam migrar para outro sistema de arquivos. Outra opção sugerida seria rebaixá-lo para somente leitura.

 Edward Shishkin pediu para que considerarem o patch que rebaixam as flags do Reiserfs escrito por Jan Kara da Suse que rebaixam as flags do reiserfs. No final das contas, todos (com exceção de Byron Stanoszek) estão concordando em sua remoção até mesmo para evitar que venha a ser utilizados em equipamentos mais recente que serão mantidos nos próximos 15 anos. O próprio Jan afirmou que a base de usuários do reiserfs é bem pequena e vem diminuindo e apesar de continuarem com builds do reiserfs nos kernels do openSUSE / SLES, o reiserfs não é mais oferecido para ambientes corporativos e também não possui mais módulo rpm.

 O rieserfs passou a ganhar muito destaque com recurso tail-packing que economizava espaço. Eu passei a entender seu conceito após ler a segunda edição do livro Descobrindo o Linux já citado muitas vezes por mim. Depois do que Hans Reiser (o autor do reiserfs e principal mantenedor) foi preso por assassinar sua esposa, o desenvolvimento do reiserfs desacelerou. Chegaram a desenvolver o reiser4 que implementa algorítimos balanced tree e o Reiser5 em 2019 mas não há muita esperança.

 A sugestão final foi de inserir uma mensagem de aviso que será descontinuado no hora de montar dispositivos e se ninguém se manifestar nos próximos dois anos, a equipe seguira em frente com o plano. Honestamente eu acho uma boa ideia já que nem se tem noticias de alguém que ainda utilize reiserfs e hoje temos sistemas de arquivos mais modernos; o próprio autor do Btrfs foi antigo mantenedor do reiserfs no Suse e incorporou certos conceitos no reiserfs no Btrfs. Então, segue-se adiante.
Thread do assunto

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Viu algum erro e quer compartilhar seu conhecimento? então comente aí.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (1) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (10) Andriod (16) android (7) Apple (1) arm (4) artigo (5) aws (1) bc (23) benchmark (6) BetrFS (1) blackhat (1) BSDs (29) btrfs (32) bugs (2) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (54) comandos (30) comp (1) compressores (5) container (7) CPU (19) cracker (1) criptografia (5) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desempenho (1) desenvolvimento (90) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (4) dic (1) Dica de leitura (90) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (3) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (14) Docker (12) DragonflyBSD (22) driver (1) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) embarcados (1) EMMI Linux (4) emuladores (9) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (10) filesystem (82) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (93) gerenciadores de pacotes (4) glaucus (2) GOG (3) google (8) gpu (3) hacker (2) hardware (104) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (10) Intel (15) inteligencia artificial (1) IoT (1) ispconfig (1) jogos (37) kde (1) kernel (138) lançamento (64) leis (1) LFCS (1) libs (2) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) Mac (1) machine learning (1) matemática (9) mesa redonda (27) microcontroladores (1) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (160) musl (3) não viva de boatos (9) navegadores (5) NetBSD (7) newlib (1) nim (1) nintendo (1) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (84) OpenBSD (6) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (42) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) performance (1) pipewire (1) plan9 (1) playstation (1) processadores (30) professor Augusto Manzano (11) Programação (64) promoção (1) propagandas com Linux (8) ps4 (1) real-time. (1) Red Hat (22) redes (4) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (14) RISCV (13) rtos (1) runlevel (2) rust (12) segurança digital (24) servidor web (1) servidores (2) shell (7) shell script (6) sistema operacional (25) smartphones (3) Software livre e de código aberto (151) sorteio (3) Steam (10) Steam no Linux (8) supercomputadores (4) suse (5) systemd (7) terminal (87) terminal de comandos (16) toca do tux (1) toybox (26) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (17) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) virtualização (2) vulnerabilidade (6) wayland (5) web (1) whatsapp (1) whitehat (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) ZFS (15) zsh (3)