Framework Rump kernel do NetBSD como uma solução para o Hurd

Framework Rump kernel do NetBSD como uma solução para o Hurd

Framework Rumpkernel do NetBSD como uma solução para o Hurd

 Em fevereiro deste ano Damien Zammit apresentou no FOSDEM uma solução para o Hurd*. A ideia é adotar o framework rump kernel do NetBSD; o que não é nenhuma novidade já que o Rump kernel já está presente no Hurd desde 2015 implementando seus recursos de USB e de áudio.

 Outras fontes também estão presentes no Hurd como partes do próprio Linux como servidor de arquivos ext2fs, servidor de rede pfinet, NIC, drivers de disco e muito mais. Algumas versões possuem suporte para execução de rede Linux 2.6.xe e drivers de disco no modo de usuário através da camada de compatibilidade DDE.

 A vantagem de utilizar o Rump kernel no Hurd é que o framework traria mais drivers com uma interface estável sem a necessidade de ficar reinventando a roda e debugar processos e drivers de forma pratica. Como o Hurd é um microkernel, os recursos do Rump kernel (gerenciamento ACPI e PCI e driver) vão rodar em processos separados como servidores.

 Pode ser que o Rump kernel realmente traga vantagens ao Hurd  uma vez que o Hurd possui suporte a hardware muito limitado (até hoje limitado a i386), apresenta muitas falhas (inclusive de kernel panic com muita frequência, muito maior do que o Windows apresenta tela azul) e não há (como nunca houve) previsão de lançamento de uma versão estável que possa ser utilizado em produção.

Hurd source code

O código fonte do Hurd e suas limitações podem ser conferido clicando aqui

GNU/Hurd takes 5 minutes to boot up on a AMD ThreadRipper
Depoimento do GNU/Hurd levando 5 minutos para bootar em um AMD ThreadRipper de 48 núcleos.

 É como já mencionado por Henrik Ingo em seu livro livro Open Life escrito em 2006 e traduzido para inglês pela própria irmã do Linus, Sara Torvalds:
"Uma ironia é que o projeto GNU mencionado por Linus ainda não conseguiu concluir seu próprio ‘grande e profissional’ kernel Hurd. Todo o crédito a eles por não terem desistido, no entanto. Eu venho acompanhando o desenvolvimento do Linux de perto há meia década e durante todo esse tempo o Hurd esteve quase completo. De alguma forma, é divertido ver que a situação deles era a mesma há treze anos, quando o Linux nasceu."
 Dezessete anos depois que o livro Open Life foi escrito pela primeira vez (sua primeira edição em 2.005) e o Hurd ainda não apresenta sinais de que terá uma versão estável. Honestamente não acredito que um dia o Hurd venha a se tornar funcional (há até mesmo piadas na gringa referentes ao Hurd onde a humanidade vai entrar em extinção em 2.050 enquanto que o hurd vai ficar pronto somente depois de 2.060). Há outras versões de microkernel muito mais interessantes que o Hurd e que eu relato no meu artigo 5 diferentes modelos de kernel.

Quando o hurd ficará pronto? Quando mais ninguém precisar?
Quando o hurd ficará pronto? Quando mais ninguém precisar?

 *O nome original deste microkernel é Mach e não Hurd; Hurd é o nome do seu conjunto de daemons (incrível como brigam tanto pelo reconhecimento do nome GNU querendo forçar todos a chamar Linux de GNU/Linux mas quando se trata do nome do microkernel Mach, eles enfatizam o nome do conjunto de daemons...). O Mach não foi desenvolvido pelo projeto GNU e sim pela universidade Carnegie Mellon e trata-se do mesmo microkernel utilizado pela Apple para o desenvolvimento do MacOSX (a junção do Mach kernel com o kernel FreeBSD,  do 4.4BSDLite e do NetBSD forma-se o XNU kernel base que dá origem ao sistema operacional Darwin, ou simplesmente, o MacOSX). E assim continuam a incansável luta para um dia tentar tornar o Hurd funcional.

A junção de microkernel Mach com porções de kernel como do FreeBSD, do NetBSD e do 4.4BSDLite formam o kernel hibrido XNU, base do sistema operacional Darwin (o MacOS X)
A junção de microkernel Mach com porções de kernel como do FreeBSD, do NetBSD e do 4.4BSDLite formam o kernel hibrido XNU, base do sistema operacional Darwin (o MacOS X)

 O site oficial o Mach pode ser conferido aqui.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Viu algum erro e quer compartilhar seu conhecimento? então comente aí.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (5) A.I (2) ambiente gráfico (19) AMD (14) analise (10) Andriod (16) android (7) Apple (1) arm (5) artigo (5) aws (1) bc (23) benchmark (6) BetrFS (1) blackhat (1) BSDs (30) btrfs (32) bugs (2) Caixa de Ferramentas do UNIX (19) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (54) comandos (32) comp (1) compressores (6) container (7) CPU (19) cracker (1) criptografia (5) crowdfunding (9) cursos (24) daemons (13) Debian (31) desempenho (1) desenvolvimento (94) desktop (19) DevOps (3) DevSecOps (4) dic (1) Dica de leitura (91) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) Dicas TechWarn (1) diet libc (3) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (14) Docker (12) DragonflyBSD (22) driver (1) dropbear (3) ead Diolinux (2) edição de vídeo (5) embarcados (1) EMMI Linux (4) emuladores (9) endless (5) English interview (3) Enless OS (2) entrevista (17) espaço aberto (82) evento (6) facebook (1) Fedora (11) filesystem (82) financiamento coletivo (2) fork (4) fox n forests (4) FreeBSD (20) Funtoo Linux (13) games (94) gerenciadores de pacotes (4) glaucus (4) GOG (3) google (9) gpu (3) hacker (2) hardware (104) hash (1) helenos (3) I.A (1) init system (12) Intel (15) inteligencia artificial (2) IoT (1) ispconfig (1) jogos (38) kde (1) kernel (138) lançamento (64) leis (1) LFCS (1) libs (2) licenças (8) Linus (16) linus torvalds (2) Linux (194) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (5) LPI (8) LTS (1) Mac (1) machine learning (1) matemática (9) mesa redonda (27) microcontroladores (1) microsoft (6) microst (1) muito além do GNU (169) musl (3) não viva de boatos (9) navegadores (5) NetBSD (7) newlib (1) nim (2) nintendo (1) novatec (17) novidades (1) nuvem (1) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (12) open source (84) OpenBSD (7) OpenShift (1) oracle (1) os vários sabores de Linux (44) padrim (2) palestras e eventos (5) partições (6) pentest (8) performance (1) pipewire (1) plan9 (1) playstation (1) processadores (30) professor Augusto Manzano (11) Programação (65) promoção (1) propagandas com Linux (8) ps4 (1) real-time. (1) Red Hat (23) redes (4) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (19) retrospectiva Linux (1) risc-V (14) RISCV (13) rtos (1) runlevel (2) rust (13) segurança digital (24) servidor web (2) servidores (3) shell (9) shell script (8) sistema operacional (25) skarnet (2) smartphones (3) Software livre e de código aberto (151) sorteio (3) Steam (10) Steam no Linux (8) supercomputadores (4) suse (6) systemd (8) terminal (89) terminal de comandos (18) toca do tux (1) toybox (27) tutorial (6) Tux (3) unboxing (7) UNIX (17) UNIX Toolbox (14) vartroy (1) vga (1) virtualização (2) vulnerabilidade (6) wayland (5) web (1) whatsapp (1) whitehat (1) Windows Subsystem for Linux (2) wine (14) WoT (1) yash (1) ZFS (15) zsh (3)