Entrevista com Lizardcub e DotEmu: Criadoras do jogo Wonderboy - The dragons trap

Wonder Boy III: The Dragon's Trap
Wonder Boy III: The Dragon's Trap


Beleza cambada? Bati um papo com a galera da Lizardcube e DotEmu. A equipe inteira é muito gente boa e foram muito educados em responder as minhas perguntas e matou nossa curiosidade do como surgiu a ideia de trazer jogo do antigo Master System de volta a vida.

Wonder Boy III: The Dragon's Trap é um game que foi feito para o Sega Master System, lançado pela Sega em 1989, é a continuação direta de Wonder Boy in Monster Land:
se não conhece Wonderboy ainda, aqui está uma palinha:

Confiram então a entrevista e que terá a versão em inglês (justo já que a entrevista original foi em inglês):

Pode nos contar um pouco mais sobre a Lizardcube e a DotEmu? (Coisas do tipo como tudo começou e assim por diante).

Ben: Iniciamos a Lizardcube depois de desenvolver um protótipo do jogo. Sabíamos então que o criador original e a Dotemu estariam nessa.
Ela é co-fundada por Omar Cornut (diretor técnico) e eu, Ben Fiquet (diretor de arte).
Conhecemos Omar em 2.006 trabalhando em Soul Bubbles para o Nintendo DS.

Cyrille (DotEmu): DotEmu foi fundada 10 anos atrás, com a vontade de trazer de volta os melhores jogos old school aos navegadores e móveis. Com o tempo, a empresa envolvida e nós somo agora capazes de trazer de volta quaisquer jogos de quaisquer plataforma para PC, móveis e consoles, como um publicador e/ou um desenvolvedor. Mantivemos nossa vontade de trazer de volta jogos esquecidos, para o prazer de fãs originais e para transmitir o legado de pioneiros para as gerações mais novas.
hoje trabalhamos também com pessoas talentosas como Ben e Omar, para alcançar esse objetivo. Agora nós não fazemos somente adaptações, mas também remakes (Wonder Boy) e sequencias (Pang Adventures)!
Somos uma pequena equipe de apaixonados localizado em Paris sempre em busca de joias antigas para trazê-las de volta.
O que inspirou Lizardcube e DotEmu remasterizar Wonder Boy?

Ben: Bom, ele é considerado por muitos o melhor jogo do Master System. Esse foi um dos primeiros metroidvania, tipo de jogo open world e a gameplay geralmente falando era muito estreita. Ele não teve a chance de brilhar como as licenças da Nintendo porque o master system foi menos popular, mas estamos muito felizes de ser capazes de compartilhar isso com a geração de gamers de hoje.
Eu também queria ser capaz de criá-lo como eu o imaginava quando criança. Estou realmente contente de que tem havido uma resposta esmagadora concernete a arte do jogo.

Cyrille (DotEmu): Lizardcube nos inspirou na verdade! Omar e Ben vieram a nós com o projeto em mente em 2015. Eles foram tão apaixonados pelo jogo original, e seu protótipo inicial era realmente tão bonito, que fomos motivados instantaneamente a fazer isso acontecer. Ele está realmente em linha com a nossa visão. Também, The Dragon’s Trap é realmente um ótimo jogo. Eu pessoalmente não o conhecia antes que eles me mostrassem para mim mesmo se eu tivesse um SMS naquele tempo :) Mas eu realmente vi seu potencial como as mecânicas e design do jogo realmente velhos bem através dos anos.  

Sobre Steam. Conversando com vocês (equipe da Lizardcube ), eu perguntei se o Wonder Boy ia ser lançado para Steam. E a resposta foi sim ( :D), mas um pouco mais tarde. Quais plataformas? Windows, Mac OS e Linux?

Omar: Pretendemos para junho no lançamento do Steam para Windows. Sobre Mac OS e Linux, ainda não sabemos se haveria interesse o suficiente dos jogadores, mas investigaremos a possibilidade.

Planos para o futuro. Não precisa dar spoilers, mas mais jogos do Master system ? (Por favor, diga-nos que a resposta é sim =)

Ben: É na verdade algo que temos que compreender. Precisamos relaxar um pouco e visualizar o que o futuro pode oferecer. Talvez outro remake, talvez um jogo original, quem sabe….

Comente com o Facebook:

Deixe seu Comentário

Marcadores

A pior história sobre Linux que já ouvi (3) ambiente gráfico (11) AMD (13) analise (8) Andriod (6) artigo (5) benchmark (1) BSDs (12) btrfs (6) Caixa de Ferramentas do UNIX (21) canto do Diego Lins (2) certificações Linux (7) Código Fonte (53) comandos (13) comp (1) compressores (5) container (1) CPU (12) criptografia (1) crowdfunding (9) cursos (18) daemons (13) Debian (30) desenvolvimento (44) desktop (13) DevOps (1) DevSecOps (1) dic (1) Dica de leitura (44) dica DLins (2) dicas do Flávio (27) diocast (1) dioliunx (3) distribuições Linux (11) Docker (15) DragonflyBSD (5) ead Diolinux (2) edição de vídeo (4) EMMI Linux (4) emuladores (2) endless (5) English interview (2) Enless OS (2) entrevista (16) espaço aberto (87) evento (3) facebook (1) filesystem (47) financiamento coletivo (2) fork (2) fox n forests (4) FreeBSD (8) Funtoo Linux (13) games (84) GOG (3) google (8) gpu (1) hardware (92) init system (6) Intel (14) IoT (1) ispconfig (1) jogos (27) kernel (110) lançamento (22) leis (1) LFCS (1) licenças (6) Linus (14) Linux (193) linux foundation (3) linux para leigos (1) live (4) LPI (10) LTS (1) mesa redonda (28) microst (1) muito além do GNU (93) não viva de boatos (9) navegadores (2) NetBSD (2) novatec (16) o meu ambiente de trabalho (3) off-topic (14) open source (76) OpenBSD (2) OpenShift (1) os vários sabores de Linux (29) padrim (2) palestras e eventos (2) partições (6) pentest (6) processadores (19) professor Augusto Manzano (9) Programação (30) propagandas com Linux (8) Red Hat (10) redes (2) resenha nerd (4) Resumo da Semana do Dlins (2) resumo do Tux (23) retrospectiva Linux (1) runlevel (2) segurança digital (12) servidores (1) sistema operacional (10) Software livre e de código aberto (149) sorteio (3) Steam (8) Steam no Linux (6) supercomputadores (1) suse (3) systemd (7) terminal (68) toca do tux (1) toybox (10) tutorial (2) Tux (2) unboxing (7) UNIX (16) UNIX Toolbox (15) vartroy (1) vga (1) vulnerabilidade (3) whatsapp (1) Windows Subsystem for Linux (1) wine (11) WoT (1) ZFS (2)