NSA lança GHIDRA, uma poderosa ferramenta de engenharia reversa para cibersegurança.

Ghidra
GHIDRA
 Não é de hoje que a NSA vem contribuindo com o desenvolvimento do Linux. A primeira forte contribuição com o Linux que consigo citar foi o módulo SELinux que é inclusive fortemente utilizado pela Red Hat no RHEL.
SELinux Decision Process
SELinux no Red Hat Enterprise Linux
Curso COMPLETO para a certificação CompTIA Linux+ e LPIC-1 do Mateus Müller do canal 4Fasters
 O SHA (como o 256/512) que usamos para conferir hashes, é outra contribuição feita pela NSA e incorporada também opção -Z ao comando ls do coreutils do GNU.


 Desde que Eduardo Snowden vazou informações secretas da NSA, o mundo inteiro se virou contra a agencia, inclusive os usuários de Linux por conta do SELinux criando o mito de que a NSA ameaçou a família de Linus torvalds até mesmo apontando arma para a cabeça de seus familiares para que Linus incorporasse o SELinux ao kernel.
SELinux dentro da opção Security options do kernel Linux
 Foi muito drama por parte de todos os usuários (tanto de Linux quanto do mundo inteiro). Só notem uma coisa; se você não quiser utilizar o SELinux, ora, você pode utilizar outros. Confiram só acima uma pequena parte da lista de módulos de segurança disponível para Linux. O Debian por exemplo, utiliza o AppArmor, O Suse utiliza (ou utilizava) o Tomoyo, o Tizen utiliza o Smack e assim por diante. Existem vários módulos de segurança que atendem necessidades diferente. Isso que é Os vários sabores de Linux.

 Dado que até hoje todo mundo dá sua opinião sobre o assunto, eu fiz a mesma coisa.


 Desta vez a NSA disponibilizou mais uma ferramenta chamada Ghidra que é uma suite de ferramentas para realizar engenharia reversa (SRE) para ajudar nas missões de cibersegurança. A ferramenta está disponível para Linux e Windows sob licença Apache e o vídeo abaixo dá explicações de como utilizar:

Compartilhe isso

Leia outros posts

Próximo post
« Próximo post
Post Anterior
Próximo Post »